Apple anuncia venda de partes para consertar seu iphone em casa

Apple venderá peças para você consertar seu iPhone ou Mac em casa!

Avatar of ítalo magno
Apple anuncia que venderá peças de seus eletrônicos para que você mesmo possa consertar seu iPhone ou Mac, sem sair de casa!

A Apple, empresa responsável pelos iPhones e Macs, anunciou neste dia 17 a venda de peças e ferramentas de seus eletrônicos separadamente para consumidores que preferem consertar seu iPhone ou seu Mac em casa, sem a necessidade de ir até uma loja autorizada ou de terceiros, o que mostra uma grande mudança para a empresa.

A empresa relatou que as peças estarão disponíveis para iPhones de modelo 12 e 13, e para Macs com o chip M1, ao longo de 2022 (exclusivamente para os EUA no começo do ano, e para o resto do mundo ao decorrer de 2022).

Como assim “uma grande mudança”?

A Apple tem um histórico bem conhecido de não facilitar os consertos e ajustes de seus produtos por parte dos consumidores, seja por mão deles próprios ou de serviços terceirizados, indo ao encontro do movimento “Right to Repair” (“direito de consertar”, em tradução livre), cujos membros protestam contra a pouca durabilidade dos eletrônicos e a falta de suporte ao conserto doméstico destes por parte das grandes corporações. O anúncio de venda de partes separadamente mostra uma mudança deste comportamento por parte da Apple.

Imagem fornecida pela apple mostrando cliente em processo de consertar seu iphone
Consumidores poderão finalmente ter acesso às ferramentas e peças para modificar seus próprios aparelhos.
Imagem: Apple

O movimento “Right to Repair”

A baixa durabilidade de equipamentos eletrônicos atualmente — considerando que aparelhos não chegam a durar nem 5 anos — vem sido constantemente questionada nos últimos anos, englobando um caso em 2017 onde a Apple foi processada por deixar aparelhos eletrônicos antigos mais lentos e menos funcionais propositalmente.

Estas práticas, além da exclusividade relativa à manutenção de aparelhos pela própria Apple e da preocupação com a geração exacerbada de lixo eletrônico, estão dentre os principais motivos que levaram ao movimento Right to Repair, que busca reivindicar o direito do consumidor de consertar seu iPhone, Mac e quaisquer outros equipamentos, e exigir uma durabilidade maior dos eletrônicos das grandes empresas.

Imagem demonstrando um anúncio do movimento right to repair
“8 em cada 10 europeus concordam que empresas devem deixar os reparos de seus aparelhos digitais mais acessíveis”.
Imagem: Right to Repair

O movimento tem bastante força nos EUA e na Europa, e em lugares como o Reino Unido, as empresas são obrigadas por lei a fornecerem peças e materiais para conserto de seus aparelhos por parte de seus consumidores, sujeitas a multas caso contrário. É facilmente presumível que o alcance do movimento, especialmente nos EUA, tenha tido influência no anúncio de peças pela Apple.

O novo programa “Self Service Repair”

A mudança tomada pela Apple foi anunciada através do projeto Self Service Repair (“conserto próprio”, em tradução livre), no qual a empresa anunciou prestar suporte através não apenas do fornecimento das peças e materiais, mas também através de manuais de instruções inclusos junto a estes, que mostram ao consumidor um passo a passo de como desmontar, montar e consertar seu iPhone e outros aparelhos da marca.

De acordo com o site da própria Apple, os clientes poderão procurar pelos materiais e peças não apenas online, mas também em mais de 5000 lojas autorizadas Apple e mais de 2800 provedores terceirizados. O programa inicialmente focará nos ajustes e modificações de câmera, bateria e display dos aparelhos, e reparos adicionais serão introduzidos com o passar do tempo em 2022.

Aparelhos iphone 12 e 13 são os primeiros a receber auxílio do programa da empresa
Os aparelhos iPhone 12 e 13, mostrados acima, são os primeiros a receber o suporte do programa da empresa.
Imagem: MacMagazine

É válido apontar que o serviço prestado pela empresa apenas cobrirá garantia de seus aparelhos caso estes se encontrem em estado que se enquadre no que é estabelecido nas instruções, dado que qualquer mudança que não esteja prevista encerrará o período de garantia. Portanto, a empresa reitera que o serviço é voltado primariamente aos consumidores que já possuem alguma experiência com reparo de aparelhos eletrônicos, ainda sugerindo que os consumidores que não querem se aventurar compareçam a distribuidoras autorizadas.

Dito isto, as peças, ferramentas e manuais também estarão disponíveis através de lojas terceirizadas, oferecendo opções um pouco mais em conta de modificação e conserto caso os clientes prefiram não se arriscar a consertar os eletrônicos em casa.

Leia também

Confira 10 dicas para customizar seu iPhone 13:

Fonte: The Verge, Apple, TechCrunch

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Total
10
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados