Conecte-se conosco
whatsapp logos 1024x795 - Cofundador do WhatsApp foi rejeitado pelo Facebook

Ciência e Tecnologia

Cofundador do WhatsApp foi rejeitado pelo Facebook

“O Facebook me rejeitou”, escreveu Brian Acton no Twitter em agosto de 2009. Pouco depois, ele participaria da criação do WhatsApp.

twitter - Cofundador do WhatsApp foi rejeitado pelo Facebook

“O Facebook me rejeitou. Foi uma grande oportunidade de me conectar com pessoas fantásticas. Ansioso para a próxima aventura da vida”, escreveu Brian Acton no perfil dele do Twitter em agosto de 2009.

O que ele não sabia é que pouco depois participaria da criação do aplicativo de mensagens WhatsApp. Menos de cinco anos depois, o app foi comprado pelo Facebook por US$ 19 bilhões. O valor de é o mais alto já pago por um aplicativo para smartphones desde que o próprio Facebook comprou o Instagram em 2012 por US$ 1 bi.

Nada de mudanças

Mark Zuckerberg tratou de dizer que não pensa em fazer nenhuma alteração importante no aplicativo e que ele seguirá independente do Facebook.

Zuckerberg também afirmou que não pretende mudar a forma de cobrança. Atualmente, o WhatsApp não mostra nenhum anúncio e pode ser baixado gratuitamente em todas as plataformas. Após o primeiro ano de uso é preciso pagar uma assinatura anual de US$ 1.

“Baseado em nossa experiência, acreditamos que o WhatsApp irá passar a marca de 1 bilhão de usuários nos próximos três anos”, afirmou Zuckerberg durante a conferência em que comentou o negócio. Hoje o aplicativo de mensagens tem 450 milhões de usuários.

Continue lendo
Advertisement

Um jornalista curioso que adora viajar, comer em bons restaurantes e experimentar as novidades tecnológicas! Ex-correspondente da TV Bandeirantes na China e na África do Sul, atualmente é chefe de redação do BandNews TV.

Comentários
Subir