Conecte-se conosco
motorola_defy_ym

Android

REVIEW: Motorola Defy

Não apenas pelas suas características, mas também pelo preço, o novo Morotola Defy tem tudo para ser um sucesso de vendas no Brasil.

Podemos considerá-lo o legítimo sucessor do Milestone, pois este supera até seu novo irmão, o Milestone 2. À parte do teclado físico, ele é um upgrade e tanto do Milestone original. O preço também chama a atenção, já que você pode comprar um por apenas R$ 200,00 na Operadora Claro, com um plano com custo mensal de R$80 por mês.

Características principais:

  • Android 2.1 com Motoblur (update para o Android 2.2 provável)
  • Display 3,7? WVGA (854×480)
  • Bateria de 1540 mAh
  • Câmera de 5MP com flash LED
  • WiFi b/g/n
  • Bluetooth 2.1 +EDR
  • conector microUSB 2.0
  • aGPS/GPS
  • DLNA
  • Crystal Talk Plus (com redução de ruído)
  • Multitouch (2 dedos)
  • Swype (pt-BR) + teclado multitouch
  • Quadband/sensor de proximidade e luz
  • Memória Interna de 2 GB + cartão uSD de 2 GB (expansível até 32 GB)
  • Captura e reprodução de vídeos em até 30fps

Veja a seguir um comercial com o Motorola Defy, demonstrando suas caraterísticas quanto a durabilidade:

Design e Durabilidade

Externamente, o Motorola Defy o aparelho é muito bem acabado. Seu revestimento é sólido, preparado para cair no chão e levar alguns respingos d’água por aí, é bem duro. Mas, apesar disso, o aparelho é levinho, se comparado com o Milestone original. E a tela ocupa quase toda a frente, então quase não tem bordas frontais.

A saída de audio do ouvido é menor que de outros aparelhos, o microfone fica no mesmo lugar que o Milestone e a saída de audio externa é fechada atrás da tampa que reveste a bateria. Até o momento nenhum outro aparelho Android é tão à prova de tudo quanto o Defy: resiste a água, poeira, riscos na tela, e provavelmente à pequenas quedas também.

Para se ter ideia de como o aparelho foi realmente feito para durar, ele tem especificações IP (International Protection Code) 67 de proteção contra resíduos sólidos e líquidos. Essa especificação usa dois dígitos para mostrar o índice de proteção do circuito. O primeiro digito é para sólidos, o segundo para líquidos. Isso no Defy quer dizer que nenhuma poeira entra nele (se bem lacrado claro), e ele aguenta até 1m em baixo da água por meia hora. O ruim é que o touch fica impossível de ser utilizado embaixo d’água, por ser capacitivo. Por motivos assim, pessoas do XDA Developers, estão usando o Button Remapper para poder tirar foto embaixo da água (isso nós não aconselhamos).

A tela é a famosa Gorila Glass do Milestone, então vocês já sabem: praticamente impossível riscar. Nos nossos testes não conseguimos riscá-la.

ALERTA IMPORTANTE:

Infelizmente vários e vários usuários alertam que o alto falante do aparelho para de funcionar sem mais nem menos. Simplesmente para. A Motorola já reconheceu este problema. Porém, ainda é grande o risco de comprar um aparelho do lote defeituoso, visto que a empresa não se preocupou em fazer o recall dos modelos com este problema (ao menos até fevereiro de 2011, ainda estamos encontrando Defys com esse problema).

Veja abaixo algumas fotos do aparelho:

Motoblur e outros Softwares

Não tenho muito a dizer do Motoblur, já que nunca usei. O Guma disse que ajuda bastante no Twitter e Facebook, sempre se mantém informado rapidamente. O Motoblur também tem o ‘Gerenciador de Bateria’, redimensionamento de widgets, apesar de só funcionar com os próprios widgets; tem também suas funções de dar Wipe remoto, e encontrar o aparelho por GPS, através de sua interface Web, assim como o novo Sense (da HTC).

Sim, várias pessoas falam que a interface é feia, ou que deixa o aparelho mais lento. Achamos que o tema até tem a ver com o aparelho, e a função de mudar de tela rapidamente vem bem a calhar. E também não notamos nenhuma perda significativa no desempenho do aparelho por causa da interface.

O Swype que vem no aparelho já tem a língua Português Brasileiro, assim como o inglês e o espanhol. Nem preciso dizer que o Swype é muito bem vindo aqui no aparelho, assim como em todos da Samsung. Ponto positivo pra Motorola. O teclado padrão dele é o famoso teclado multitouch do Droid X. Muito bom, não preciso dizer muito sobre ele. Ou seja, reclamar para digitar é uma coisa que você não vai fazer com esse aparelho!

O aparelho apesar de vir com Android 2.1 (Eclair) vem com o Flash Lite 3. Não é o melhor dos mundos, mas já é melhor que nada (ou que quadrados legos azuis).

Hardware

O touch do aparelho é muito bom, e bem responsivo, até mais que o Milestone. Achamos que isso se deve ao aparelho ter apenas 2 pontos de contato no máximo. Isso faz com que o touch não fique louco, como ocorre com o Milestone dependendo da posição. O Milestone tem 4 pontos de toque na tela (ou até 4 dedos na tela) mas dificilmente alguém vai usar mais que 2 (como nos disse o Kiko Coelho), então o Defy tem o número certo de pontos. A precisão do toque é muito boa, a tela não fica melecada tão rapidamente também, e o pinch to zoom flui muito bem. Apenas pontos positivos nesse quesito.

A câmera não é nada excepcional, infelizmente. Tem algumas funções muito legais, e tem como você mexer em algumas coisas, mas não espere trocar sua câmera digital por ela. Achei apenas um pouco melhor que a do Milestone, não muito melhor. Como eu sempre digo, câmera de celular é pra você tirar fotos rápidas, não fotografar seu casamento. O Flash LED ajuda, mas as vezes mais atrapalha, deixando as pessoas mais brancas (como ocorre com qualquer flash se mal utilizado). A câmera tem geo tagging, e auto focus (ótimo para utilizar o Barcode Scanner), assim como gravação em até 30 fps.

O aparelho também vem com rádio, para você poder ouvir seus jogos de quarta feira, quando tiver que ficar até mais tarde no escritório. Assim como DLNA, para passar vídeos do aparelho para a TV sem fios! (claro, a TV também precisa ter). Não testamos a funcionalidade, pois não tivemos como, mas acreditamos que deve ser bem fácil de configurar. O som do aparelho é muito bom, em nível de comparação a um iPod (não que eu goste do som do iPod, mas… ). O speaker do ouvido (quando funcionava) tem uma definição muito boa, e é bem claro. O speaker traseiro é bem alto, sem perder definição (o que é comum em aparelho MPx),e o fone de ouvido mantém o padrão. O player nativo é bom para um uso moderado e pra quem quer ficar realmente conectado (por isso o nome Connected Music Player).

Outra coisa realmente interessante no aparelhos é a memória. 2GB internos, para você desfrutar que é uma beleza para instalar aplicativos. Não que isso não acabe nunca, mas que vai demorar vai. Apenas uma coisa foi notado, é que mesmo com ‘poucos’ aplicativos instalados, a memória estava com ‘apenas’ 1.3 GB livres. O que foi que ocupou tanta coisa assim nós não sabemos, mas que foi estranho foi. Não feliz com isso, você pode colocar um cartão de até 32GB microSD. Claro, o aparelho não tem FroYo para instalar aplicativos no SD, assim como um monte de aplicativos ainda não suportam essa função. Mas para um monte de música e vídeos, o cartão vai servir. E foi uma escolha sábia colocar 2GB internos no aparelho.

Benchmarks

As pessoas grandes gostam de números, já dizia o Pequeno Príncipe. Então fizemos vários testes no Defy, para mostrar como são seus números. O aparelho impressionou legal, principalmente na parte de vídeo. E lembrando a todos que vão começar a fazer comparações, ele ainda está no Android 2.1. Se chegar no 2.2, podemos esperar um ótimo ganho de velocidade. Vemos também pelas informações do Quadrant que a GPU dele é a mesma do Milestone, mas a CPU sendo melhor que a do Milestone, há uma melhoria.

Vemos que no Linpack, que é o Benchmark mais utilizado, o Defy não brilhou tanto não. Mas para gráficos foi muito bom. O Quadrant colocamos por desencargo, mesmo sabendo que ele tem alguns problemas e que não é absolutamente verdadeiro. Mas pelos números, vemos que o aparelho é muito bom para o preço.

O touch como já foi dito é bom. Tem apenas 2 pontos de contato, então pode ser que em um futuro onde um jogo/aplicativo precise de mais de 2 dedos na tela o aparelho não vai servir. Para ver a qualidade do touch usamos o aplicativo Touch Test. O GPS travou sem problemas também. Achamos um pouco mais lento que o Milestone, mas pegou os mesmos satélites, nos mesmo padrões (usamos o aplicativo GPS Test).

Sobre a bateria, como eu usei por pouco tempo não tenho muito o que dizer. Mas o Guma diz que a bateria está de parabéns, e não deixa ele na mão não. Consegue um dia de uso moderado sossegada. Outro ponto bom foi que não percebemos o aparelhos esquentando, mesmo com dados e GPS funcionando. E conforme disse o Guma, “se o aparelho esquentar demais eu jogo ele na água pra dar uma esfriada”.

Root, Bootloader, etc

Certo, a primeira coisa que um hardcore user vê em um aparelho novo com Android é se ele tem root. Não que isso seja estritamente necessário, mas tem coisas que só conseguimos fazer por enquanto com root (como é o caso dos screenshots dos benchmarks). Então o root é algo importante, dependendo de quem você for, e o que for fazer. Mas para isso, não é necessário passar updates, ou fazer coisas mirabolantes. O aplicativo Z4Root faz com um só clique e funciona perfeitamente bem, com um root permanente.

Bootloader travado? Ainda não sabemos, mas o XDA Developers está pipocando com custom ROMs para o Defy. São, na maioria, como as do Milestone: Nandroid Backups. Mas isso é realmente melhor do que nada. E quem sabe o Cyanogen dê uma passada por aqui também?

Outra boa notícia é que já sabemos como entrar no Recovery Menu. E já tem Custom Recovery pra ele, o Clockwork por sinal.

Para entrar no Recovery Menu do Motorola Defy:

  • Desligue o Telefone
  • Ligue segurando o botão de Volume pra baixo (Power + Volume pra baixo)
  • Quando você ver o Robozinho Verde, aperte o canto inferior direito da tela. Bingo!
  • O touch fica totalmente funcional. Então para entrar em alguma opção, aperte na opção, e clique no canto inferior esquerdo onde tem um OK para confirmar.
  • Já conseguiram também fazer Overclock no aparelho, e um número muito bom no Linpack depois disso (+ custom ROM) de 14 MFlops.

Bom, é isso. Espero que este REVIEW lhe ajude a escolher seu novo smartphones.

Um grande abraço!

Fonte: EuAndroid

"There was a young lady named Bright Whose speed was far faster than light; She set out one day In a relative way And returned on the previous night."

Comentários

Mais de Android

Dica

Mais Lidas

Reviews

Cultura Geek

Tutoriais

To Top