Cofundador do WhatsApp foi rejeitado pelo Facebook

Cofundador do WhatsApp foi rejeitado pelo Facebook 8
"O Facebook me rejeitou", escreveu Brian Acton no Twitter em agosto de 2009. Pouco depois, ele participaria da criação do WhatsApp.

Cofundador do WhatsApp foi rejeitado pelo Facebook

“O Facebook me rejeitou. Foi uma grande oportunidade de me conectar com pessoas fantásticas. Ansioso para a próxima aventura da vida”, escreveu Brian Acton no perfil dele do Twitter em agosto de 2009.

O que ele não sabia é que pouco depois participaria da criação do aplicativo de mensagens WhatsApp. Menos de cinco anos depois, o app foi comprado pelo Facebook por US$ 19 bilhões. O valor de é o mais alto já pago por um aplicativo para smartphones desde que o próprio Facebook comprou o Instagram em 2012 por US$ 1 bi.

Nada de mudanças

Mark Zuckerberg tratou de dizer que não pensa em fazer nenhuma alteração importante no aplicativo e que ele seguirá independente do Facebook.

Zuckerberg também afirmou que não pretende mudar a forma de cobrança. Atualmente, o WhatsApp não mostra nenhum anúncio e pode ser baixado gratuitamente em todas as plataformas. Após o primeiro ano de uso é preciso pagar uma assinatura anual de US$ 1.

“Baseado em nossa experiência, acreditamos que o WhatsApp irá passar a marca de 1 bilhão de usuários nos próximos três anos”, afirmou Zuckerberg durante a conferência em que comentou o negócio. Hoje o aplicativo de mensagens tem 450 milhões de usuários.

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba notícias por e-mail

Receba notícias no seu e-mail
Holler Box