Pentágono testa IA que pode prever o futuro com “dias de antecedência”

Pentágono testa ia que pode prever o futuro com "dias de antecedência"
Nova ferramenta chamada GIDE consegue antever ações e estratégias políticas de nações

Com base em computação em nuvem, o Pentágono desenvolve inteligência artificial capaz de prever o futuro, antevendo eventos importantes e ações de nações. A combinação de inteligência artificial do Departamento de Defesa dos Estados Unidos resultou no chamado Experimento de Dominância de Informações Globais (ou GIDE, sigla em inglês) e pode mudar completamente as estratégias políticas do país a longo prazo.

O que é e como funciona o GIDE

Para detalhar melhor seu sistema, vamos fazer um pequeno paralelo antes. Algumas pessoas podem lembrar do filme Minority Report – A Nova Lei, com Tom Cruise, lançado em 2002, cuja trama é basicamente o impulso da criação deste mecanismo. Na história futurista, existe uma maneira de prever o futuro, detectando crimes antes de serem cometidos, para que as autoridades norte-americanas consigam tomar uma atitude e, então, impedi-los. Tais acontecimentos afetam diretamente o protagonista com uma previsão duvidosa.

O fato é que, no caso, o filme se passa em 2054. Mas, na realidade, é possível que este futuro não esteja tão longe assim. O GIDE é um sistema de aprendizado em máquina que coleta e analisa dados em tempo real e oferece possíveis resultados daquela ação, assim como sugere solução de problemas. Tudo isso em apenas “dias de antecedência”, segundo o General Glen VanHerck, Comandante das Forças Armadas dos EUA e Comandante Geral de Defesa Aeroespacial da América do Norte dos EUA, para o The Drive.

Pentágono desenvolve inteligência artificial capaz de prever eventos do futuro
Autoridades dos EUA estudam possibilidade de prever ações e sair na frente em seus resultados. (Imagem: Tech. Sgt. Cecilio M. Ricardo Jr./Reprodução)

Usando o exemplo do Engadget para simplificar: se um submarino rival for captado em seu porto, o GIDE pode surgir com o resultado de que o navio partirá em breve. Dessa maneira, as autoridades americanas conseguem prescrever um plano de embate.

Os testes com a inteligência artificial estão cada vez mais ambiciosos, utilizando até sensores militares. A grande questão por trás dessa construção seria uma forma que os Estados Unidos encontraram para sair na frente na solução de problemas sociais e políticos com outras nações. O Pentágono conseguiria implementar suas forças e aumentar defesas diante de um possível ataque, por exemplo. Espera-se, inclusive, que uma versão aprimorada e mais recente do GIDE seja colocada à prova em breve. Até lá, resta esperar para saber quais serão os próximos passos do País.

“O que vimos é a capacidade de ir muito mais longe, deixando de ser reativo para realmente ser pró-ativo”

General Glen VanHerck, Comandante das Forças Armadas dos EUA .

Veja também

Acesse também outras notícias relacionadas no Showmetech, como a última pesquisa da Gartner que informa sobre a possibilidade de ciberataques a indústria vitimarem humanos até 2025.

https://corporate.showmetech.com.br/ciberataques-a-industrias-pode-causar-vitimas/

Fontes: The Drive | Engadget | CNET

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário