Crítica: sonic 2 tem mais ação e piadas que o primeiro

CRÍTICA: Sonic 2 tem mais ação e piadas que o primeiro

Avatar of carlos alberto jr
Em Sonic 2 temos mais elementos da mitologia dos games, ação e aventura, mas sem perder a leveza que cativou o público em 2020

Se a gente para pra pensar, adaptar Sonic para o formato live-action tinha tudo para dar errado. Afinal, trata-se de um personagem extremamente cartunesco contracenando com atores reais na Terra. Além disso, era a adaptação de um game, que por si, já tornava a missão mais difícil. Mas, apesar disso tudo, Sonic: O Filme, lançado em 2020, conseguiu um relativo sucesso, tanto que para alguns — inclusive para quem vos escreve — é a melhor adaptação dos games no cinema. Eis que dois anos depois, chega sua continuação, Sonic 2: O Filme, prometendo expandir a mitologia do ouriço mais querido da cultura pop. Será que ele conseguiu ser tão bom quanto o primeiro?

Enredo

A narrativa segue o nosso ouriço com sua família em Seattle. O Sonic gosta sempre de brincar de super-herói, mas, no fim, ele acaba ajudando um pouquinho mais do que atrapalha. Contudo, mesmo com seus pais ficando preocupados, nosso ouriço ainda continua fazendo o bem.

Tudo começa quando seus pais vão viajar para o casamento da irmã de Maddie no Hawaii e ele fica sozinho com o cachorro em casa. Mas a vida de diversão acaba indo por água abaixo quando chega Knuckles e, com ele, retorna o todo-poderoso e mais temido: Robotnik.

Roteiro

O trabalho da Paramount com Sonic no cinema, conduzido pelo diretor Jeff Fowler, é de agradar o público infantil, mas sem nunca esquecer dos fãs dos games, sobretudo dos três primeiros jogos da franquia. Indo na contramão de outras adaptações, como o desastroso Resident Evil: Bem-Vindo à Raccoon City, a mitologia do personagem se mescla com uma história inédita. Ou seja, embora existam referências, não são elas que conduzem os filmes.

Crítica: sonic 2 tem mais ação e piadas que o primeiro
Personagens digitais são os destaques do filme (Montatagem: Showmetech)

E isso fica mais claro na sequência, que sobe o nível na aventura e cenas de ação, mesmo sendo um filme majoritariamente de comédia. Vale destacar a adição de John Whittington (LEGO Batman), que se junta a Pat Casey Josh Miller, responsáveis pelo roteiro do primeiro filme. Embora o trabalho do trio seja, essencialmente, seguir com os acertos do filme anterior, em Sonic 2 há uma exploração do universo do ouriço velocista nos games, e, claro, da maior interação em tela do personagem-título com novos personagens em computação gráfica (Tails e Knuckles).

Atuações

Antes de entrar no mérito das atuações, é importante avisar que a sessão que vi na cabine de imprensa foi dublada. Ou seja, algumas atuações podem ser avaliadas de maneiras diferentes no áudio original. Dito isso, o trabalho de dublagem segue tão bom quanto o primeiro longa. Manolo Rey parece mais confortável encarnando Sonic, assim como Tatá Guarnieri consegue entregar toda a maluquice da atuação de Jim Carrey como Dr. Robotnik.

Crítica: sonic 2 tem mais ação e piadas que o primeiro
Jim Carrey (agora careca) está mais mais louco como Dr. Robotnik em Sonic 2: O Filme (Foto: Reprodução)

Por falar no antagonista, ele é o maior destaque entre os personagens humanos do filme, que consegue ser tão verborrágico em seus discursos e caricato em sua atuação corporal, que parece tão cartunesco quanto os personagens em computação gráfica com quem ele contracena na maior parte do tempo.

Agora, voltando à dublagem, outro destaque fica para o timing cômico de Karen Ramalho ao interpretar Rachel, a irmã de Maddie Wachowski. Embora seja coadjuvante, alguns dos melhores momentos de comédia do longa são protagonizados pela personagem.

Agora, tanto Maddie (Tika Sumpter), quanto Tom Wachowski (James Marsden), estão mais apagados no longa. Eles não possuem arco narrativo, apenas aparecem em pequenas cenas. Por outro lado, são personagens importantes para o desenvolvimento do protagonista, representando as figuras de pai e mãe de um Sonic ainda criança.

Mais ação e aventura

Ao passo que a sequência ganha em piadas e cenas cômicas, a ação do filme também é maior que no filme anterior. Muito se dá pela adição de Knukles como antagonista físico de Sonic. Aliás, o personagem ganha uma origem diferente em sua versão do cinema, mas as principais características do personagem, sobretudo sua personalidade, seguem as mesmas dos games.

Crítica: sonic 2 tem mais ação e piadas que o primeiro
Knukles é um oponente imbatível no filme (Foto: Reprodução)

A edição de Tails, por sua vez, consegue emular a parceria dos personagens no co-op no clássico game “Sonic the Hedgehog 2”. Logo, ele é fundamental para o elemento aventuresco da continuação, que abandonou a estrutura de road movie do primeiro filme e passou a ser segmentado, bem como um game, mas de maneira bastante orgânica e até mesmo discreta. Cada “fase” do filme é mais difícil, como a progressão de um game, tanto que o longa encerra em tom épico.

Direção de arte

Aliada a ação, a computação gráfica é excelente, dado o trabalho que é misturar personagens humanos e cenários reais com vários personagens e ambientes digitais. Claro, há uma cena ou outra que notamos uma “tela verde”, mas nada que nos tire de nossa imersão do filme.

Crítica: sonic 2 tem mais ação e piadas que o primeiro
Direções de fotografia e arte do filme conseguiram adaptar os games para o live-action (Foto: Reprodução)

O mérito de toda a arte do filme se dá também pela direção de fotografia e design de produção, que conseguem explorar bem os cenários e personagens virtuais com paletas fortes, características aos personagens, além do bom uso de luz. Tanto que as primeiras cenas de ação acontecem em ambientes escuros, mas o terceiro ato todo acontece de dia.

Som

Em som, Sonic 2: O Filme é bastante desequilibrado, visto que a trilha sonora do filme é bastante genérica e esquecível. Já a mixagem e edição de som conseguem mesclar bem elementos terrenos e dos games, inclusive as referências mais discretas estão em efeitos sonoros espelhados pela película.

Futuro da franquia

Crítica: sonic 2 tem mais ação e piadas que o primeiro
Knukles ganhará uma série solo (Foto: Reprodução)

Diferentemente do Universo Cinematográfico da Marvel — tradução direta de MCU — ou qualquer outro universo compartilhado nos cinemas, a mitologia do Sonic da Paramount se expande de maneira bem natural e com menos pressa.

Porém, sabemos que Knukles terá uma série solo, bem como o terceiro filme provavelmente trará um dos personagens mais queridos pelos fãs — revelado na cena pós créditos. Se as próximas produções seguirem com a mesma equipe criativa e fugirem de intervalos curtos entre seus lançamentos, essa poderá ser a principal franquia dos games no estilo audiovisual.

Conclusão

Sonic 2: O Filme é um filme essencialmente de comédia voltado para o público infantil. Quem for assistir o filme, deve ter em mente que essas são as principais características da produção. Apesar disso, ele entrega excelentes cenas de ação e aventura que podem agradar até mesmo os fãs dos games dos anos 90. Leve, divertido e cativante, o filme é uma ótima opção para assistir com a família, sendo gamer ou não.

Os ingressos para Sonic 2: O Filme, que estreia dia 7, podem ser adquiridos pela internet através do site Ingresso.com.

Veja também:

Confira também outros conteúdos relacionados no Showmetech. Aproveitei para conferir nossas primeiras impressões sobre os dois primeiros episódios de Cavaleiro da Lua, nova série da Marvel.

Sonic 2: O Filme

Sonic 2: O Filme
7 10 0 1
Sequência explora novos personagens dos games, como Tails e Knukles, além de expandir a motilogia do ouriço velocista em um filme leve e divertido.
Sequência explora novos personagens dos games, como Tails e Knukles, além de expandir a motilogia do ouriço velocista em um filme leve e divertido.
7/10
Total Score
  • Roteiro
    7/10 Bom
  • Atuações (dublagem)
    8/10 Ótimo
  • Trilha Sonora
    5/10 Indiferente
  • Fotografia
    8/10 Ótimo
  • Direção de Arte
    9/10 Incrível
  • Direção
    7/10 Bom

Prós

  • Carisma do personagens
  • Boas cenas de ação
  • Comédia para toda família
  • Boas referências dos games

Contras

  • Excesso de piadas
  • Nucleo de personagens humanos é fraco e pouco desenvolvido

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Total
1
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados