Gpu com resfriamento líquido da nvidia

NVIDIA investe em resfriamento líquido para GPUs A100

Avatar of victor pacheco
Em sua passagem pela Computex 2022, a NVIDIA anunciou o lançamento de uma tecnologia que irá gerar 30% de ganho de energia em servidores; confira primeiros detalhes revelados

Em sua passagem pela Computex 2022, a NVIDIA divulgou novas tecnologias para empresas que trabalham com inteligência artificial e que precisam de alta potência para trabalhar em projetos. A empresa investirá no lançamento de placas de vídeo para servidores do modelo A100 que, por meio do resfriamento líquido, consegue entregar uma economia de energia de 30%. 

Outros destaques ficam por conta de novos módulos focados para desenvolvimento em robótica, da linha AGX Origin. Confira todos os detalhes agora mesmo. 

Novas GPUs 

Supercomputador para servidores da nvidia
Modelos serão focados para servidores (Captura de tela: Glauco Vital/Showmetech)

Apresentados em março deste ano, os chips da família Grace, que contam com uma arquitetura própria, estão chegando ao mercado de servidores para que empresas consigam trabalhar em diversas áreas, como aprendizado, simulação digital twin e desenvolvimento de aplicativos alocados na nuvem. Os novos modelos possuem siglas próprias e serão focados para atividades específicas, são elas:

  • CGX: Cloud & Gaming;
  • OVX: Digital Twins e Omniverse;
  • HGX: Computação de alto desempenho;
  • HGX: Treinamento de inteligência artificial.

A empresa prevê que primeiros modelos sejam lançados a partir da primeira metade de 2023. 

Resfriamento líquido em GPUs

A grande novidade da NVIDIA na Computex 2022 é o lançamento das GPUs da série A100, também focada para servidores utilizados por empresas dos mais diversos segmentos. 

O grande foco deste lançamento é permitir que os data centers utilizem menos energia e de acordo com a empresa, será possível ter uma economia de 30%  em relação aos modelos que são resfriados a ar. O espaço será reduzido em 66% quando comparamos as GPUs sem esta tecnologia. 

Gpus com resfriamento líquido da nvidia
Tecnologia oferecerá ganho de 30% em relação a modelos tradicionais (Captura de tela: Glauco Vital/Showmetech)

É claro que isso ainda não resolverá os problemas de mudanças climáticas, mas com toda certeza o avanço é importante para que mais empresas optem pelo mesmo caminho. De acordo com a NVIDIA, cerca de 40% da eletricidade utilizada pelos datacenters é decorrente do resfriamento de ar, então optar por uma forma secundária pode ser um caminho interessante.

 Além de servidores, o resfriamento líquido em GPUs também pode ser utilizado em chips de carros autônomos, que ainda possuem dificuldade em manter a baixa temperatura em espaços fechados. 

Empresas como ASRock, ASUS e Supermicro estarão implantando as novas GPUs em seus servidores ainda este ano, apesar de uma data certa não ter sido divulgada pela empresa durante sua passagem pela Computex deste ano. 

Nvidia investe em resfriamento líquido para gpus a100. Em sua passagem pela computex 2022, a nvidia anunciou o lançamento de uma tecnologia que irá gerar 30% de ganho de energia em servidores; confira primeiros detalhes revelados
Modelos terão compatibilidade com superchips Grace (Captura de tela: Glauco Vital/Showmetech)

Não é difícil imaginar uma realidade em que placas de vídeos com sistema de resfriamento líquido sejam lançadas pela empresa para consumidores comuns, uma vez que empresas terceirizadas já fizeram este upgrade e provaram que a tecnologia é possível. Nos resta saber o quanto a empresa fabricantes de linhas RTX e GTX está disposta a investir neste mercado.

Novos módulos AGX Orin 

Focados para o desenvolvimento de tecnologias focadas em robótica, os supercomputadores AGX Orin ganharam novos módulos que irão aumentar a produção de conteúdo ainda mais. A nova geração foi anunciada em março e consegue entregar 245 trilhões de operações por segundo,  além de ter um poder de desempenho que é 8x maior do que seu antecessor, o AGX Xavier.

Kit de desenvolvimento agx orin da nvidia
Empresa também deu mais detalhes sobre supercomputador para robótica (Captura de tela: Glauco Vital/Showmetech)

Estes modelos começarão a ser enviados para os clientes a partir de julho e os novos módulos Orin NX chegam em setembro para todos os interessados. O grande poder de desempenho é resultante de uma combinação de:

  • CPUs ARM Cortex-A78AE de 12 núcleos;
  • GPU baseada em Ampere;
  • atualizações para seus aceleradores de IA;
  • Interfaces;
  • Largura de banda de memória;
  • Suporte a sensores.

Apesar de não dar detalhes sobre como os módulos ajudarão os profissionais a terem um trabalho mais assertivo, a NVIDIA divulgou que atualmente, há mais de um milhão de profissionais de 6.000 empresas já trabalham na plataforma focada apenas no desenvolvimento de tecnologia de robótica. Além disso, 150 parceiros fazem parte do ecossistema que não para de crescer e vem ajudando profissionais. 

Kit de desenvolvimento agx orin da nvidia
Serviços de borda estão chegando a supercomputador (Captura de tela: Glauco Vital)

A nova plataforma Jetson traz o desempenho e versatilidade da arquitetura NVIDIA Ampere para permitir avanços ainda maiores em robôs móveis autônomos para uma ampla gama de aplicações que vão desde agricultura e manufatura até saúde e cidades inteligentes

Jim McGregor, analista principal da TIRIAS Research

É importante lembrar que o Jetson AGX Orin possui suporte para até seis câmeras, três sensores LIDAR e oito sensores ultrassônicos. 

Veja também

Confira detalhes sobre a arquitetura Hopper e mais anúncios que a empresa fez durante o NVIDIA GTC em março deste ano 

Fonte: Newsroom (1 e 2)

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Total
2
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados