Conheça as tendências de smart glasses que vão dominar o mercado em 2022

Conheça as tendências de smart glasses que vão dominar o mercado em 2022

Avatar of otávio queiroz
Já ouviu falar em óculos inteligentes? Confira como ele funciona, suas funcionalidades e as principais tendências de smart glasses para 2022

Colocar recursos de conexão úteis diante de nossos olhos é um desafio que tanto as startups quanto os principais players de tecnologia querem triunfar. Afinal, essa tecnologia disruptiva pode mudar o modo como vivemos nossas vidas. Os óculos inteligentes, ou smart glasses como também são conhecidos, são gadgets projetados para tornar esse desejo uma realidade. Ainda pouco comercializada, essa tecnologia tem crescido gradualmente ao longo dos últimos anos, com alguns modelos já disponíveis para a compra e outros que ainda estão no forno.

Se você ainda tem alguma dúvida sobre o que são os óculos inteligentes ou como eles funcionam de fato, não se preocupe. O Showmetech preparou esta matéria especial para esclarecer algumas das dúvidas mais comuns sobre os gadgets, abordar as suas funcionalidades mais interessantes e apontar os modelos mais atuais, incluindo aqueles considerados como as principais tendências de smart glasses para 2022.

O que são óculos inteligentes?

Conheça as tendências de smart glasses que vão dominar o mercado em 2022
Os wearables funcionam através de uma combinação de telas, sensores e acelerômetros, juntamente com um software inteligente (Imagem: Reprodução)

Até alguns anos atrás, falar em óculos inteligentes capazes de tirar fotos, gravar vídeos e enviar e receber mensagens parecia ser algo de desenho animado futurista. No entanto, a tecnologia está trazendo recursos e tendências inovadoras que estão sendo disponibilizadas para o público desde já.

Também chamados smart glasses, os óculos inteligentes são vestíveis que pretendem se tornar o que os smartphones e smartwatches são hoje em dia em termos de variedade de recursos. Ao contrário do celular, em que você precisa retirá-lo do bolso para ter acesso às informações na tela do aparelho, o grande destaque dos óculos inteligentes é a possibilidade de ter tudo isso bem em frente aos seus olhos, de uma maneira bem interativa. Eles também podem ser equipados com tecnologia de realidade aumentada, para ajudá-lo no dia a dia em sua casa ou no trabalho.

Os wearables funcionam através de uma combinação de telas, sensores e acelerômetros, juntamente com um software inteligente e conectividade com a internet para torná-los realmente úteis. Alguns modelos contam ainda com touchpads e controles de voz para ajudar os usuários a navegarem pelo software que os controla e podem ser incorporados nos óculos ou em um dispositivo de mão.

Não é realidade virtual, nem aumentada

Conheça as tendências de smart glasses que vão dominar o mercado em 2022
Alguns modelos de óculos inteligente já contam com tecnologia de RV e RA (Reprodução/Internet)

É importante diferenciar os smart glasses dos óculos de realidade virtual. Enquanto os óculos inteligentes funcionam como uma tela translúcida sobreposta com informações aos seus olhos, os óculos de realidade virtual criam uma série de imagens que simulam um ambiente virtual interativo.

Já os óculos de realidade aumentada sobrepõem imagens, vídeos e outras apresentações somadas ao que já estamos vendo, algo que se aproxima um pouco mais dos óculos inteligentes, mas que ainda se diferencia deles — apesar de usarem essa tecnologia, eles fazem muito mais do que isso. Um exemplo seria o famoso aplicativo Pokémon GO, onde as simpáticas criaturinhas aparecem por cima de locais que estamos acessando com a câmera do celular.

Alguns smart glasses já começaram a incorporar as tecnologias de realidade virtual e aumentada. Com isso, várias novas funcionalidades e recursos tornam-se possíveis. Por exemplo, imagine o quanto a vida seria mais fácil se você estivesse tentando encontrar um edifício e as direções aparecessem dentro do seu campo de visão?

Para que servem os smart glasses?

Conheça as tendências de smart glasses que vão dominar o mercado em 2022
Os óculos inteligentes podem, entre outras coisas, tirar fotos e gravar vídeos (Reprodução/Internet)

Você deve estar se perguntando agora, o que de tão diferente dá pra fazer com os smart glasses, se eles fazem o que um smartphone já faz? A resposta é simples: com tudo aparecendo no seu campo de visão, fica bem mais fácil lidar com as informações exibidas. A ideia é que você possa ver coisas como listas e ligações telefônicas chegando diretamente à sua frente, ou tirar fotos daquilo que você está vendo neste exato momento!

Eles vêm com funcionalidades como notificações, alarmes, navegação por mapas e até mesmo podem tirar fotos e gravar vídeos. Basicamente, o objetivo dos óculos inteligentes é, sem dúvidas, misturar a visão humana com o mundo virtual, produzindo uma espécie de computador onipresente. Com o auxílio de realidade aumentada, também é possível melhorar a navegação por mapas mostrando as direções no próprio caminho percorrido por você.

Por possuir microfone e alto-falantes embutidos em seu corpo, alguns modelos podem ainda ser grandes aliados de pessoas com deficiência visual, já que os assistentes virtuais podem fornecer algumas informações importantes para pessoas com essa limitação. Há, inclusive, algumas opções bem interessantes no mercado, com softwares criados especialmente para esta finalidade.

Empresas que já deram o primeiro passo

Google Glass da Google

Uma das primeiras empresas a explorar a tecnologia foi o Google. Em 2012, ela lançou o Google Glass e recebeu elogios por sua utilidade aos operários das áreas de montagem, logística e operação. O projeto do foi desenvolvido pelo escritório do Google X e foi mantido em sigilo por cerca de 6 anos, de 2006 a 2012. Quando veio à público, em 2013, a empresa implantou o programa Glass Explorer, que colocava o gadget à disposição de desenvolvedores e especialistas em tecnologia.

No entanto, a sua bateria pouco durável e a interface de usuário complicada o impediram de fazer um bom sucesso comercial. Além disso, outra questão levantada na época dava conta da sua privacidade. Muitas pessoas começaram a questionar se ele não poderia ser utilizado para roubar informações pessoas, para tirar fotos sem autorização entre outras coisas que colocaram em xeque sua viabilidade.

Por essa série de problemas, a Google decidiu pôr um fim ao wearable pouco tempo depois. Apesar disso, o dispositivo da gigante de buscas ainda é um dos exemplos mais conhecidos até hoje.

Echo Frames da Amazon

A gigante do e-commerce, Amazon, também resolveu apostar neste mercado e lançou, em 2019, o seu Echo Frames. O modelo, que funciona com o auxílio da Alexa, tem funções de realizar e receber chamadas, além de poder ouvir mensagens recebidas com o auxílio da Alexa. A companhia descreve o produto como um acessório para fazer ligações, definir lembretes, criar listas de tarefas, ouvir podcasts “ou controlar sua casa inteligente de qualquer lugar”.

O corpo dos óculos é construído em fibra de carbono e titânio. É possível usar o gadget pareado a um celular via Bluetooth 5.0. Ele também traz quatro micro alto-falantes (dois em cada lado da moldura) abertos, porém direcionados ao canal auditivo. O smart glasses da Amazon possui ainda um LED de status, controle de volume e carregamento com um adaptador próprio.

Com a carga completa — que leva cerca de 1h45 —, os óculos conseguem funcionar por até 4h com reprodução contínua de áudio (em 80% do volume). Os preços do Echo Frames podem chegar a US$ 270, e não há previsão de lançamento no Brasil.

Ray-Ban Stories da Meta e (claro) Ray-Ban

Outra iniciativa que traz funções bem interessantes é o Ray-Ban Stories. Feito em parceria com a Meta, ele se emparelha com o aplicativo Facebook View e permite tirar fotos e vídeos de até 30 segundos com câmeras duplas de 5MP integradas. Os óculos podem ser encontrados em 20 modelos e 5 opções de cores e lentes diferentes nos Estados Unidos.

A haste também traz outros recursos, com alto-falante e microfone integrados para comandos de voz e capturar o áudio do local, tocar música ou então para a conversa em uma chamada. A Ray-Ban promete que este último recurso utiliza tecnologia capaz de filtrar o som da rua, para entregar apenas a fala da pessoa durante uma chamada.

O Ray-Ban Stories está disponível na loja oficial da Ray-Ban com preços a partir de US$ 299. Ainda não há uma data de quando o gadget desembarcará no Brasil, mas a página brasileira do Ray-Ban já apresenta o produto e oferece um cadastro para interessados.

Tendências de smart glasses para 2022

Nxtwear Air Cinema da TCL

Falando de lançamentos recentes, nós temos o Nxtwear Air Cinema Glasses. Revelado pela TCL durante a CES 2022, os novos óculos são a segunda versão do NxtWear G, e oferece dois micro OLEDs com resolução Full HD, que dão ao usuário a impressão de estar assistindo a uma tela de 140 polegadas a uma distância de quatro metros.

Entretanto, para funcionar, o novo gadget também precisa, assim como na primeira geração, ser conectado a um smartphone via USB-C. A marca também cita que os óculos podem se conectar a notebooks e tablets. Os óculos contam ainda com alto-falantes estéreo embutidos. Mas se a ideia aqui é ter privacidade, a melhor opção é usar fones com fio ou wireless por Bluetooth.

Sobre disponibilidade e preço, a TCL ainda não divulgou quando ele chega ao mercado, nem quanto será necessário desembolsar para ter o novo produto da marca.

MeganeX da Panasonic

Panasonic meganex
MeganeX utiliza tecnologia MicroLED e traz o chipset Snapdragon XR1 da Qualcomm em seu interior (Divulgação/Panasonic)

Outro modelo apresentado durante a CES deste ano foi o MeganeX. Idealizado pela Panasonic, o minúsculo par de óculos usa tecnologia MicroOLED capaz de fornecer uma resolução 2K por olho, com uma taxa de atualização de 120 Hz e HDR de 10 bits. Ele é construído com o chipset Snapdragon XR1 da Qualcomm, mas não foi projetado para ser um headset autônomo. Em vez disso, os óculos precisam ser presos a um PC de jogos para funcionar.

Com o MeganeX conectado a um PC com USB, o usuário poderá acessar jogos sem complicações. O MeganeX também suporta rastreamento de cabeça sendo projetado para funcionar com quase todos os aplicativos SteamVR. O gadget promete ainda ser ultracompacto e ultraleve, chegando a pesar apenas 250g.

Outros detalhes são escassos no momento. A única informação liberada pela Panasonic até o momento é que o MeganeX será vendido por menos de US$ 900 quando for lançado no terceiro trimestre deste ano.

Vuzix Shield da Vuzix

A Vuzix também aproveitou a presença na CES 2022 para apresentar o Vuzix Shield Smart Glasses, seus mais novos óculos inteligentes, que recebeu inclusive o prêmio de inovação da feira este ano. Desenvolvido para clientes empresariais, o poderoso gadget traz um formato elegante e com detalhes muito bem acabados. Ele incorpora o Snapdragon XR1 e conta com telas microLED, além de tecnologias avançadas que prometem fornecer mais desempenho e eficiência óptica.

A empresa, com sede em Rochester, Nova York, disse que os Vuzix Shield Smart Glasses, anteriormente chamados de Vuzix Next Generation Smart Glasses (NGSG), representam os mais poderosos óculos inteligentes binoculares opticamente transparentes construídos para clientes corporativos até hoje em um óculos elegante e altamente tecnológico.

A empresa, no entanto, não divulgou maiores detalhes do dispositivo, nem quando ele estará disponível no mercado.

Eyewear 3 da Huawei

No final de dezembro do ano passado, a Huawei também revelou os seus óculos inteligentes. Feito para usuários que estão sempre em movimento, o Huawei Eyewear 3 é capaz de realizar ações como atender chamadas, realizar anotações, escutar músicas e muito mais sem o usuário precisar nem tocar em seu smartphone.

A construção do aparelho deve agradar a maioria dos usuários, podendo ser comprado nos estilos Boston, Wellington e Aviator, além de ter a possibilidade de alterar as lentes caso o usuário deseje. Em seu corpo, o modelo conta com alto-falantes e um microfone embutido, que pode ser usado para chamar a Celia, a assistente virtual da Huawei. Rodando o HarmonyOS, o Huawei Eyewear 3 conta ainda com proteção IPX4 contra água, rastreamento da saúde dos olhos do usuário e uma bateria que pode durar até 16 horas de uso moderado.

Os óculos já estão disponíveis para a compra na China pelo preço de R$ 1.513, na versão com lentes de prescrição e R$ 1.691 a versão de óculos de sol.

XR1 Smart Viewer da Qualcomm

O XR1 Smart Viewer, da Qualcomm, também é outra promessa de óculos inteligentes para o futuro próximo. O dispositivo possui duas telas OLED com resolução Full HD e taxas de atualização de 90Hz, que conseguem criar a ilusão de objetos em 3D e uma tela projetada na frente do usuário. Ele ainda traz o chipset Snapdragon XR1.

No entanto, um problema do modelo da Qualcomm está relacionado ao seu campo de visão, que ainda é bastante curto. Além disso, a conexão obrigatória com o celular ou computador via cabo USB diminui a sua versatilidade.

O XR1 Smart Viewer ainda não tem previsão para ser lançado oficialmente.

E o metaverso?

2021 foi um ano espetacular para os fãs e entusiastas de tecnologia. Entre as novidades que ganharam destaque estão os metaversos, universos virtuais onde as pessoas poderão, dentre outras ações, interagir entre si por meio de avatares digitais. Esse mundo será criado a partir de diversas tecnologias, como óculos de realidade virtual e realidade aumentada, por exemplo. Diferentes dos smart glasses que apresentamos até aqui, estes dispositivos apresentam um corpo mais robusto e, até então, as tecnologias mais avançadas. Confira alguns dos gadgets compatíveis com esta nova proposta.

Meta Quest 2 da Meta

Um dos modelos disponíveis no mercado é o Meta Quest 2, antigo Oculus Quest 2. Com um design menor e mais leve que a primeira geração, o headset conta com chipset Snapdragon XR2, 6GB de memória RAM e opções de armazenamento de 128 e 256 GB. O produto também possui frequência de 90 Hz. A ideia é que, num futuro próximo, as pessoas possam interagir de maneira dimensional entre si, utilizando os óculos de realidade virtual e aumentada, facilitando assim o desenvolvimento de projetos, apresentações e reuniões.

O Meta Quest 2 pode ser encontrado na loja da Amazon, custando R$ 3.450 a versão de 128 GB. Já o modelo de 256 GB pode ser comprado por R$ 4.400.

HoloLens 2 da Microsoft

Outra empresa que também vem trabalhando em seu próprio metaverso é a Microsoft. A partir deste ano, os usuários poderão participar de reuniões virtuais através do Teams utilizando avatares 3D, criando um universo de bonecos digitais que podem interagir entre si. Batizado de Microsoft Mesh, o recurso pode ser acessado através de um smartphone, óculos de Realidade Virtual de terceiros ou com o HoloLens 2, os óculos inteligentes de realidade mista da Microsoft.

O HoloLens 2, inclusive, nasceu com foco no uso corporativo. O modelo vem com o Snapdragon 850, 4 GB de RAM e armazenamento interno de 64 GB. Ele ainda possui um par de alto-falantes e uma câmera frontal de 8 megapixels para videoconferência, com capacidade para até 6 graus de rastreamento.

O dispositivo pode ser encontrado na Microsoft Store, custando a partir de US$ 3.5 mil, o que, convertido, dá algo em torno de R$ 20 mil.

Veja também:

Rumores indicam que a Apple também está preparando os seus óculos de realidade aumentada para lançamento ainda em 2022. Modelo terá dois processadores, dois visores com resolução 4K e será independente de iPhone e MacBooks.

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Total
1
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados