Conecte-se conosco
passivdom impressao 3d

TECNOLOGIA

Conheça a casa feita em impressão 3D por robôs em 8 horas

Impressão 3D pode enfim cumprir todas as promessas futuristas da tecnologia ao criar casas inteiras com ajuda de robôs

A impressão 3D é impressionante para quem já viu uma máquina gerar um objeto praticamente do nada. Mas, já pensou como a mesma tecnologia pode ser ainda mais incrível para construir casas inteiras? Essa é a proposta da startup PassivDom, que usa um robô para criar paredes, telhado, piso de uma residência inteira. E tudo em apenas 8 horas.

A casa tem só 35 metros quadrados, mas ainda assim impossível de ser construída por pessoas no mesmo intervalo de tempo. Por enquanto, o robô ainda precisa que profissionais humanos instalem janelas, portas e fiação elétrica. O mais legal é que o projeto deixa a casa independente, incluindo encanamento e acesso à alimentação de energia – principalmente se for solar.

Já é possível encomendar uma casa e tê-la entregue no terreno dentro da cidade ou no meio da floresta. Tudo em um prazo curtíssimo.

“Nós deveríamos ter oportunidades de morar mais próximos da natureza e, ao mesmo tempo, ter condições confortáveis de uma casa tradicional. Essa tecnologia nos dá a chance de morar no meio da floresta, nas montanhas ou no litoral, longe de outras pessoas e de infraestrutura”, diz a designer Maria Sorokina, gerente de comunicação da PassivDom, ao Business Insider.

E onde vende?

Esse é o tipo de revolução prometida desde o surgimento da impressão 3D, e que finalmente começa a virar realidade. As casas impressas por robôs já estão disponíveis para compra online no site da PassivDom. O modelo mais básico custa US$ 31.900, ou R$ 103,8 mil na cotação atual. As casas são entregues nos EUA e na Ucrânia, país-sede da empresa.

Continue lendo
Advertisement

É jornalista e comunicador digital por formação, gosta de tecnologia desde que se entende por gente e escreve sobre isso há bastante tempo. Como um bom nerd, gosta de séries e ficção científica, e tenta relacionar tudo isso com estudos sobre comunicação.

Comentários
Subir