Connect with us
Escape Hotel: Vire um detetive com os amigos nesta casa de jogos

CULTURA GEEK

Escape Hotel: Vire um detetive com os amigos nesta casa de jogos

Junte amigos, forme uma equipe e tente desvendar grandes mistérios em menos de uma hora no Escape Hotel

Escape Hotel: Vire um detetive com os amigos nesta casa de jogos

Junte uma equipe, desvende mistérios e divirta-se no Escape Hotel

Um barulho de porta abrindo ao fundo, logo quando chego ao Escape Hotel. “Aê, conseguimos”, gritam algumas crianças. Este hotel em que eu estava para fazer “check-in” não era dos mais usuais. O Escape, na verdade, é uma casa de jogos de fuga que desafia o senso de detetive das pessoas.

Ao chegar no Hotel, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, fui recebido pela Patrícia, a recepcionista do local. No lobby de onde ficaria hospedado por uma hora com alguns amigos, um grupo de adolescentes também comemorava por ter escapado do seu teste.

As pessoas estavam realmente muito empolgadas com as aventuras que tiveram – e por terem descoberto tudo a tempo. Afinal, a taxa de sucesso é propositalmente baixa. O engraçado é que todos falavam baixo, como se fosse um acordo para não estragar a surpresa para quem viria depois. “Saímos nos últimos sete minutos”, contou animada uma das adolescentes para a Patrícia.

Escape Hotel: Vire um detetive com os amigos nesta casa de jogos

Lobby do Hotel

O Escape Hotel é para ser jogado em equipe de duas a sete pessoas. Os quartos não são para dormir, na verdade, são mistérios para serem desvendados. No momento, três deles estão rolando: o Templo, a Loira do Banheiro e a Cena do Crime.

No Templo, a equipe precisa resgatar um tesouro milenar. Na Loira do Banheiro, é preciso libertar a alma da menina morta há mais de 30 anos. Na Cena do Crime, eu conto agora:

O crime mais difícil que não resolvi

Confesso, desde já, que eu e meus amigos não fomos os mais hábeis. A nossa história era uma cena de crime e tudo o que posso contar é dito pelo instrutor e o site do Escape:

“Um assassinato a sangue frio ocorreu em um dos quartos do hotel, e não foi encontrada nenhuma pista sobre o criminoso. Inconformada, a família da vítima contratou você e sua equipe de detetives para que o caso seja resolvido. Vocês têm uma missão secreta e perigosa pela frente, e terão que encontrar quem é o assassino antes que seja tarde demais.”

O jogo funciona assim: você tem uma hora para descobrir quem é o assassino e sair do quarto. “Ah, mas é só isso?”, o leitor poderia pensar. Bem, pode ter certeza que não é  isso. Inclusive, nem pense que você vai ficar parado. Luzes, sons e objetos no quarto ajudam a criar o cenário perfeito para o grupo tentar desvendar o mistério.

As coisas ficam mais interessantes quando há um timer mostrando quanto tempo sua equipe tem. Se já não bastasse a pressão de desvendar quebra-cabeça atrás de quebra-cabeça, você está competindo, simultaneamente, com uma outra equipe de detetives em um quarto ao lado para descobrir quem vai ser o mais rápido.

Além de saber quem é o assassino, também é preciso escapar do quarto (tem senha) – e se não mencionei, você e seus amigos estarão trancados pela próxima hora nesse novo universo. Não adianta também tentar trapacear, você está sendo monitorado e não pode entrar com carteira, celular, bolsa e nem nada! Aliás, tenha certeza de uma coisa: por trás das câmeras, os instrutores estão se divertindo à beça de você e sua equipe tentando desvendar tudo o que é proposto.

O serviço que o Escape Hotel presta é diversão garantida, mesmo que você acabe não terminando o desafio. Caso você decida participar dos três desafios e queira logo algo novo, pode ficar tranquilo. Em setembro deste ano o Escape Hotel irá inaugurar uma nova sala, cheia de novos mistérios.

Se quiser saber mais sobre a casa de jogos de fuga, entre no site deles, faça a sua reserva e jogue com os amigos! Aqui, uma foto minha e da minha equipe desolada por ter falhado no desafio:

Escape Hotel: Vire um detetive com os amigos nesta casa de jogos

Da esquerda para a direita: Davi, Isa, Pedro, Pinho, Eu e a Ana (nada felizes com a derrota)

21 anos, paulistano e estudante do último ano de jornalismo na Cásper Líbero. Trabalha na Rede Globo e é editor do Showmetech, escrevendo principalmente sobre Apple e Pokémon | @joseadorno

Comments

Dica

Mais Lidas

Reviews

Cultura Geek

Tutoriais

To Top