Instagram proíbe posts com produtos de dietas e cirurgia estética. Entenda

Instagram restrição postagens estética
O Instagram anunciou que passará a restringir posts relacionados a produtos dietéticos e cirurgias estéticas; novas normas também valem para o Facebook

Não é difícil ver alguma publicação sobre cirurgias estéticas ou produtos voltados para uma vida mais “fitness” (como chás de emagrecimento) no Instagram (e, pela lógica, quanto mais você vê, mais elas aparecem para você). Nesta quarta-feira (18), a plataforma anunciou algumas restrições que mudam as normas para esse tipo de postagem com produtos de dietas e cirurgias estéticas.

De modo geral, as redes sociais podem promover grande influência sobre o modo como vivemos, criando uma pressão social para que mudemos nosso padrão e para nos sentirmos mal em relação ao nosso corpo. Anúncios estéticos ou de produtos que fazem milagres, como “isso me ajudou a perder 10kg em uma semana” ou “isso me deixou 20 anos mais jovem”, prometem fazer rapidamente algo que leva mais tempo e podem influenciar distúrbios alimentares e problemas emocionais, principalmente em adolescentes.

Instagram restrição postagens estética
Instagram impõe regras de restrição a cirurgias estéticas e produtos ligados ao emagrecimento (Imagem: theverge.com)

O que muda no Instagram

Dentre as novas regras, estão proibidos posts de produtos duvidosos ligados à perda de peso vinculados a alguma oferta comercial (ou oferecendo desconto). O objetivo é promover mudanças benéficas e que não tirem da rede social sua ideia principal, que é ser um lugar positivo para todos os usuários.

Justamente por afetar um grande número de jovens, outro fator adicionado foi sobre a restrição de idade. Conteúdos relacionados ao uso de alguns produtos de emagrecimento e procedimentos estéticos ficam restritos para maiores de 18 anos. Em breve será possível denunciar esse tipo de publicação.

É claro que as empresas ligadas a esses setores não ficarão nada contentes com a notícia. Ysabel Gerrard, professora da University of Sheffield e uma das consultoras do Instagram (que prestou esse serviço gratuitamente para a rede social), afirmou que tais empresas devem agir com responsabilidade e remodelar seus produtos e técnicas de marketing visando a segurança das pessoas.

Alguns estudos recentes mostram como determinados tipos de publicações podem interferir na saúde mental dos adolescentes. Um deles, da Royal Society for Public Health e do Young Health Movement, realizado em 2017, mostrou que o Instagram é a pior plataforma de mídia social para a saúde mental de um jovem. Um segundo estudo, do Pew Research Center, feito em 2018, encontrou que 37% dos adolescentes se sentem pressionados para publicar conteúdos que receberão um grande número de curtidas.

Instagram restrição postagens estética
O objetivo das novas regras é tornar o Instagram um lugar melhor e que levem à reflexão sobre o conteúdo da imagem, não sua popularidade (Imagem: alphr.com)

Nos últimos dias, vimos que o Instagram tem mudado sua postura com relação a algumas questões. Uma mudança radical que deixou muitos chocados (e até mesmo chateados) foi a remoção do número de curtidas. A medida, adotada em julho deste ano no Brasil, teve como um dos seus objetivos também remover a pressão sobre o usuário.

Tais alterações transformam a rede social não em um lugar para competir por popularidade, curtidas ou ser “tóxico” para a saúde mental, mas sim para que diferentes pessoas possam se expressar. O ideal não é se concentrar em quão popular a sua foto foi, mas sim no conteúdo que foi publicado. Acredita-se que novas alterações virão por aí, algumas delas relacionadas ao combate ao bullying, mas não há nada certo ainda. Elas também podem chegar ao Facebook em breve.

No mês de prevenção ao suicídio no Brasil (chamado de Setembro Amarelo), ver ações como essa da rede social lembram que devemos nos empenhar mais não em exibir corpos considerados “perfeitos”, mas com a aceitação própria e a lembrança de que cada característica nossa é o que nos torna especiais, diferentes e, consequentemente, únicos.

Fontes: Evening Standart; Engadget.

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Deixe um comentário: