Conecte-se conosco
Telomeros de um Cromossomo

Ciência e Tecnologia

Nova terapia genética consegue retardar o envelhecimento humano

Durante toda a vida as pessoas lutam contra o envelhecimento, seja por meio de intervenções cirúrgicas e/ou pelo uso diário de cosméticos e sessões de terapia. Porém estes são fatores estéticos são imutáveis devido a fatores genéticos.

Telomeros de um Cromossomo

Lutar contra o envelhecimento é uma batalha nossa de todos os dias. Escolhas de vida saudáveis, cuidados diários ou intervenções cirúrgicas são caminhos possíveis, mas com resultados limitados. Afinal, a verdadeira juventude é medida pela saúde de nossas células e genes.

Com isso em mente, uma empresa norte-americana obteve sucesso, pela primeira vez, em desenvolver uma terapia genética de rejuvenescimento. A pesquisadora Elizabeth Parrish, que também atuou como cobaia neste experimento, desenvolveu uma nova forma de retardar o envelhecimento celular, mais especificamente relacionada à restauração de linfócitos-T, que são células relacionadas à imunidade e preservação da vitalidade celular.

De acordo com Elizabeth, o índice de jovialidade é medido com a quantidade de telômeros presentes nos linfócitos-T. Ou seja, quanto mais telômeros estejam presentes, mais jovem a pessoa está. No ano passado (2015) a pesquisadora iniciou os testes, sendo marcada como paciente zero da terapia.

Elizabeth Parrish -Fundadora da BioViva

Elizabeth Parrish – Fundadora da BioViva

Testes prévios ao tratamento mostraram que Parrish tinha muitos telômeros encurtados, o que poderia resultar em um envelhecimento precoce de tecidos. Neste aspecto, os resultados indicavam que a pesquisadora tinha risco de contrair doenças que atingem idades mais avançadas, ainda mesmo que fosse jovem.

Em março deste ano foram realizados novos testes, após a conclusão do tratamento com a terapia genética. Aqui, já foi possível verificar que os telômeros haviam se esticado biologicamente para 20 anos mais jovens. Antes das terapias o valor acumulado da carga genética de Elizabeth era de 6.71 kb passando agora para 7.33 kb. Isso significa dizer que, além de rejuvenescer, a pesquisadora estará menos propensa a contrair doenças relacionadas à idades mais avançadas.

Elizabeth e sua empresa, a BioViva, acreditam ter feito história com os resultados alcançados. O próximo passo, afirma a pesquisadora, será realizar testes em tecidos como a pele, buscando benefícios estéticos como, quem sabe, reverter o envelhecimento.

Fonte: BioViva.

Cursando Análise e Desenvolvimento de Sistemas (Instituto Federal São Paulo - Campus de Presidente Epitácio). Foi Professor do Mini Curso de desenvolvimento de Aplicativos/Jogos com C# e Unity3D para o Instituto Federal de São Paulo na III Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Foi desenvolvedor de um jogo para dispositivos móveis multiplataforma. Concluinte de Iniciação Científica em Desenvolvimento de Jogos e Aplicativos para Dispositivos Móveis, foco em Educação do público infantil. Faz desenvolvimento e modelagem 2D/3D para Jogos com Blender 3D e Autodesk Maya. Atualmente esta desenvolvendo um jogo educativo com sistema distribuído para o projeto de Iniciação Científica.

Comentários

Mais de Ciência e Tecnologia

Dica

Mais Lidas

Reviews

Cultura Geek

Tutoriais

To Top