81e0d009299e1a71acb82e2ddbcfa797

Estresse levará mais de 50% dos executivos a trocar de emprego no próximo ano

Avatar of bruno martinez
Afetados pelo alto estresse e burnout, a tendência é que os líderes de empresas busquem o crescimento de carreira em outros empregos

Um estudo feito pela Qualtrics com mais de 1.000 profissionais norte-americanos aponta que o esgotamento mental causado pelo trabalho está fazendo com que eles cogitem trocar de emprego no próximo ano. A publicação feita em parceria com o Departamento de Trabalho dos EUA apresenta um quadro crítico em que líderes e funcionários tentam buscar alternativas para suprir as necessidades durante a pandemia.

Desde que as empresas foram obrigadas a se adaptarem para conter os prejuízos consequentes da pandemia, não só o método de contratação mudou, mas as políticas internas para engajar os funcionários também foram estremecidas. Por exemplo, tem-se optado frequentemente na substituição dos profissionais de TI por trabalhadores de outras áreas para cumprir demandas de tecnologia, uma tendência que está se tornando cada vez mais comum.

Líderes estão sendo afetados pelo estresse e burnout

Estresse levará mais de 50% dos executivos a trocar de emprego no próximo ano. Afetados pelo alto estresse e burnout, a tendência é que os líderes de empresas busquem o crescimento de carreira em outros empregos
A síndrome do burnout é causada pela exaustão extrema, relacionada a uma carga excessiva de trabalho

No levantamento da Qualtrics, é possível analisar a transformação nas estruturas de trabalho a partir da faixa etária e os motivos pelos quais os profissionais querem procurar outros empregos.

Os trabalhadores que estão em cargos de liderança dizem se sentir mais esgotados e estressados com o emprego por conta da pressão e a alta de demandas com as equipes durante a pandemia. Grande parte acaba desenvolvendo a Síndrome de Burnout. E é exatamente essa classe de profissionais que está mais propensa a deixar seu atual trabalho e buscar novos ares.

Mais da metade dos entrevistados pela pesquisa afirmaram o desejo de mudança de emprego. Dentre essa parcela, 29% afirmam que querem mais oportunidades de crescimento de carreira. Esses dados são esclarecedores de uma tendência alarmante, uma vez que custa caro para uma empresa contratar e treinar novos diretores, gerentes e executivos para os cargos remanescentes.

Se os líderes não estão contentes, seus funcionários também não estão. Os dados da Qualtrics apontam que um dos principais motivos dos trabalhadores continuarem na empresa onde estão é a presença de bons chefes. Em seguida, aparece o trabalho satisfatório e, em terceiro, o bom equilíbrio entre vida pessoal e profissional. E a tendência da troca de emprego também os englobam.

44% dos funcionários entrevistados querem procurar um novo emprego em 2022. A maioria das respostas vieram, principalmente, dos mais jovens e das minorias. Dentro desse recorte, 65% são da Geração Z. No eixo geral, 55% são pessoas negras. Essas respostas apontam, como consequência, a falta de oportunidades inclusivas dentro das empresas.

Falta de diversidade no trabalho e oportunidades de mentoria

Estresse levará mais de 50% dos executivos a trocar de emprego no próximo ano
Mulheres são as que menos recebem oportunidades de mentoria e crescimento de carreira dentro das corporações. (Imagem: DepositPhotos)

Uma das maiores problemáticas em torno do assunto é a falta de representatividade nos cargos de líderes das empresas. 64% dos funcionários entrevistados afirmam não terem recebido oportunidades de mentoria ou networking nas empresas, principalmente as mulheres, que representam 72% dos dados contra 55% dos homens.

A pesquisa ainda mostra que 65% das mulheres dizem que não receberam oportunidades de treinamento e desenvolvimento de carreira, enquanto 53% do homens afirmam o mesmo. Os últimos anos têm sido favoráveis no que diz respeito à maior inclusão dentro do ambiente corporativo, mas ainda há muito o que melhorar.

As políticas de equidade têm surtido efeito ainda mínimo em comparação ao todo. A ocupação de cargos de liderança por não só pessoas brancas é importante para a busca pela diversidade no trabalho, como também para atrair novos talentos. Outro levantamento da pesquisa diz que os entrevistados negros têm duas vezes mais chances de trocar de emprego por conta da falta de representação nas companhias. Sem representatividade dentro dessas corporações, não há expectativa de crescimento dessas minorias, o que é extremamente preocupante.

Prioridades de trabalho para os candidatos

Cada vez mais o mercado de trabalho se torna volátil. Outra seção dos dados da Qualtrics mostram que a flexibilidade é o principal fator para atrair novos profissionais às vagas de emprego, o que é outra herança deixada pela pandemia.

Esse ponto é crucial especialmente nas empresas de tecnologia, que estão passando por uma transformação, conforme mencionado anteriormente. Enquanto por um lado a meta é contratar funcionários gerais para demandas específicas, pelo outro o desejo é ingressar numa companhia que tenha a melhor liderança e ofereça oportunidades de crescimento, ainda segundo a pesquisa.

Ao lado do trabalho remoto, esses dois tópicos foram eleitos como os principais motivos para os candidatos optarem pela vaga. Enquanto houver a meta estabelecida pela pesquisa de campo dos empregadores, a tendência é que o futuro do trabalho seja baseado na união dos dois interesses para que as experiências sejam favoráveis a ambos os lados.

Veja também

Confira nossos outros conteúdos sobre empresas e tecnologias, como as tendências de estruturas de TI no meio corporativo, destacado pelo evento da IDC deste ano.

Fontes: Qualtrics (1) | Qualtrics (2) | Departamento de Trabalho dos EUA | DepositPhotos

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados