Rosto de elon musk em fundo azul com logomarca do twitter

Elon Musk compra 9,2% das ações do Twitter por US$ 2,89 bi

Avatar of victor pacheco
Propósito de compra das ações do Twitter por Elon Musk ainda é desconhecido, mas bilionário já provocou mudança no mercado de redes sociais

Elon Musk é um dos empresários que mais utilizam o Twitter e o dia 14 de março foi importante para o fundador da Tesla e SpaceX. Pelo preço de US$ 2,89 bilhões (R$ 13,40 bilhões em conversão direta), Musk agora é dono de 73.486.938 ações do Twitter, o que equivale a 9,2% do total. Os dados são de um documento da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC), que foi descoberto pela CNBC.

A compra que foi oficializada hoje (04) já gerou um crescimento de 25% das ações do Twitter no período chamado de pré-mercado, que antecede a comercialização. Mais detalhes devem ser compartilhados no decorrer da semana que está apenas começando.

Com isso, Musk passa a ser um dos maiores acionistas da rede social. Ainda não se sabe o verdadeiro propósito da compra, mas o empresário chegou a dizer para seus seguidores que estava na “hora de criar uma nova rede social”, além de ser um crítico assíduo do Twitter.

Elon Musk criticou liberdade em rede social

Ainda que agora seja um dos maiores acionistas do Twitter, Musk também é um dos usuários que mais critica a forma como a rede social atua em relação à liberdade. Com 80,2 milhões de seguidores, o bilionário tuitou em 26 de março que a liberdade de expressão dentro do Twitter deveria ser maior, uma vez que a “rede social serve como uma grande praça pública”.

No dia anterior ao tuíte acima, Musk lançou uma pesquisa em seu perfil para saber se seus seguidores achavam que o Twitter seguia os princípios de liberdade de expressão. 70,4% dos seguidores afirmaram que não, a rede social não atua como um grande canal que permite que seus usuários “postem de tudo”.

Tweet de elon musk sobre liberdade antes de comprar ações do twitter
Fundador da Tesla e SpaceX é um dos principais críticos da rede social do passarinho azul (Captura de tela: Victor Pacheco/Showmetech)

Jack Dorsey, fundador e antigo CEO do Twitter, se considera um dos responsáveis pela centralização da internet. Dorsey anunciou a saída do cargo em novembro do ano passado e trabalhou no Twitter até março deste ano, dando o lugar a Parag Agrawal, que antes era CTO (Chief Technology Officer ou Diretor de Tecnologia/Gerente de Tecnologia).

Jack afirmou em um tuíte postado no dia 02 de abril que “se arrepende em ser um dos incentivadores da descoberta da identidade em corporações e que isso danificou internet”. Antes de anunciar sua saída do cargo de CEO do Twitter, o especialista começou a investir no Bluesky, uma plataforma que tem foco em ser um “sistema de mídia social que seria descentralizado”.

Logo da bluesky de jack dorsey
Sistema de criação de outras redes sociais ainda não tem data de lançamento definida (Foto: Reprodução/Internet)

Deve levar um tempo para que o lançamento do Bluesky aconteça. O principal foco é devolver o poder de liberdade aos usuários para a criação de outras diversas redes sociais.

O que você acha que acontecerá com o Twitter após Elon Musk passar a ser um dos principais acionistas? Diga pra gente nos comentários!

Veja também

Saiba como denunciar fake news no Twitter.

Fontes: CNBC l Insider l The Verge

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Total
4
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados