Connect with us

MOBILE

O Google quer o fim do carregamento rápido de smartphones. Entenda

Cada fabricante adota uma solução diferente, exigindo soluções proprietárias. Bom, o Google não está feliz com isso.

muconnect-fast-charging-connector-03

Smartphone com suporte a carregamento rápido não é um conceito novo. Independentemente de usarem conexão micro USB ou o USB tipo C, grande parte dos modelos mais recentes suportam esse recurso. Entre as soluções mais comuns no Brasil, temos o QuickCharge da Qualcomm, atualmente na terceira versão, e o Pump Express da MediaTek. Isso para mencionar somente os mais famosos, já que há uma boa quantidade de técnicas por ai, do VOOC da Oppo até o BoostMaster da ASUS.

google-pixel-6-840x469

Pois bem, o Google não está feliz com isso. Cada fabricante adota uma solução diferente, exigindo não somente circuitos proprietários, mas também trabalhando com valores diferentes. Há diferentes tensões, amperagens e períodos de carregamento. Ou seja, smartphones de marcas concorrentes não compartilham os mesmos circuitos de carregamento rápido. Isso independentemente do conector ser USB tipo C ou micro USB. E é exatamente esse o problema do Google, que prefere uma interoperabilidade maior entre diferentes marcas.

Falta de compatibilidade

De fato, uma solução de carregamento rápido inclui, basicamente, uma combinação de circuito interno, cabo e carregador. O Moto X Style, por exemplo, de tão potente (25 watts com o TurboCharger 25), vem com o cabo preso ao carregador. Exatamente para evitar que o usuário use cabos de baixa qualidade e acabe danificando o aparelho, já que chega a trabalhar com até 12 volts. Isso significa que ele pode danificar um modelo que não suporte tanta energia? Na verdade, é pouco provável. O que geralmente acontece é que o modelo em questão carrega de forma mais lenta.

quick_charge_2

Porém, casos extremos acontecem. É possível usar um carregador rápido em um aparelho diferente e danificá-lo. Tanto pela combinação de tensão/amperagem diferente quanto pela qualidade dos cabos. Ou mesmo pelo não reconhecimento do circuito de proteção do smartphone, que deixa passar mais energia do que aparelho é capaz de suportar. Na visão do Google, fabricantes devem abandonar suas soluções proprietárias em favor de uma maior compatibilidade entre todas as marcas.

O que você acha do posicionamento do Google? Acredita que o carregamento rápido deve ser abandonado? Conte para nós nos comentários!

Fonte: WCCFtech

Apaixonado por livros e ávido devorador de conteúdo, passa um bom tempo separando o que é informação e o que é ruído.

Comments

Dica

Mais Lidas

Reviews

Cultura Geek

Tutoriais

To Top