Conecte-se conosco
wii-u-gamepad

GADGETS

Review: Wii U, vale a pena comprar o console da Nintendo?

wii_u_gamepad_black_shiny-review

Lançado em 2012, o Wii U foi o primeiro console de mesa da oitava geração a chegar ao mercado trazendo como nova funcionalidade o GamePad. Testamos o console da Nintendo (que faz hoje 125 anos) para tirarmos a prova se ele está à altura de seus concorrentes, o Playstation 4 e o Xbox One. Ainda está indeciso em qual comprar? Talvez possamos ajudar.

Design e Acabamento:

wii-u-gamepad

O Wii U seguiu o padrão de design já trazido no Wii, sendo apenas um bloco de plástico branco (na versão básica) ou preto (na versão de luxo), sem intuito algum de chamar atenção, esta por sua vez é roubada totalmente pelo novo Gamepad.

O GamePad traz consigo além dos controles padrões: direcionais e analógico do lado esquerdo, analógico e botões de ação A, B, X e Y do lado direito, botões Home, TV e de energia embaixo da tela, que são fundos para evitar apertos acidentais, e botões de ombro L, ZL, R e ZR. Ele conta com uma tela de 6,2” com resolução FWVGA (854×480), uma densidade de 158 ppi e uma tecnologia touchscreen resistiva. Além da tela, outras novidades do GamePad são a câmera frontal, sensores de movimento, a Porta IR e o porta Stylus (a caneta utilizada na tela touch).

Apesar de ser bem grande, o GamePad é bem leve e não chega a cansar os braços durante a jogatina. Os analógicos são bem firmes e a tela é bem responsiva mesmo utilizando os dedos, sendo uma das melhores telas resistivas que já usei. O console foi feito para ficar deitado, entretanto, a versão de luxo traz na caixa um par de suportes que encaixam na lateral do console para que ele possa ficar em pé, economizando um bom espaço na sua estante.

Desempenho:

O Wii U, apesar de não chegar ao nível de hardware dos atuais concorrentes, não faz feio na hora de rodar jogos mais pesados. Vamos às especificações:

  • CPU: IBM Power PC 750 personalizado “Espresso” 1.24 GHz com manufatura de 45nm e com três núcleos de processamento;
  • GPU: AMD GPU “Latte” semelhante a 4650/4670 personalizada, com menos unidades de mapeamento de texturas e um clock menor, de apenas 550 MHz75.
  • Memória RAM: 2 GB RAM DDR3, memória Hynix, que traz uma velocidade de escrita máxima de 12.8 GB/s, da qual se acredita que metade (1 GB) seja usada para o sistema operacional do aparelho, e o restante (1 GB) para os jogos;
  • eDRAM: 32 MBs de memória eDRAM;
  • Armazenamento: Wii U usa uma memória flash interna, tendo duas versões: 32 GB e 8 GB, que após as atualizações obrigatórias do sistema operacional apresenta 25 GB e 3 GB livres, respectivamente. Conta também com 4 entradas USB 2.0 e tem compatibilidade com HDs de até 2 TBs e com cartões SD de até 32 GBs;
  • Mídia: Utiliza a memória interna do Wii U e também discos ópticos proprietários de camada única que comporta 25 GBs ou de dupla camada que comporta 50 GBs com velocidade máxima de leitura de 22.5 MB/s, também consegue ler os discos ópticos do Nintendo Wii, mas não é compatível com os discos ópticos de Nintendo Game Cube, e sem suporte a reprodução de DVD e Blu Ray;
  • Conexão com Internet: O Wii U pode acessar a Internet via conexão sem fio (IEEE 802.11b/g). O console possui quatro conectores USB 2.0 – dois na frente e dois na parte traseira – que suportam adaptadores Wii LAN, vendidos separadamente, ou seja, para conexão em rede com fio é necessária a compra de um adaptador;
  • Compatibilidade com Wii: Quase todos os softwares e acessórios do Nintendo Wii podem ser usados com o Wii U;
  • Áudio: Usa seis canais de saída PCM linear via HDMI conector ou saída analógica através do Multi AV Out conector;
  • Vídeo: Suporta 1080p, 1080p 3D, 1080i, 720p, 720p 3D, 480p e 480i. Cabos compatíveis incluem HDMI 1.4, Wii D-Terminal, Wii Vídeo Componente, RGB do Wii, Wii S-Video AV estéreo e Wii AV;
  • Controladores: O Wii U é capaz de suportar dois controladores Wii U Gamepad, até quatro Wii Remote (ou Wii Remote Plus) ou Wii U Pro Controller e acessórios do Wii como o Nunchuk, Classic Controller e Wii Balance Board.

Todos os jogos testados rodam diretamente da mídia, sem a necessidade de instalação de conteúdo na memória interna do console. O que se faz um ótimo recurso para aqueles momentos em que pegamos um jogo novo e estamos ávidos para jogá-lo.

Usabilidade:

O Wii U possui algumas funcionalidades extras: Acesso à streaming de vídeo (YouTube e Netflix) por aplicativos; navegador de internet, um dos melhores que já vi em consoles, principalmente pela liberdade que a tela touch proporciona; acesso ao MiiVerse, que foi ampliado, podendo haver interação entre jogadores mesmo dentro dos jogos como pode ser observado nos jogos New Super Mario Bros. U e The Legend of Zelda: The Wind Waker HD.

O console leva um tempo considerável para ligar. Para sanar essa falha, a Nintendo incluiu no sistema um Quick Start menu. Ao pressionar o botão de energia, o Quick Start aparece instantaneamente com as 10 ultimas funções utilizadas pelo usuário, fazendo com que assim você possa ir direto para o aplicativo, agilizando muito mais o processo. É possível também ir para o menu do Wii U através do Quick Start. Além disso, o console fica constantemente conectado. Podendo receber novidades mesmo quando desligado. Nesse caso, o botão Home do GamePad fica pulsando em azul, então basta pressioná-lo para verificar qual a novidade, que pode variar de notícias à lançamentos de DLCs e novos jogos.

quick start

Jogabilidade:

Esse é o forte do Wii U. Alguns jogos reproduzem na tela do GamePad o mesmo conteúdo da tv, podendo assim desligar a TV para jogar usando apenas o GamePad ou, caso alguém queira assistir alguma outra programação, você pode utilizar fones de ouvido (do tipo P2) para que não incomode outras pessoas nem seja incomodado pelo som da TV. O alcance do GamePad é bom, mas essa distância cai drasticamente quando tem que atravessar paredes.

Alguns outros jogos trazem conteúdos diferentes na tela do GamePad. Por exemplo o Zombie U, que traz o mapa e o acesso ao inventário na tela do GamePad, ficando na tela apenas o jogo. Graças à isso, ao acessar o inventário através do GamePad, você poderá pular da cadeira quando um zumbi lhe atacar repentinamente.

Os sensores do GamePad permitem a utilização do mesmo para certos gestos: mirar em Zombie U, Resident Evil Revelations, The Legend of Zelda: The Wind Waker HD, entre outros, pode ser feito através do movimento do GamePad, o que torna a mira muito mais precisa.

Apesar do GamePad já ser confortável para jogar vários tipos de jogos, a Nintendo também disponibilizou o Wii U Controller Pro, com uma pegada mais prática e direta. O console também funciona com todos os controles do Wii. Atenção apenas no momento de comprar o jogo: na parte de trás da caixa há a indicação para quais controles o jogo é compatível.

O Wii U possui também um emulador de Wii nativo. Caso queira aproveitar as mídias do seu velho Wii, basta utilizar a opção Wii Menu, assim o Wii U vai simular o funcionamento do Wii. Nesse modo, os controles do Wii U não funcionarão nos jogos. O GamePad poderá funcionar como TV, exibindo o conteúdo e utilizando a câmera para reconhecimento dos controles (mesma função do Sensor Bar).

Jogos:

De acordo com a Nintendo: “Software vende hardware”. Esta afirmação se provou verdadeira com o Wii, que apesar de ser inferior que seus concorrentes, Playstation 3 e Xbox 360, em questão de hardware, atingiu um número de vendas muito maior. Por isso, listarei os 10 jogos que em nossa opinião são indispensáveis a qualquer possuidor de um Wii U:

 

New Super Mario Bros. U

Clássico dos vídeo games, o encanador mais famoso do mundo volta em uma nova aventura cheia de ação e sequencias de tirar o fôlego. Caso deseje apenas finalizar o jogo, o desafio será razoável, entretanto, caso seu objetivo seja o 100%, boa sorte. Diversas passagens do jogo são realmente complicadas exigindo uma coordenação motora digna da velha guarda.

Caso seu objetivo seja a diversão: junte-se com mais 4 amigos para jogar simultaneamente as fases desse fantástico jogo.

 

Super Mario 3D World

O que era bom, ficou maior e melhor. Super Mario 3D Land foi um sucesso no 3DS, e Super Mario 3D World não poderia ser diferente. Jogável com até 4 players simultaneamente, Super Mario 3D World é diversão garantida.

 

Mario Kart 8

Considerado o lançamento do ano da Nintendo, Mario Kart 8 foi capaz de triplicar as vendas do console, e não foi por acaso.

Aos mais velhos que sentiam falta do Super Mario Kart e sua alta dificuldade, finalmente nossos pedidos foram atendidos: Mario Kart está mais desafiador do que nunca, com gráficos lindíssimos, possibilidade de personalização do Kart (característica que se iniciou com o Mario Kart 7), com possibilidade de 4 players simultaneamente e até 12 players em rede, o maior elenco da história dos Mario Kart, que foi recentemente ampliado com as novas DLCs e mais pistas do que nunca: Agora contamos com 12 copas (8 do jogo original +4 das DLCs). O novo sistema anti-gravidade também não fez feio trazendo mais possibilidades dentro do jogo.

 

Xenoblade Chronicles X

Jogo de RPG tradicional como só os japoneses conseguem fazer. Xenoblade já é aguardado desde seu primeiro teaser, até então intitulado “X”, exibido na Nintendo Direct de janeiro de 2013.

 

Zombie U

Zombie U não é um jogo com enredo fantástico ou uma história comovente, mas sim um jogo que explora a jogabilidade com o gamepad para fazer o que um jogo de terror deve fazer: Assustar. No jogo, frequentemente é necessário desviar a atenção da TV para o GamePad a fim de utilizar funções como inventário, mapas e abertura de fechaduras. É nesse momento que o jogo vai lhe fazer saltar da cadeira colocando um zumbi lhe atacando repentinamente. Recomendo amarrar o GamePad na mão para diminuir os riscos.

 

Donkey Kong: Tropical Freeze

De volta às telonas, Donkey parte em mais uma aventura. Desta vez com gráficos estonteantes, cenários hipnotizantes e uma dificuldade que o faz um jogo inadequado para crianças. Mais do que elogiado e premiado, a franquia que fez a Nintendo dar os primeiros passos no mundo dos vídeo games veio em sua maior aventura.

 

The Legend of Zelda: The Wind Waker HD

Mais que um remake. Uma nova oportunidade de reviver a grandiosa aventura de Link através dos mares para salvar sua irmã. Além da resolução em Full HD, novos efeitos de iluminação foram adicionados ao jogo. Sem contar nas funcionalidades do GamePad, que serve como mapa, inventário e mira. The Wind Waker é, sem dúvidas, um dos maiores títulos desta grandiosa franquia e, sua versão em HD é título mais que obrigatório para quem não teve oportunidade de jogar no GameCube.

Bayonetta 2

Bayonetta está de volta, mas agora exclusivamente no Wii U. Com ação incessante, gráficos de encher os olhos e cenas de tirar o fôlego, Bayonetta é um dos títulos mais aguardados em 2015 para o Wii U.

 

Super Smash Bros

Muitos tentam imitar, mas nenhum consegue ser tão divertido quanto Smash Bros. Jogar com mais 3 amigos é diversão garantida e motivo para muitas brigas.

Super Smash Bros traz os grandes nomes das franquias da Nintendo em combates absolutamente insanos de tirar o fôlego. Desde sempre foi motivo para reunir os amigos em frente à TV para boas horas de jogatina, esse não poderia ser diferente.

 

Hyrule Warriors

Por ultimo, mas não menos importante: Hyrule Warriors, o cross over de duas das minhas franquias favoritas (The Legend of Zelda e Dynasty Warriors) trazendo ao universo de Hyrule as batalhas intensas da franquia Warriors. Hyrule Warriors já se encontra em pré-venda, e eu já garanti o meu.

Conclusão:

Sem dúvidas, quando se trata de diversão e entretenimento em jogos eletrônicos, a Nintendo sabe o que faz. O Wii U, apesar de não possuir tanto poder de fogo quanto os concorrentes, sabe bem onde atira, trazendo um console muito bom de jogar. Melhor ainda só com os amigos.

Não é de hoje que os títulos da Nintendo são de qualidade impecável, que foi seu grande diferencial na era 8-bits. Jogos como os da franquia Mario, Zelda e Donkey Kong são realmente compras garantidas. Muitos dizem que os concorrentes são maiores e entregam mais realismo e gráficos, mas o importante nos jogos é a diversão, o entretenimento e o prazer proporcionado pela experiência, e aqui isso é praticamente certo.

Assíduo jogador de video-games e humilde colecionador.. Nintendista desde criança, Sonysta depois de adulto e.. e.. não sei qual seria o adjetivo para um fã da Microsoft, mas é isso aí..

Comentários

Mais de GADGETS

Dica

Mais Lidas

Reviews

Cultura Geek

Tutoriais

To Top