Impostos x Lucro: a polêmica sobre o PlayStation 4

Impostos x Lucro: a polêmica sobre o PlayStation 4 2
A Sony divulgou uma explicação culpando os impostos pelo preço de R$ 3.999 do PlayStation 4. Mas será que os impostos são os únicos culpados?

PlayStation 4

Diante da polêmica por causa pelo alto preço definido para o PlayStation 4 no Brasil, a Sony divulgou uma tabela na tentativa de explicar a razão deste valor para o console. Segundo a empresa, os impostos são os grandes culpados e representam 63% do valor total do PS4. Veja a tabela abaixo:

Tabela do preço do PlayStation 4 divulgada pela Sony

No blog do Playstation, a Sony informa que decidiu até dar um “desconto” no valor final para chegar aos R$ 3.999. O diretor geral para a América Latina, Mark Stanley, criticou a cobertura sobre o assunto:

” Há muita confusão e informações imprecisas na cobertura on-line sobre as políticas de impostos de importação do Brasil e sobre o preço de varejo do PlayStation 4, por isso gostaríamos de esclarecer as coisas: dos R$ 3.999, 63% desse valor é destinado para compensar as taxas e impostos que são aplicados ao produto durante o processo de importação. Esses impostos são muitos – precisamos considerar o IPI sobre o preço de distribuidor e PIS/COFINS sobre o preço de varejo, além de outros impostos como ICMS e ICMS-ST. Veja em detalhes a quebra do modelo de preço no Valor Econômico. Outros 15,5% vão para a margem do varejista, e 21,5% para transferência de preço do PS4 (equivalente a USD $ 390).”

Além da publicação destas razões, a Sony promete ainda dialogar com o governo brasileiro para tentar baixar as taxas e ainda produzir o console no país para reduzir o valor final ao consumidor. No entanto, a fundamentação não parece ser muito precisa. Veja abaixo:

Lucro x Impostos

A explicação da Sony ainda deixa algumas dúvidas. Primeiro, a empresa usa como base o preço do produto ao consumidor final nos Estados Unidos (US$ 399). Isso gera uma imprecisão, já que o custo de produção é sempre menor do que o preço final por conta da margem de lucro dos distribuidores e lojistas. Noutras palavras, o valor base (que equivale a R$ 858,00) não é o que a empresa vai declarar ao fisco brasileiro.

Sabemos que a legislação tributária por aqui é confusa e distorcida. Ninguém nega que existe um exagero na carga de impostos que incidem sobre os mais diversos produtos. Dos equipamentos eletrônicos, aos alimentos, nada escapa. Mas, segundo Carlos Costa, contador e autor do SMT, ao refazer os cálculos sobre os impostos que incidem na importação de um videogame, o resultado é bem abaixo do apresentado pela Sony. A diferença no total de impostos aproxima-se de R$ 1.000. Veja:

DESCRIÇÃO:VALOR:
Valor do PS4 (Dólar):US$ 399,00
Cotação para o Dólar:R$ 2,15
Valor do PS4 (Real):R$: 858,00
Impostos:
Imposto de Importação (20%):R$ 171,61
ICMS (4%):R$ 42,91
IPI (50%):R$ 536,25
MVA (33,54%):R$ 570,25
PIS (1,65%):R$ 35,96
COFINS (7,6%):R$ 165,61
Total de Impostos: R$ 1.522,59
Valor da Margem de Lucro:R$ 875,00
Total: R$ 3.255,59

Ou seja, pelas nossas contas, levando em conta a explicação da Sony, o PlayStation 4 deveria custar R$ 3.255,59 . Como ressaltamos acima, os cálculos são complicados e levam em conta diversas variáveis***.

De qualquer forma, é importante saber com mais detalhes como as empresas decidem os preços cobrados o Brasil. Será que é apenas uma questão de impostos ou a margem de lucro é um pouco maior do que a anunciada pela Sony?

Segundo o professor de economia Milton Pignatari Filho, a tributação brasileiras para eletroeletrônicos é uma das mais altas do mundo. Mesmo assim, ele acredita que o valor poderia ser menor:

“Os valores, independente da tributação, também levam muito em consideração o potencial atual de compra do brasileiro… Já que o brasileiro paga, elas (empresas) podem colocar um valor alto. O valor está muito acima do que deveria ser praticado no mercado.”

Num post anterior, chegamos à conclusão de que vale mais a pena viajar até Miami (EUA) e comprar lá o PS4, do que comprar o videogame no Brasil. A explicação da Sony parece insuficiente diante de tantas dúvidas, não acham?

Deixe seu comentário!

***1) O II é calculado diretamente sobre o valor convertido. O ICMS, IPI e MVA são calculados “por dentro” e cumulativamente. O PIS e COFINS são calculados sobre o valor somados os impostos anteriores mas não são cumulativos.

2) O MVA usado é o mesmo indicado pelo site Tecnoblog. A razão está no fato de que o cálculo pra se chegar nele depende de muitos fatores. Ele é calculado sobre o valor acumulado e retira-se o ICMS já calculado. O ICMS usado de 4% refere-se a uma resolução que diminuiu essa taxa para vendas interestaduais de produtos importados. Se o produto chegar em SP e for vendido em SP, o ICMS aumenta!

3) O II e o IPI foram calculados usando as tabelas de alíquotas vigentes (uma simulação para a importação de um produto pode ser feita aqui).

9 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Essa explicação é ridicula – o custo real do produto não inclui IPI, PIS/COFINS e ICMS que são impostos recuperáveis no final da cadeia pois o importador toma crédito destes impostos, os unicos que afetam realmente o custo é o II e a taxa de importação (R$ 204,50), ou seja, o custo real do produto no exemplo acima é de R$ 1.248.29 e considerando o preço final de venda, a margem bruta de lucro da empresa é de 220,35% – se considerado os impostos incidentes na venda em São Paulo, por exemplo, teriamos ICMS R$ 719,80 e PIS/COFINS R$ 369,90 (valores aproximados) ainda sim a margem gira em torno de 133% do valor da importação – isto é custo Brasil!!!

  • A notícia deveria ser a seguinte:

    “Sony tenta explicar como o Governo Brasileiro te rouba até na compra de seu Playstation.”

    Afinal, diversão não é para pobre!

    É lógico que a Dilma já deu um a cada um de seus sobrinhos, e não pagou R$ 3.999,00 não.

    Vocês têm de se colocar no seu lugar!

    Pobre não têm que se divertir, pobre têm mais é que trabalhar de sol a sol!

    Para manter o Brasil na primeira posição.

    Tudo nosso é o maior, pior, e mais caro do mundo! Não é?

    Nosso governo, o mais caro do mundo!

    Os serviços públicos, pelo custo x benefício é o pior do mundo!

    Nossa telefonia, a mais cara do mundo!

    Nossos impostos (agora é recorde! 2 em 1), os mais caros e maiores do mundo, pelo custo x benefício.

    IPTU

    IPVA

    IP’s…………………………

    Uma pessoa que trabalha mais de 6 meses do ano (somados todos os impostos que poderiam ser computados com gastos normais ao longo de 365 dias), tem tempo e dinheiro para gastar com console de jogo?

    PERA AÍ!!!!!!

    Que imposto você não pagou??????

    Se esta sobrando, então o governo têm de criar mais um!

    Pobre não têm que ter dinheiro.

    Se não, vai se sentir desestimulado a trabalhar mais, e isso não pode!

    O preço do PS4 tem de subir!!!!!!!

    Assim como muitas outras coisas!

    O pobre povo brasileiro é bom para trabalhar!

    Trabalha tanto quanto os chineses, ganhando umas migalhas a mais…

    Nem desconfiam…

    Bem estimulado pela mídia e elogiado pelo seu “jeitinho brasileiro”, sobrevive com um salário mínimo por mês.

    É só dar pão, o circo fica por conta do fanatismo por futebol e samba.

    Muito bem estimulados também!

    É um povo muito bom! Parece até feito de cana-de-açúcar.

    Quanto mais você espreme, mais “caldo” ele da!

    PS4 pra quê? Bastava se olhar no espelho para ver a diversão…

Receba Notícias por E-mail:

Share via