Confira tudo o que rolou no final da PlayStation Experience 2017

Painéis sobre The Last Of Us Parte II e Ghost of Tsushima foram o destaque do último dia do evento.

O segundo e último dia da PlayStation Experience ocorreu nesse domingo (10/12) e foi marcado pela apresentação de painéis dos principais lançamentos futuros para o PS4. Dentre eles, os debates que marcaram foram de dois games de peso: The Last Of Us – Parte II e Ghost of Tsushima.

Os zumbis estão de volta

Um dos primeiros painéis da destaque no último dia do evento foi de The Last of Us: Parte II, em que o roteirista do game, Neil Druckmann, discutiu vários detalhes da continuação da saga de Joel e Ellie. Talvez o mais notável seja a confirmação de que o título está aproximadamente 50 a 60 por cento completo.

Além disso, Druckmann deixou a impressão de que uma demonstração da jogabilidade do título já está funcionando internamente, e isso será exibido na E3 2018, então é algo que podemos aguardar com ansiedade!. Ele também confirmou outros detalhes como que boa parte do game se passará em Seattle e que Ellie, uma das protagonistas do primeiro jogo, agora está com 19 anos.

 

Certamente a melhor parte desse painel foi sua introdução emocionante com Ashley Johnson (voz de Ellie) e Troy Baker (voz de Joel) tocando violão e cantando a música apresentada no trailer de anúncio do título. Foi para deixar muitos fãs arrepiados e pulando nas suas cadeiras de ansiedade!

Uma aventura samurai

Entre os novos títulos anunciados para o PS4, certamente “Ghost of Tsushima” , da Sucker Punch Games (mesma criadora da série Infamous), certamente está com o maior hype!

O painel dedicado ao jogo contou com a presença de Nate Fox (o diretor criativo), Jason Connell (diretor artistico), Billy Harper (diretor de animação) e Ryuhei Katami (produtor). “Ghost of Tsushima”  trata sobre a invasão mongol da ilha de Tsushima no ano de 1274. O jogador irá entrar na pele de um samurai que sobrevive e procura vingar-se, adquirindo uma técnica fantasma.

Falando sobre o trailer de revelação exibido na PGW esse ano, Connell diz que o mais importante foi transformar o jogo numa experiência realista que mergulhasse o jogador no Japão feudal ao mesmo tempo que o transporta para um mundo de fantasia. Além disso, os cenários de “Ghost of Tsushima” são inspirados na verdadeira ilha de Tsushima.

“Cada cenário tem escolhas muito intencionais. Por exemplo, o cenário inicial na relva. Houve pessoas que disseram, vamos fazer deste um plano maravilhoso com céu azul, ensolarado e com pôr-do-sol, no entanto, o plano tem uma tempestade no fim, que é intencional.”, diz Connell.

Este não é apenas um trailer, é uma introdução ao que nos espera. Tal como um filme, nada acontece por acaso e podemos ver várias pistas ao longo do vídeo. O nível de dedicação da equipe de desenvolvimento foi tamanho que o nível dos gráficos do game levou à motion-capture de dois cavalos!

Processo de captura de movimento para os samurais e cavalos no game.

De um modo geral, toda a equipe partilha o entusiasmo dos fãs de visitar o Japão feudal e até Katami refere que mesmo para ele é interessante conhecer mais sobre o seu país, especialmente uma ilha tão pequena e que passa despercebida.

Mas aí a questão que fica é, por que procurar este local? Bem, a ilha foi invadida por milhares de soldados da Mongólia e para proteger ela e seus habitantes existiam 80 samurais prontos a darem suas vidas na batalha! “É nobre”, como refere Fox, e um evento que ainda hoje é celebrado na ilha através de um festival, 750 anos depois.

“Esta é a primeira grande invasão sofrida pelo Japão! Os samurai tinham de enfrentar um inimigo que nunca viram antes, cujas habilidades e capacidades não conheciam.”, informa Katami.

Mas é preciso ter atenção! Katami alerta: “Esta não é uma recriação real ou um documentário, é um Japão de fantasia. Estamos usando personagens ficticias que são inspiradas em várias coisas para chegarmos ao tom certo da época”.

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Deixe uma resposta