Conecte-se conosco

Brasil fecha acordo para desenvolver o Plano Nacional de Internet das Coisas

Brasil fecha acordo para desenvolver o Plano Nacional de Internet das Coisas

Ciência e Tecnologia

Brasil fecha acordo para desenvolver o Plano Nacional de Internet das Coisas

BNDES e Ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações assinam acordo para desenvolver o IoT no Brasil

Brasil fecha acordo para desenvolver o Plano Nacional de Internet das Coisas

Brasil quer investir na Internet das Coisas com novo Plano Nacional

A presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Maria Silvia Bastos Marques, e o Ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, assinaram na segunda-feira, 12, o Termo de Cooperação Institucional sobre Internet da Coisas.

O BNDES está apoiando com R$9,8 milhões a realização de estudo técnico independente para diagnóstico e proposta de políticas públicas. O Ministério da Ciência, por sua vez, lançou uma consulta pública para colher sugestões para o Plano de IoT.

“As principais economias do mundo estão construindo agendas para fazer o melhor uso da tecnologia. O BNDES tem o dever de ajudar o governo a elaborar políticas públicas nessa área”, disse a presidente Maria Silva.

O Ministro Gilberto Kassab acredita que este acordo vai “causar transformações das mais importantes para o país. Alternando a vida cotidiana de todos nós, com açÕes das mais simples às mais complexas.”

O objetivo do acordo é unir esforços para dar início à elaboração de um Plano Nacional de IoT que pense a tecnologia no país em pelo menos cinco anos (2017-2022).

A intenção é fazer crescer o desenvolvimento no país, considerando a inovação, adensamento tecnológico local, benefícios e impactos para sociedade.

Internet das Coisas: um Plano de Ação para o Brasil

A primeira parte do Plano Nacional é escolher como o IoT vai influenciar nas políticas públicas. O estudo será feito pela consultoria McKinsey & Company Brasil, Fundação CPqD e Pereira Neto/Macedo Advogados. A pesquisa custará ao todo 17,5 milhões de reais, com apoio do BNDES de R$9,8 milhões e o restante dos recursos vindo do consórcio.

A expectativa é de que o estudo realize benchmark internacional e local, catalogando as melhores práticas de como outros países estão tratando o tema e as principais iniciativas em curso para identificar as melhores oportunidades de inovação em IoT para empresas locais e multinacionais espalhadas pelo Brasil.

 

Click para comentar

Mais de Ciência e Tecnologia

Subir