Conecte-se conosco

Android

Guerra dos Tronos: Como a Cyanogen quer tomar o Android do Google

A Cyanogen, empresa responsável por um dos principais mods do sistema operacional Android, deu o aviso ao Google: ela está chegando para tomar o poder.

CyanogenMod1

As disputas do mercado tecnológico têm alguns duelos históricos. A briga entre PCs e Macs, a guerra dos navegadores, com Chrome contra o Firefox, e dos consoles, atualmente entre Xbox One e Playstation 4. Mas a batalha entre o Android e o iOS tem uma casa dividida. A Cyanogen, empresa responsável por um dos principais mods do sistema operacional aberto, deu o aviso ao Google: ela está chegando para tomar o poder.

“Eu sou o CEO da Cyanogen. Nós estamos tentando tirar o Android do Google”. Foi com estas duas frases que Kirt McMaster se apresentou durante um fórum sobre a próxima fase do Android, em janeiro desse ano. O aviso é claro e direto de quais os planos futuros. Mas será que eles têm a capacidade para isso?

Nos duelos passados, quase sempre existiram outras forças envolvidas, com mais ou menos chance de virar o jogo, e algumas vezes com alta qualidade em comparação aos protagonistas. O Linux é uma alternativa à força do Windows, assim como o Safari e o Opera nos navegadores ou o Wii U nos consoles. A Cyanogen também é uma adversária respeitável, não só pelo volume de usuários do CyanogenMod, que McMaster diz passarem dos 50 milhões, mas principalmente pela agressiva estratégia que a empresa tem adotado para conseguir seu objetivo: lançar uma alternativa viável do Android fora do controle do Google entre três a cinco anos, no máximo.

Essa não é uma tarefa fácil. A Amazon, que lançou em julho o Fire Phone com o Fire OS, baseado no Android, amarga menos de 1% da fatia do mercado norte-americano no terceiro trimestre, e acumula mais de 83 milhões de dólares em aparelhos não vendidos. Mas essa é uma vantagem da Cyanogen. Ela não precisa do aparelho. Ela só precisa fornecer para ele.

E é o que estão fazendo. Em entrevista ao site Fast Company, o vice-presidente de parcerias globais e distribuição Vikram Natarajan contou que a Cyanogen fechou um acordo com a Qualcomm para fornecer o software. Com isso, a empresa de chips pode oferecer aos fabricantes de celulares um sistema com ferramentas e opções não disponíveis no Android tradicional, os produtores recebem a promessa da Cyanogen que o software será atualizado frequentemente, e a Cyanogen consegue uma chance de atingir um público muito maior em aparelhos desbloqueados e a baixo custo. E já está começando: o Cyanogen OS virá pré instalado no novo Alcatel Onetouch Hero2+ nos Estados Unidos.

CyanogenOS

Hoje em dia, o CyanogenMod, uma versão não comercial e de código aberto do Android, pode ser baixado gratuitamente para substituir o firmware do smartphone. Mas ainda assim, o CyanogenMod é feito com aplicativos Google. Essa é outra parte do problema de tentar dominar o sistema operacional.

Apesar de o Android ser de código aberto, o Google tenta garantir sua vantagem limitando o acesso aos dados mais profundos e obrigando o uso dos seus aplicativos nativos como um pacote fechado de tudo ou nada. Então se alguém tentar substituir a ferramenta de busca, por exemplo, ela precisará abrir mão de todos os outros apps da empresa, como YouTube, Drive e, principalmente, a Play Store. Substituir a loja de aplicativos do Google, que tem quase 1.500.000 aplicativos segundo estimativas, não é tarefa fácil. Mas existem alternativas possíveis.

Em primeiro lugar, a Cyanogen tenta firmar parcerias para substituir aplicativos. Apps como o Drive, por exemplo, tem acesso mais fácil aos dados do aparelho do que aplicativos de terceiros. A Cyanogen quer oferecer a outros desenvolvedores uma maior gama de possibilidades ao serem construídos dentro do sistema e não apenas instalados. Ou, como disse McMaster, “eu deveria poder falar com meu aparelho, dizer ‘toque uma música’ e a música sair do meu Sonos na sala via Spotify”.

O passo seguinte para a Cyanogen talvez seja não a criação de um único, centralizado e enorme mercado de apps, mas sim de um novo formato. McMaster aponta, por exemplo, como na China existem diversas lojas de aplicativos voltadas para públicos específicos e feitos com focos e especialidades próprias, como de entretenimento ou jogos. E ele acredita que esse modelo pode ser desenvolvido no Ocidente. O CEO já prometeu que terá uma app store própria em até 18 meses.

CyanogenMod

Se os planos da Cyanogen vão para frente é algo que ainda será revelado. Mas essa não é a última temporada dessa saga épica, e os próximos capítulos serão decisivos para o sucesso da empreitada. A Cyanogen conseguiu captar 110 milhões de dólares em investimentos, que podem ajudar na construção das parcerias necessárias para tomar de vez o controle do Android da Casa Google. Afinal, quando se joga o jogo dos tronos, você vence ou você morre.

Fonte: Fast Company

Jornalista por profissão, geek por natureza, autodidata por curiosidade mesmo. Aprendendo e escrevendo sobre tecnologia desde que mexeu no primeiro 486 da família, está no SMT desde 2015.

Comentários

Mais de Android

Dica

Advertisement


Mais Lidas

Advertisement

Reviews

Cultura Geek

Tutoriais

Recomendado para você



Subir