Review: beta de diablo ii resurrected dá um panorama satisfatório aos fãs da saga

REVIEW: Beta de Diablo II Resurrected dá um panorama satisfatório aos fãs da saga

Avatar of fernando gomes
Nova remasterização do clássico RPG de fantasia está de volta em uma versão Beta cujo gameplay é simpático, embora ainda não esteja totalmente polido

Mais um clássico RPG de ação está voltando em uma versão remasterizada. Diablo II Resurrected é a reinvenção do antigo título lançado em 2000, que ficou famoso por explorar o tema fantasioso com o estilo de gameplay hack and slash, isto é, um jogo focado no combate. Publicado pela Blizzard, o lançamento oficial está marcado para o dia 23 de setembro deste ano.

No último fim de semana, uma versão Beta de Diablo II Resurrected foi liberada para aqueles que adquiriram uma cópia na pré-venda nas plataformas disponíveis — PC, PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series X/S e Nintendo Switch. O Showmetech pôde testar o jogo antecipadamente e traz a seguir as primeiras impressões do título que, de antemão, consegue reinserir bem o contexto da narrativa de Diablo II.

Vale lembrar que o Beta gratuito será liberado para o público geral no próximo fim de semana, com os servidores abertos a partir das 14h dessa sexta-feira (20) até o domingo (22).

Revisitando um clássico

Review: beta de diablo ii resurrected dá um panorama satisfatório aos fãs da saga
Diablo II: Resurrected é mais um lançamento remasterizado, com foco principal no público da saga original dos anos 2000. (Imagem: Diablo II: Resurrected/Reprodução)

Com gráficos melhorados, Diablo II Resurrected tem o mote de resgatar a memória afetiva dos jogadores que vivenciaram o jogo nos anos 2000 enquanto tenta apresentar novamente a história do jogo para a nova geração. A Blizzard seguiu a mesma tendência de outras empresas, como quando, por exemplo, a Activision reviveu o considerado ‘mascote da Sony’ com Crash Bandicoot N’Sane Trilogy, uma franquia que teve a sua imagem antiga repaginada com a ajuda de um título inédito.

Podendo rodar em até 4K na versão de PC, o novo Diablo II traz de volta a saga de herói em um mundo onde habitantes do inferno retornaram para fazer um massacre nas pequenas civilizações. Cabe ao personagem do jogador reunir forças, armamento e feitiços necessários para combater cada um dos inimigos em um total de cinco atos. Figuras como Diablo e Mefisto serão encontradas na versão final do game, que também oferece a DLC Lord of Destruction (“Senhor da Destruição”, em tradução), um capítulo a mais destinado a Baal, um dos vilões da franquia.

Review: beta de diablo ii resurrected dá um panorama satisfatório aos fãs da saga
Diablo II: Resurrected aborda o ressurgimento de entidades malignas em uma terra amaldiçoada, habitada por heróis. (Imagem: Diablo II: Resurrected/Reprodução)

Quando revisitamos um título clássico, espera-se que o público-alvo seja majoritariamente compreendido. Este é um jogo que, desde o seu anúncio, os desenvolvedores afirmaram ser basicamente um upgrade de tudo que já existia de bom no original. Nesse sentido, os fãs podem esperar uma jogabilidade preservada, como confirmamos durante o gameplay. Por outro lado, como também já mencionado, é interessante observar a forma como tal jogo se mostra interessante para novos olhares. Em ambos os casos, podemos confirmar que este é um RPG feito com êxito.

Adentrando o mundo fantasioso

Diablo II Resurrected pode ser jogado como campanha singular, mas também em co-op com outros jogadores. Existe um lobby no menu inicial onde é possível acessar não só o seu, como o mundo dos demais guerreiros do servidor. A primeira ação que você precisa fazer antes de escolher aonde ir é selecionar a classe do seu herói.

Review: beta de diablo ii resurrected dá um panorama satisfatório aos fãs da saga
Sete classes de heróis estão disponíveis para escolha do jogador. (Imagem: Diablo II: Resurrected/Reprodução)

Divididos em sete opções, os personagens apresentam habilidades específicas e oferecem estratégias de gameplay diferentes. Como Amazona, a figura do jogador é mestra em dardo e arco, com ótimos treinos marciais. A Assassina é similar à Amazona, mas utiliza armadilhas especiais em vez de armas de longa distância.

O Necromante é uma classe sinistra, capaz de invocar esqueletos e golens, além de lançar veneno. O Bárbaro é o clássico personagem corpo a corpo, com extrema força bruta. O Paladino une a destreza da espada e escudo com uma resistente armadura, enquanto a Maga detém habilidades de fogo, gelo e eletricidade para ajudar seu exército. Por fim, o Druida incorpora a forma de urso ou lobisomem e é aliado aos poderes dos animais.

Os altos e baixos do gameplay

Review: beta de diablo ii resurrected dá um panorama satisfatório aos fãs da saga
Interface é intuitiva e fluida para jogadores se situarem no mundo místico e ferroz. (Imagem: Diablo II: Resurrected/Reprodução)

O início do Beta se passa em um acampamento de Amazonas. Algumas missões são dadas a você, enquanto personagens se apresentam como pontos importantes da narrativa. Utilizando mecânicas de point and click (“apontar e clicar”, em tradução), a saga começa com sua arma básica e quatro itens de poção para cura. Toda a interface do jogo foi atualizada em comparação ao original e, em teste, é bem intuitiva. Oferecendo opções de dublagem em várias línguas, a versão brasileira está particularmente interessante e bem dirigida no contexto épico.

É possível conferir dados do personagem, cujo nome é dado pelo próprio jogador, e ir aprimorando-o conforme novas conquistas forem alcançadas. O jogo cria uma atmosfera bem imersiva e estimula a investigação do cenário, bem como a interação com os coadjuvantes e a luta contra os inimigos. Sobre este último ponto, existe uma legião deles ao redor da terra infestada, que vão de zumbis a guerreiros das profundezas do inferno. Cada um possui forças e fraquezas e é interessante explorar isso com diferentes tipos de armamento e feitiços.

Review: beta de diablo ii resurrected dá um panorama satisfatório aos fãs da saga
Armas, feitiços, habilidades especiais: tudo pode ser coletado e aprimorado durante missões e organizado no inventário. (Imagem: Diablo II: Resurrected/Reprodução)

Em seu inventário estão todos os itens que você equipa, carrega e encontra durante sua jornada. As barras de vida e mana são localizadas na parte de baixo da interface para o jogador se policiar quanto à sobrevivência do herói. Se você morre, seu personagem retorna à base das Amazonas, mas sem o seu progresso de itens. Nesse sentido, o jogo incentiva o upgrade gradativo para que não haja infortúnios em missões mais longas neste Beta de dois atos.

Nesse sentido, Diablo II Resurrected consegue aprimorar o que já existia em uma versão atualizada e mais apropriada aos moldes da nova geração. O lado que deixa a desejar por enquanto é a questão de bugs relacionados à execução de ações — os famosos atrasos na animação de movimento —, que acabaram custando vida do personagem. E quando se trata especialmente de um RPG nesse estilo, o ideal é que o jogo não intensifique erros além dos seus que possam prejudicar o andamento da campanha.

Review: beta de diablo ii resurrected dá um panorama satisfatório aos fãs da saga
Beta apresenta alguns bugs de animações no combate contra inimigos. Sabe-se que a versão Beta não é a final, mas vale a pena ficar atento quanto a isso. (Imagem: Diablo II: Resurrected/Reprodução)

Além disso, o combate está um pouco rígido na animação. Às vezes, o personagem não atingia de fato o inimigo, mas ele morria com o dano causado e, em outros momentos, o contrário acontecia. Aplicava-se o golpe, mas não registrava dano (isso, claro, contando além dos momentos em que inimigos bloqueavam os golpes do herói). Podem parecer detalhes, mas são dois tópicos que fazem a diferença no fim da jornada.

Expectativas para o lançamento

Review: beta de diablo ii resurrected dá um panorama satisfatório aos fãs da saga
Nova versão de Diablo II agrada à primeira vista, mas a sensação de jogar é agridoce ao relembrarmos do histórico problemático da Blizzard, divulgados recentemente. (Imagem: Diablo II: Resurrected/Reprodução)

Diablo II Resurrected chega com a promessa de encantar novamente os fãs da saga que podem se sentir representados com essa nova remasterização. Para aqueles que não conhecem ou não têm muita familiaridade com o gênero, o jogo dá as pistas e os comandos necessários para que a experiência seja completa.

Embora a versão Beta abrace o jogador com a maioria de seus pontos inteligentes, certamente testá-lo é uma experiência agridoce, principalmente quando lembramos do contexto em que este jogo foi construído. Com um histórico vergonhoso de denúncias de assédio entre as equipes internas, a Blizzard desaponta pelas questões sérias que vieram à tona na mídia. Nomes de relevância se desligaram da empresa, incluindo o diretor Luis Barriga e o designer Jesse McCree, ambos envolvidos no futuro Diablo IV.

Apesar de serem pontos particulares, tanto o jogo como o escândalo da Blizzard não deixam de se convergirem na experiência final do jogador. Em meio ao caos pré-lançamento, Diablo II Resurrected pode ter a imagem manchada, esta que era tão respeitada no passado.

Veja também

Acesse também outros conteúdos relacionados no Showmetech. Confira o nosso review da versão beta de Back 4 Blood, jogo multiplayer que estará disponível em outubro.

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Total
6
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados