Apple vai procurar fotos íntimas no iPhone para combater abuso infantil

Apple vai procurar fotos íntimas no iphone para combater abuso infantil
O recurso chega no aplicativo Mensagens para iPhone, iPad e Mac, para usuários nos EUA. Especialistas alertam para possíveis problemas de privacidade

Com o avanço da tecnologia, nós somos agraciados com as facilidades que nos são concedidas no dia a dia, mas, por outro lado, quem quer utilizá-la com más intenções, infelizmente também o fará. Neste caso estamos falando sobre abuso sexual infantil, onde pessoas mandam fotos íntimas (nudes) para crianças, ou solicitam que os menores enviem suas próprias fotos íntimas. Pensando em evitar esse tipo de situação, a Apple implementará um sistema que reconhece fotos íntimas no iPhone, iPad, Apple Watch e iMac. Claro que esse tipo de tecnologia preocupa quem já pensa na privacidade do aparelho em si, então vamos entender um pouco mais sobre a novidade.

Este é um programa ambicioso, e proteger as crianças é uma responsabilidade importante. Esses esforços evoluirão e expandirão com o tempo

Apple, sobre o novo recurso contra pedofilia

Como funcionará este sistema?

Recentemente a Apple divulgou uma nota informando aos seus usuários que, ainda em 2021, a empresa implementará o sistema que identifica fotos íntimas em seus aparelhos — no caso, dispositivos que estejam pelo menos no iOS 15, iPadOS 15, watchOS 8 e macOS Monterey — através do aplicativo Mensagens, um dos mensageiros mais populares nos Estados Unidos. A intenção é evitar e diminuir casos de pedofilia e abuso infantil que vêm crescendo ultimamente, principalmente no que tange à tecnologia, uma facilitadora em vários aspectos.

A princípio este novo recurso funcionará identificando apenas nudes que são trocadas indevidamente — até o momento, sem menção a vídeos. Quando a criança ou o adolescente receber ou enviar uma foto íntima, o recurso utilizará de sua inteligência artificial para reconhecer se aquele é um conteúdo sexualmente explícito ou não, e caso seja, a foto será borrada com uma mensagem dizendo que aquela é uma foto que pode ser inapropriada, e se a criança quer realmente abrir a foto. Ainda há uma mensagem dizendo que, se ela escolher ver a foto, seus pais serão notificados para garantir que está tudo bem.

Apple vai procurar fotos íntimas no iphone para combater abuso infantil
1ª imagem: informando sobre o novo sistema; 2ª imagem: como é enviada a foto censurada; 3ª imagem: notificação de imagem inapropriada; 4ª imagem: informando que se você abrir a imagem, seus pais serão notificados.

O mesmo ocorrerá na via inversa: se uma criança ou adolescente enviar uma foto íntima, o sistema enviará uma mensagem perguntando se a criança quer mesmo enviar aquela foto, pois há conteúdo inapropriado, e, caso ela confirme, seus pais serão imediatamente notificados do que houve. O recurso estará disponível no momento em que pais vinculam os smartphones de seus filhos às suas contas principais, indicando que tais aparelhos são de seus filhos menores, então o sistema estará implementando nessas contas. Os pais são notificados quando envolvidas crianças de até 12 anos. De 13 a 17, apenas a criança será notificada.

Tudo isso pode dar margem para que as pessoas questionem sobre a integridade de suas privacidades, pois se a empresa consegue realizar esse tipo de ação, com certeza há quem questione seus métodos. A Apple fez questão de reforçar que tudo será feito via inteligência artificial nos próprios dispositivos, ou seja, essas fotos não serão enviadas à Apple ou guardadas em seus servidores.

Outros meios de enviar nudes

Neste caso a Apple está investindo num sistema de segurança às crianças em seu mensageiro nato, o Mensagens, o que implica no não controle dos pais em relação aos outros meios de envio desse tipo de conteúdo. Qualquer um pode utilizar sua conta das redes sociais, como Facebook ou Instagram, para trocar fotos e vídeos íntimos, por isso fica o alerta aos pais de sempre ficarem de olho e monitorarem as redes sociais de suas crianças e/ou adolescentes, e ter a consciência de alertá-los aos males que circulam a internet e o que há também fora dela.

Dados sobre pedofilia

Com a pandemia da COVID-19, muitas pessoas estão ficando em casa — incluindo as crianças e adolescentes, com suspensão das aulas presenciais — e o uso de smartphones, computadores e tablets aumentou, bem como a ociosidade. Esta situação cria oportunidade para que os menores se comuniquem através de meios digitais, e abre portas para conhecer desconhecidos. De acordo com estudos recentes, 1 em cada 5 garotas de 13 a 17 anos já disseram ter enviado fotos íntimas, e o mesmo ocorre em 1 a cada 10 garotos.

Cropped hands typing on mobile phone in dark
Apesar do novo sistema ser exclusivo do aplicativo Mensagens, é necessário ficar de olho nas redes sociais das crianças

Infelizmente, a maioria das crianças não possui um completo entendimento do quão prejudicial pode ser o envio desse tipo de conteúdo, o que pode levar o criminoso a ir além, como consumação do ato, extorsão, chantagem e etc. Apesar das informações se concentrarem na realidade dos Estados Unidos, pedofilia e abuso sexual infantil é um assunto de preocupação mundial. Toda informação ou proteção às crianças será sempre bem-vinda.

Especialistas sobre segurança e privacidade

Profissionais e especialistas da área dizem que a intenção pode até ser boa, mas que devemos ficar atentos às possibilidades. Eles dizem que, se há uma ferramenta hoje em dia que consegue fazer esse tipo de escaneamento num aparelho, possivelmente será possível realizar qualquer tipo de análise posterior. Governos autoritários também podem abusar desse tipo de tecnologia, por exemplo, em países em que ser LGBTQIA+ é crime e utilizar para caçar essas pessoas.

Veja também:

Ainda sobre a gigante da tecnologia, confira como fazer login com o Face ID e Touch ID.

Fonte: Apple.

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:
Tags

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário