54% dos empregados estão sobrecarregados com trabalho remoto, diz pesquisa

Avatar of bruno martinez
Relatório divulgado pela Microsoft aponta fragilidades do modelo atual de expediente no mundo e discute a tendência do trabalho híbrido

A Microsoft divulgou recentemente uma pesquisa de autoria própria sobre o futuro do trabalho em escala global. A chamada 2021 Work Trend Index aponta que empregados estão sobrecarregados atualmente, dentre outros diversos dados.

As informações foram recolhidas de 30 mil entrevistados em 31 países, e recursos foram analisados do Microsoft 365 e do LinkedIn. A montagem dos dados aponta quais são as preferências dos trabalhadores após a pandemia e como o trabalho híbrido, tendência no meio corporativo, pode afetá-los.

A ascensão do trabalho híbrido

54% dos empregados estão sobrecarregados com trabalho remoto, diz pesquisa
Segundo pesquisa da Microsoft, trabalho remoto está cedendo espaço para o expediente híbrido.

Desde que a pandemia de COVID-19 começou em 2020, empresas tem buscado alternativas para suprir suas necessidades e preservar a segurança e a saúde de seus funcionários ao mesmo tempo. Uma das escolhas diretas foi a implantação do home office em grande parcela dos funcionários, especialmente para aqueles que não exerciam funções que fossem vitais presencialmente.

Com o avanço da vacinação ao redor do mundo, as mesmas representantes corporativas iniciaram um movimento de retomada aos trabalhos presenciais, mas ainda sem descartar totalmente o expediente a distância. O resultado é o trabalho híbrido, opção que mescla atividades remotas e presenciais e que, para as companhias, pode ser bem proveitoso.

Resultados da pesquisa da Microsoft

Antes de apresentar os dados, a Microsoft afirmou que ela mesma está desenvolvendo sua estratégia de trabalho híbrido para os mais de 160 mil contratados ao redor do mundo. Além disso, a empresa afirma que “o trabalho flexível veio para ficar e o cenário de talentos mudou fundamentalmente”.

Somando às entrevistas feitas, o relatório também inclui informações consultadas a especialistas sobre o mercado de trabalho e os meios para fazê-lo acontecer. Como é dito que o trabalho híbrido é o ‘futuro do mundo’, a Microsoft dividiu a pesquisa em sete tendências.

A tendência do trabalho flexível

54% dos empregados estão sobrecarregados com trabalho remoto, diz pesquisa
(Imagem: Microsoft/Divulgação)

Segundo a 2021 Work Trend Index, o trabalho híbrido é inevitável. Mais de 70% dos trabalhadores dizem querer a flexibilidade do expediente, aliada ao home office. 65% querem voltar a ter mais contato com suas equipes de maneira presencial, enquanto 66% das chefias considerar redesenhar os ambientes físicos para acomodar o trabalho híbrido.

Satya Nadella, CEO da Microsoft, diz que houve uma transformação muito rápida na forma como as pessoas trabalham. E que, para acompanhá-la, é necessário impulsionar as atividades flexíveis para auxiliar os profissionais. O relatório informa que 42% dos funcionários não têm os recursos apropriados para trabalhar em cada, e um em cada dez não detém uma rede de internet sólida. Visto ainda que 46% afirmam não receber apoio nas despesas extras do home office, isso denuncia a necessidade de readaptar o expediente para que não prejudique ainda mais o trabalhador.

As expectativas dos funcionários estão mudando, e precisaremos definir a produtividade de forma muito mais ampla — incluindo colaboração, aprendizagem e bem-estar para impulsionar o avanço na carreira de todos os trabalhadores.

Satya Nadella, CEO da Microsoft, sobre as transformações no estilo de trabalho pós-pandemia.

Mesmo virtualmente, o sensor de inclusão aumentou entre os funcionários, então espera-se que as companhias consigam garantir que os mesmo se mantenham motivados a partir de políticas decentes no trabalho flexível.

Sucesso maior entre os líderes

A pesquisa da Microsoft aponta também que aqueles com cargos de chefia estão se saindo melhor no modelo atual de trabalho. 61% dizem estar “prosperando” contra 23% dos funcionários. Os líderes dizem estar ganhando mais (17%), construindo mais relacionamentos com outros chefes (19%) e seus colegas (11%) e ainda tirando todos os mais dias de férias (12%).

O perfil daqueles que responderam corresponde a homens da Geração X ou Y, da área de TI e com bastante experiência. Por outro lado, a desigualdade grita. Mulheres iniciantes da Geração Z que estão na linha de frente são as mais prejudicadas. Enquanto isso, os funcionários gerais sentem desconexão com seus líderes. 37% diz ainda que eles exigem demais de seus trabalhos neste momento delicado.

Empregados estão sobrecarregados

54% dos empregados estão sobrecarregados com trabalho remoto, diz pesquisa
Sem apoio de líderes, funcionários se encontram desmotivados e cada vez mais atarefados.

Da mesma forma que é exigido exacerbadamente dos contratados, os mesmos estão passando muito tempo nas plataformas de trabalho. Um em cada cinco entrevistados diz que os empregadores não se preocupam com o seu equilíbrio entre vida profissional e pessoal. 54% se dizem sobrecarregados enquanto 39% se dizem exaustos.

Dados do Microsoft 365, espaço de trabalho da empresa para interessados, denuncia a falsa simetria entre alta produtividade e qualidade de expediente. Segundo o relatório, por exemplo, o tempo gasto na plataforma aumentou 2,5x e continua crescendo, além de ter sido observado o aumento de 66% de pessoas trabalhando em documentos. Os números são prejudiciais especialmente para os funcionários, que passam a se dedicar inteiramente em uma jornada de trabalho com recompensa mínima.

Geração Z em desvantagem

“Sem conversas no corredor, encontros casuais e ‘conversa fiada’ durante o café, é difícil me sentir conectada até mesmo à minha equipe imediata, muito menos construir conexões significativas em toda a empresa”, diz Hannah McConnaughey, gerente de marketing de produto da Microsoft. Este é apenas um de diversos relatos que apontam a dificuldade de inclusão da Geração Z nas empresas.

Profissionais iniciantes de 18 a 25 anos estão mais propensos a terem dificuldades de conciliar emprego com a vida pessoal ou passarem por exaustão do que os mais antigos. Os mesmos também não se sentem motivados, envolvidos e participativos nas ações das empresas. Com o trabalho híbrido, espera-se que este cenário mude.

Distanciamento criativo

Outro efeito negativo causado pelo sistema atual de trabalho é o isolamento causado pelas redes corporativas. A pesquisa da Microsoft aponta que a troca de informações em redes como Outlook e Teams tem sido sólidas, mas, além delas, as relações diminuíram.

Isso é prejudicial quando o profissional é colocado na posição apenas de agente e produtor de tarefas. Sem estímulo algum, é difícil executar atividades de maneira criativa. O resultado se dá em trabalhadores que não interagem fora de seus deveres e que não criam um vínculo saudável com suas equipes. O relatório diz que o trabalho híbrido pode mudar isso.

“Quando você perde conexões, você para de inovar. É mais difícil para novas ideias entrarem e o pensamento de grupo se torna uma possibilidade séria”

Dra. Nancy Baym, pesquisadora principal sênior da Microsoft, sobre a questão.

Trabalho se torna mais humano

54% dos empregados estão sobrecarregados com trabalho remoto, diz pesquisa
Da mesma forma que a pandemia afastou as pessoas, ela também tornou uma parcela mais empática. Relações devem se fortalecer ainda mais com o método híbrido.

Tendo em vista o cenário caótico e cheio de tarefas para além daquelas profissionais, a pesquisa diz que o ato de trabalhar se tornou mais empático, de modo que profissionais passaram a se importar mais uns com os outros. “A vulnerabilidade compartilhada desta época nos deu uma grande oportunidade de trazer autenticidade real à cultura da empresa e transformar o trabalho para melhor”, diz Jared Spataro, CVP da Microsoft 365.

No entanto, essa é uma situação particular, visto que pessoas negras e latino-americanos nos Estados Unidos têm mais dificuldades de se relacionar com suas equipes. Embora ainda tenha esse recorte, o relatório diz que as interações fundamentadas na autenticidade no local de trabalho podem transformar o trabalho de cada integrante.

O impacto do trabalho híbrido no futuro

46% dos empregados estão procurando um novo local para poderem trabalhar remotamente. Ou seja, as pessoas estão se adaptando cada vez mais às oportunidades que aparecem. Para Karin Kimbrough, economista-chefe do LinkedIn, a abertura de empregos sob o espectro do trabalho híbrido é benéfica para democratizar o acesso de grupos sub-representados que querem se mudar para uma cidade maior, por exemplo.

Justamente a parcela de profissionais mais jovens e iniciantes citados anteriormente é a que mais se atrai por vagas remotas do que presenciais. A implantação do que será o principal método de trabalho, como a tendência indica, pode ser uma opção viável para acolher públicos diferentes e reconectá-los ao mercado, independentes de onde estejam instalados no mundo.

A pesquisa 2021 Work Trend Index pode ser acessada na íntegra no site da Microsoft.

Veja também

Acesse também outros conteúdos relacionados no Showmetech. Confira uma pesquisa realizada no primeiro deste ano pelo Google, que aponta a preferência dos brasileiros ao trabalho híbrido.

Fonte: Microsoft

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados