Amazon lança 1º Prêmio Alexa de Acessibilidade que vai pagar até R$ 10 mil

O Prêmio Alexa de Acessibilidade vai pagar até R$ 10 mil para desenvolvedores que criem novas skills voltadas às pessoas com deficiência
O Prêmio Alexa de Acessibilidade é voltado para os desenvolvedores, que também devem escolher uma ONG para receber até R$ 50 mil
Anúncio
Amazon lança 1º Prêmio Alexa de Acessibilidade que vai pagar até R$ 10 mil

Nesta terça-feira, 25, a Amazon Brasil lança o 1º Prêmio Alexa de Acessibilidade. Com o objetivo de dar mais autonomia à vida das pessoas com deficiências, o prêmio pretende incentivar a criação de novos aplicativos para que a assistente virtual da Amazon amplie o apoio a este público.

O projeto, que é conduzido em parceria com a AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente), a Fundação Dorina Nowill para Cegos e Instituto Jô Clemente, visa reconhecer os desenvolvedores que usarem a inteligência artificial para melhorar a qualidade de vida dos deficientes.

A avaliação das skills seguirá alguns critérios objetivos, como: usabilidade, qualidade do desenvolvimento, design, experiência do usuário e o real impacto na vida das pessoas com deficiências.

Os primeiros 300 profissionais que disponibilizarem novas skills, elegíveis ao prêmio, na loja de aplicativos da Alexa ganharão um exemplar da Echo Dot, a versão clássica da linha.

Para a final do prêmio serão convocados os 10 melhores desenvolvedores com suas skills. Estes vão apresentar seus projetos em uma rodada de pitching -uma espécie de apresentação- onde serão avaliados por um júri, segundo os critérios mencionados.

Este juri será composto por representantes da Amazon, das ONGs parceiras e por pessoas que vivem com variados tipos de deficiências e que são apoiadas por essas instituições.

O Prêmio Alexa de Acessibilidade vai pagar até R$ 10 mil para desenvolvedores que criem novas skills voltadas às pessoas com deficiência

Premiação

Além da premiação para os primeiros 300 skills elegíveis, há uma premiação para os três melhores trabalhos.

O primeiro lugar vai receber R$ 10 mil mais um Echo Studio, o principal dispositivo da linha no Brasil. O segundo lugar leva R$ 5 mil mais um Echo Show 8, que é a versão com tela de 8″. Já o terceiro colocado deve ganhar também um Echo Show 8 mais um kit de casa inteligente, com produtos para automatizar os ambientes.

Além disso, cada um dos três primeiros colocados vai poder escolher uma ONG, entre uma lista de 9 pré-selecionadas pela Amazon, para receber doações de R$ 50 mil, R$ 35 mil e R$ 15 mil, respectivamente, de acordo com a sua classificação. Segundo a marca, essa doação será feita no nome dos vencedores.

A gerente de marketing para Alexa na Amazon, Thais Cunha, explica que a ideia de lançar um prêmio para novos skills voltados ao público com deficiência veio após a manifestação, dos próprios usuários com deficiência, sobre os benefícios da Alexa para a vida deles.

“A ideia deste projeto é levar mais facilidade para a vida dessas pessoas. É levar voz e usar os desenvolvedores para dar visibilidade para esse grupo e para essa causa tão importante”, afirma Thais.

Inscrições para o Prêmio Alexa de Acessibilidade

As inscrições para o Prêmio Alexa de Acessibilidade já estão abertas e seguem até as 23h59, de 17 de dezembro. Após este período, os aplicativos seguem para avaliação, que deve acontecer durante todo o mês de janeiro de 2021.

A premiação oficial está pré-agendada para o mês de fevereiro de 2021, em data a ser divulgada posteriormente. Os interessados podem se inscrever no site do prêmio: http://www.premioalexa.com.br/, onde também poderão tirar suas dúvidas.

A cara do Prêmio

A ex-ginasta olímpica e ex-atleta de ski aéreo, Laís Sousa, é a embaixadora do Prêmio. Depois de sofrer um acidente enquanto treinava para as Olimpíadas de Inverno em Sochi, na Rússia, ela ficou tetraplégica.

Laís explica que com a Alexa conseguiu fazer algumas tarefas que não fazia sozinha há muito tempo, como acender a luz, ligar a TV e até o ar-condicionado. Para ela, “o Prêmio Alexa de Acessibilidade vai dar visibilidade para nós, pessoas com deficiências, que necessitam da tecnologia -não só como uma soma, mas como transformação: liberdade e independência para viver melhor”.

O que achou do prêmio? Comente abaixo. E se você conhece algum desenvolvedor, compartilhe esta notícia nas redes sociais.

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine nossa Newsletter