Conecte-se conosco
Xperia S

Android

Review: Sony Xperia S

Olá, meu nome é Elea e sou a mais nova integrante dessa turma de malucos por tecnologia aqui do Showmetech. Em minha estreia, vou contar para vocês um pouco sobre o Sony Xperia S, um smartphone surpreendente…

Xperia S

Olá, meu nome é Elea e sou a mais nova integrante dessa turma de malucos por tecnologia aqui do Showmetech. Em minha estreia, vou contar para vocês um pouco sobre o Sony Xperia S, um smartphone surpreendente e que não é exatamente novo. Chegou ao Brasil em junho de 2012, mas se destaca entre os concorrentes na mesma faixa de preço. Escolhi o aparelho para substituir meu Samsung Galaxy S velho de guerra que estava pedindo aposentadoria há meses!

Lá vamos nós…

Ao abrirmos a simpática caixa quadrada, encontramos o aparelho, um carregador de parede, um cabo de dados e o fone de ouvido intra-auricular (que vem com 3 pares de borrachinhas, para os mais variados tamanhos de orelhas!), além dos manuais. A bateria é embutida no telefone, mas a tampa traseira do aparelho é removível para que se possa introduzir o micro-SIM.

E já que estamos falando da “anatomia” do aparelho, ele possui um belo display de 4.3” de altíssima resolução. Do lado esquerdo encontramos a porta micro-USB, do lado direito uma porta micro-HDMI, os botões de volume e da câmera (sim, botão dedicado! :-)) , na parte de cima o botão power e a saída para fone de ouvido. Na parte de trás encontramos alinhados ao centro a câmera, o flash de LED e o auto falante e, na frente, acima da tela, está o LED de notificações, o sensor de luminosidade e de proximidade e a câmera frontal. O design do aparelho é elegante e o acabamento, excelente. A carcaça é feita de plástico fosco que não escorrega da mão, também pela curvatura da tampa traseira que garante uma empunhadura firme e segura (mas eu ainda não dispenso capinha e película…). Abaixo da tela, há uma faixa transparente que se ilumina quando a tela está acesa, onde estão os símbolos de “voltar”, “home” e “opções”. Esta última característica pode deixar o usuário confuso, dando a idéia de que os botões estão nessa faixa transparente quando, na verdade, estão acima dela, representados por pequenos pontos acima dos símbolos.

O Xperia S vem de fábrica com o Android 2.3.7 Gingerbread. Logo que liguei o aparelho já recebi duas notificações de atualização OTA para a versão 4.0.3 Ice Cream Sandwich e, em seguida para a versão 4.0.4. Há expectativa de atualização para 4.1 Jelly Bean nos próximos meses, já que os aparelhos que seriam atualizados antes do Xperia S já estão recebendo a versão das jujubas. (Isso fora do Brasil, é claro!)

O aparelho oferece suporte a NFC, tecnologia abordada aqui. Infelizmente não pude testá-la por falta de tags ou outro aparelho compatível com a tecnologia. O máximo que consegui foi ouvir um “beep” quando, com o NFC ativado, encostei meu cartão Bilhete Único no celular :-).

Display

Como já dito, a tela do Xperia S possui 4.3”, é feita de um vidro mineral resistente a arranhões (não se fala em Gorilla Glass), com resolução 1280×720 pixels, resultando num densidade de aproximadamente 342 ppi. A qualidade da tela é incrível, com cores vibrantes, excelente contraste e ótimos níveis de brilho, que possibilitam utilizar o aparelho de forma muito satisfatória tanto no escuro quanto no sol, mesmo quando não está no nível máximo.

Velocidade e Desempenho

O aparelho conta com um processador Qualcomm Snapdragon Dual Core de 1,5 GHz, GPU Adreno 220 e 1 GB de RAM. A interface personalizada pela Sony, Timescape, não é lá muito fluida. É pesada, sai da memória com facilidade e depois, para carregar a homescreen ou o menu novamente podemos notar uma certa demora, mas nada que um dos diversos launchers disponíveis no Google Play não dê jeito.

Oferece uma experiência surpreendente no quesito desempenho, rodando de forma lisa e sem engasgos os mais diversos aplicativos, vídeos (a partir de aplicativos de terceiros, o nativo é simples demais) e jogos (na verdade não sou muito fã de jogos complexos no smartphone, os jogos que pude atestar que rodam bem no aparelho são os mais simples, como Where’s my water, Fruit Ninja e Candy Crush Saga, resenhado aqui).

Aplicativos

Somente alguns dos aplicativos que vêm instalados no aparelho são realmente bons. O reprodutor de vídeos é bem ruim, nem suporte a legendas em formato *.srt tem. O aplicativo de Álbum de Fotos é bem bonito, simples e intuitivo, mas nada demais. O Timescape (agregador de redes sociais) é confuso e pouco intuitivo, o Track ID, identificador de músicas semelhante ao Shazam é razoável e o reprodutor de músicas Walkman é bom, só perde para o meu querido PowerAMP por não suportar troca de faixas pelo botão do fone de ouvido. Porém, duas funcionalidades bacanas são a incorporação do player à lockscreen e a possibilidade de compartilhar a música que você está ouvindo nas redes sociais que você já deve ter vinculado ao Timescape. Ainda temos instalado no aparelho o aplicativo Wisepilot, um navegador GPS bem interessante que utiliza mapas da Nokia (!) e vem com licença válida para apenas 30 dias. Entre os aplicativos de terceiros que já vêm instalados, há o McAfee Security (aplicativo de segurança, com anti vírus e outros utilitários), o Moxier Pro (cliente Exchange), o Neo Reader (leitor de códigos de barras e QR codes) e o Office Suite (aplicativo para visualização de documentos – não é possível editá-los na versão instalada).

Reprodução de vídeos

Como já disse, o aplicativo padrão de vídeos é ruim. Não há suporte a legendas em formato *.srt, não roda vídeos em *.mkv e nem testei mais nada pra não ficar com mais raiva. Ainda bem que no Google Play temos diversas opções de players, como o MX Player que acaba com essas limitações e torna possível a reprodução de quase qualquer formato de vídeo. E olha, assistir vídeos nessa telinha é uma experiência incrível! A imagem é sensacional e as cores vivas e brilhantes são muito bonitas mesmo!

Câmera

Aqui está mais um dos pontos fortes do aparelho: sua câmera de 12 MP com auto foco e flash de LED é fantástica, produz imagens com uma qualidade incrível e cores vibrantes (ainda que num primeiro momento, a visualização rápida depois que a foto é batida revele uma imagem ruim, quando a foto é exibida na galeria ou depois, fora do aparelho, percebe-se a qualidade altíssima da imagem). A filmagem em Full HD resulta em arquivos no formato *.mp4 com qualidade apenas razoável. Há também uma câmera frontal de 1,3 MP de ótima qualidade. O botão físico é um diferencial que agrada e muito aqueles que não têm muita coordenação para “caçar” o disparador na tela, além de ser uma mão na roda quando se quer tirar uma foto rápida, sem ter que desbloquear a tela e procurar o aplicativo da câmera.

Armazenamento

Não há suporte para micro-SD, mas o espaço para armazenamento interno é generoso, 32 GB, com cerca de 2 GB para instalação de aplicativos. Como o sistema usa uma fatia do armazenamento interno, sobram cerca de 26 GB, espaço suficiente para guardar uma grande quantidade de músicas, fotos, vídeos e outros arquivos.

Duração da bateria

Aí está um ponto crítico para (quase) qualquer smartphone. Com raras exceções, baterias de smartphones não duram o dia todo. Não tem choro nem vela, um hard user de smartphone está sempre à procura de tomadas ou portas USB onde possa alimentar seu companheiro de todas as horas para que este não morra de inanição. O Xperia S não é exceção e sua bateria de 1750 mAh não dura mais do que 5 horas de uso pesado ou 10h a 12h de uso moderado. Só para ter ideia, tiro o telefone do carregador por volta de 7h da manhã e, com 2h de música, alguns minutos de jogos e 3G ligado, por volta de 12h já estou com menos de 60% de carga. Se não conectá-lo à tomada ou USB, chego ao fim da tarde com menos de 30%. Já aconteceu de fazer um uso mais pesado e em menos de 3h a bateria chegar a 30% (isso usando GPS por mais ou menos 1h30, junto com música e 3G).

Preço e disponibilidade

O Xperia S pode ser encontrado facilmente nas grandes lojas e uma pesquisa rápida me retornou preços por volta de R$ 1300. Porém, volta e meia surgem promoções e o aparelho pode ser encontrado por cerca de R$ 1000.

Conclusão

O aparelho é surpreendente, ainda mais para quem já teve problemas com a antiga Sony Ericsson. A qualidade da tela e das câmeras são os pontos mais fortes, seguidos do design sóbrio, discreto e ao mesmo tempo moderno, além do desempenho acima da média para sua faixa de preço. O auto falante tem volume e qualidade impressionantes e a qualidade nas chamadas também é muito boa. Com a promessa de atualização para a versão Jelly Bean, o aparelho fica ainda mais atraente.

Especificações Técnicas

  • Cartão: Micro-SIM
  • Dimensões: 128 x 64 x 10.6 mm
  • Peso: 144 g
  • Tela: 4.3”, 720 x 1280 pixels, (~342 ppi)
  • Entrada para cartão de memória: Não
  • Armazenamento Interno: 32 GB
  • Conectividade: Wi-Fi 802.11 b/g/n, Wi-Fi Direct, DLNA, Wi-Fi hotspot, USB, HDMI, Bluetooth 2.1 com A2DP, NFC
  • Câmeras: principal 12 MP com flash LED e frontal 1,3 MP
  • Vídeo: principal 1080p, 30 fps e frontal 720p, 30 fps
  • Sistema Operacional: Android 4.0.4 Ice Cream Sandwich, com previsão de atualização para 4.1 Jelly Bean
  • CPU: Qualcomm MSM8260 Snapdragon 1,5 GHz Dual Core
  • GPU: Adreno 220
  • RAM: 1 GB
  • Sensores: Acelerômetro, giroscópio, proximidade, bússola
  • Bateria: Não removível, 1750 mAh

Administradora, louca por chocolate, música, tecnologia e literatura, não necessariamente nessa ordem.

Comentários

Mais de Android

Dica

Mais Lidas

Reviews

Cultura Geek

Tutoriais

To Top