A380 da airbus

Pela 1ª vez, motor de hidrogênio será testado no Airbus A380

Avatar of victor pacheco
Maior avião de passageiros do mundo foi descontinuado em 2021 e servirá de plataforma de testes de motor a hidrogênio. Voo com passageiros deve ocorrer em 2035

A fabricante de aviões Airbus fechou uma parceria com a CFM International (formada pela Safran e a General Electric, também conhecida como GE) para que o A380 — maior avião comercial de passageiros do mundo, com capacidade de transportar até 853 pessoas — consiga, em breve, funcionar com um motor de hidrogênio. Isso resolveria o problema de emissão de carbono e pela primeira vez, voos comerciais seriam mais sustentáveis.

O primeiro voo com humanos está previsto para acontecer em 2035, mas os testes com a aeronave começam em 2026. Entenda como a tecnologia funcionará e como isso é importante para as mudanças climáticas agora mesmo.

Focos da Airbus para zerar emissão de carbono

Apesar do primeiro voo do A380 com motor movido a hidrogênio acontecer daqui a 13 anos, a data está dentro da meta do setor de transporte aéreo global (Air Transport Action Group) de zerar a emissão de carbono até 2050.

É importante ressaltar que este não será o primeiro projeto da Airbus com foco no desenvolvimento de aviões com motor a hidrogênio. Durante setembro de 2020, a empresa apresentou três projetos de aviões que funcionarão com a mesma tecnologia e a meta é que os modelos também estejam prontos para voar até 2035.

Projetos da airbus de avião com motor de hidrogênio
Empresa está focada em zerar emissão de carbono em suas aeronaves e está desenvolvendo diversos projetos ao mesmo tempo (Foto: AirBus)

A Airbus também anunciou a abertura de dois Centros de Desenvolvimento de Emissão Zero (ZDEC, na sigla em inglês) para a criar seu tanque de combustível para hidrogênio. Os centros ficarão localizados em Bremen, na Alemanha, e Nantes, na França. Espera-se que tudo esteja pronto até 2023. Confira o vídeo de apresentação:

Dessa forma, espera-se que a Airbus e a CFM estejam apresentando novidades para o mercado de aviação nos próximos 15 anos para que possamos viver em um mundo onde a emissão de carbono das aeronaves em voos comerciais seja praticamente zero. As companhias não informaram sobre o valor necessário para que o avião seja completamente reformado.

Funcionamento de avião com motor de hidrogênio

Para que o A380 consiga levantar voo e passar a emitir uma quantidade menor de carbono, será necessário uma série de modificações. Isso porque o hidrogênio precisa ser armazenado a uma temperatura de -250ºC para que a combustão aconteça. Este vídeo publicado no canal da Airbus no YouTube explica que quatro tanques serão instalados na cauda (o “final”) do avião, conectados diretamente com a turbina de testes, que será acoplada em um suporte especial diretamente na fuselagem do avião:

Os tanques que hoje em dia armazenam querosene de aviação também precisarão ser adaptados para as variações térmicas e de pressão. Se espera que os tanques de um avião com motor a hidrogênio sejam de metal, mas podem haver mudanças para que compostos de polímero reforçados com fibra de carbono sejam utilizados. A ideia faz parte do projeto #ZEROe da Airbus, que é focado na emissão zero de carbono.

A380 adaptado para receber motor a hidrogênio
Motor a hidrogênio seria conectado diretamente com as turbinas (Foto: Reprodução/Airbus)

E por que utilizar o hidrogênio como combustível? Por um simples motivo: diferente dos combustíveis fósseis, a queima do hidrogênio não produz gás carbônico e outros poluentes derivados do carbono — além de ser uma fonte de energia renovável.

Começo dos voos

Fabricada em 2005, a aeronave Airbus A380 com número de série MSN 001 foi escolhida para que os primeiros testes sejam realizados. Esta aeronave específica foi o primeiro protótipo fabricado pela companhia para testes e homologação, sendo o único modelo pré-produção que ainda encontra-se em condições de voo — as demais aeronaves foram destruídas ou encaminhadas para museus.

Vale comentar que o programa A380 foi descontinuado em 2021 — como reflexo da necessidade de aviões menores e mais eficientes — sendo feita a entrega da última aeronave para a companhia aérea Emirates em 16/12/2021.

Como será necessário redesenhar quase praticamente todo o cockpit da aeronave para que os tanques de hidrogênio sejam instalados, os especialistas apontam que tudo esteja pronto até 2026. Depois disso, a Airbus e CFM International solicitaram que mais nove anos sejam utilizados para aprimoramento da tecnologia e os passageiros comuns possam viajar no modelo com motor a hidrogênio. Se espera que os primeiros voos comerciais sejam iniciados em 2035.

O A380 MSN1 é uma excelente plataforma de laboratório de voo para novas tecnologias de hidrogênio. É uma plataforma segura e confiável que é altamente versátil para testar uma ampla gama de tecnologias de emissão zero.  Além disso, a plataforma pode acomodar confortavelmente a grande instrumentação de teste de voo que será necessária para analisar o desempenho do hidrogênio no sistema de propulsão de hidrogênio.

Mathias Andriamisaina, líder do Demonstrador Airbus ZEROe

Todo o trabalho será feito pela Safran e a GE, que juntas possuem anos de experiência no mercado de motor a hidrogênio. Um extenso teste em solo será realizado antes do modelo realmente levantar voo e pessoas estarem dentro do avião. O canal do Area151 – O Bunker do Zé fez um vídeo especial para explicar todos os detalhes sobre a novidade da AirBus, recomendamos que você assista para entender o assunto de uma forma mais detalhada:

A plataforma MSN 001 foi indicada como ideal para que os testes sejam realizados e as empresas estão animadas com a possibilidade de realizar voos com motor a hidrogênio.

A capacidade de combustão de hidrogênio é uma das tecnologias fundamentais que estamos desenvolvendo e amadurecendo

Gaël Méheust, presidente e CEO da CFM.

Veja também

Os modelos de avião com motor a hidrogênio foram citados em nossa matéria especial sobre as 22 tecnologias que irão brilhar em durante este ano. Veja o avanço de mais empresas e como os estudos estão acontecendo.

Fontes: NewsRoom e Simple Flying

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Total
1
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados