Conecte-se conosco
Review: unidade de armazenamento para redes D-Link DNS-320L (NAS)

Computadores

Review: unidade de armazenamento para redes D-Link DNS-320L (NAS)

Mais conhecidos pela sigla inglesa NAS (Network Attached Storage), estes aparelhos funcionam como discos de armazenamento de dados, que podem ser acessados por qualquer computador conectado à rede doméstica ou, desde que devidamente autorizado, pela internet.

Review: unidade de armazenamento para redes D-Link DNS-320L (NAS)

Mais conhecidos pela sigla inglesa NAS (Network Attached Storage, termo em inglês), estes aparelhos funcionam como discos de armazenamento de dados, que podem ser acessados por qualquer computador conectado à rede doméstica ou, desde que devidamente autorizado, pela internet.

O modelo da D-Link, conhecido como DNS-320L, faz esta tarefa com o uso de até dois discos rígidos adicionados pelo usuário (os discos não acompanham o pacote original). Ainda, é possível adicionar uma terceira unidade (HD externo) através da entrada USB do aparelho. Com isso, qualquer computador conectado à rede pode fazer uso dos arquivos salvos nessas unidades.

Adicionar discos ao NAS da D-Link é bem simples. Basta remover a tampa e inserir um ou dois HDs na posição correta. A configuração, no entanto, não é das mais fáceis. HDs inseridos precisam ser, obrigatoriamente, formatados antes do primeiro uso, o que impede que o usuário já insira uma unidade com arquivos. E, dependendo da configuração da rede doméstica, o usuário poderá ter dificuldades em encontrar o NAS e acessá-lo de um computador conectado. O NAS é visto como um computador na rede, com pastas e acessos tradicionais.

Com a configuração bem sucedida, é possível acessar arquivos de notebooks, computadores, smartphones, tablets, media centers e Smart TVs conectadas. Também é possível configurar os computadores da rede para realizar backups automáticos no NAS. O modelo suporta, inclusive, download direto de torrents. Para isso, basta configurar o uTorrent ou outro programa para salvar o arquivo “.torrent” na pasta P2P que é criada automaticamente no NAS. Assim que o arquivo é salvo, o aparelho começa a fazer download do conteúdo sem o auxílio de um PC.

Funções mais avançadas são possíveis, mas são bem complicadas de configurar. Por exemplo, é possível transformar o D-Link DNS-320L em um servidor de mídia Plex, mesmo sem suporte oficial, mas isso vai exigir conhecimento avançado, instalação de plugins desenvolvidos independentemente e configuração de script.

Com dois discos instalados, também é possível configurá-los em modo RAID. Neste modo, também conhecido como “Conjunto Redundante de Discos Independentes“, é criado um sub-sistema de armazenamento composto por vários discos individuais, com a finalidade de ganhar segurança e desempenho. Noutras palavras, os dois discos trabalham simultaneamente para um mesmo fim e contém as mesmas informações, para o caso de um deles falhar.

Conclusão:

Custando em torno de R$519,00, o D-Link NAS DNS-320L pode ser uma boa opção para quem quer transformar antigos discos rígidos em centrais de armazenamento e backup. Mas, recomendamos a compra para quem tenha interesse em trabalhar com as configurações disponíveis do aparelho e queira testar os tutoriais disponíveis na internet para melhorar suas funções. Para outros, talvez seja mais prático trabalhar com unidades de disco rígido externas USB, que são mais fáceis de conectar e usar.

Para mais informações, visite o site do D-Link NAS DNS-320L.

Bruno A. Martinez é advogado, bancário e criador do Showmetech. E sim, todo mundo pergunta por que ele não estudou algum curso relacionado com tecnologia.

Comentários

Mais de Computadores

Dica

Mais Lidas

Reviews

Cultura Geek

Tutoriais

To Top