Conecte-se conosco

Android

Review: Moto Z2 Play + Moto Snaps (Style Shell, Insta-Share Projector e Power Pack)

Confira nossa análise completa do novo smartphone modular da Motorola, o Moto Z2 Play, incluindo projetor, bateria externa e capa de madeira

Testamos o Moto Z2 Play e a análise você confere agora

A família de dispositivos Moto Z é uma das mais inovadoras na história da Motorola. Várias fabricantes tentaram implementar o conceito de acessórios modulares em seus smartphones, mas nenhuma foi tão bem sucedida como a recém-adquirida pela Lenovo.

O diferencial da linha Z é a compatibilidade com os Moto Snaps, acessórios que se conectam com o dispositivo ampliando suas funcionalidades. De caixas de som, baterias extras e até joysticks, tem Moto Snap pra todo gosto.

O Moto Z2 Play é o primeiro integrante da segunda geração da linha. Trazendo compatibilidade com os Snaps da primeira geração, o dispositivo corrige algumas das falhas do seu irmão mais velho. Confira nossa análise completa.

Pontos Positivos

  • Compatibilidade com Moto Snaps de primeira geração;
  • Mais fino, leve e anatômico nas mãos;
  • Navegação pelo leitor de impressões digitais;
  • Mesmo com a redução da capacidade da bateria, mantém uma boa autonomia;
  • Ótima relação custo x benefício.

Pontos Negativos

  • Falta de estabilização na câmera;
  • Preço dos Moto Snaps é muito alto.

Design

Mesmo parecido com Moto Z Play, o Z2 Play tem seu charme particular. Mais fino, o dispositivo mantém o mesmo esquema e formato do seu antecessor – garantindo suporte retroativo aos Moto Snaps (vamos falar sobre isso em breve). Claro, a câmera continua saltada e você vai ter que continuar tendo cuidado ao posicionar o dispositivo sobre mesas. Na parte frontal, a principal alteração foi no leitor de digitais – que agora é fundo e não possui arestas como no primeiro modelo. Isso torna a utilização muito mais natural e foi uma mudança imprescindível para a adição do recurso de navegação pelo leitor de digitais. O dispositivo ficou mais anatômico, e sua pegada mais agradável e segura. Em suma, o design do Z2 Play é a evolução natural e necessária do Z Play.

Tela

O dispositivo conta com tela de 5.5″ Super AMOLED com resolução Full HD (1080×1920). O brilho é excelente e mesmo no nível mínimo é razoavelmente intenso. As cores são exibidas com boa qualidade e saturação. A tela também é um dos responsáveis pela boa durabilidade da bateria. Como displays AMOLED conseguem ligar e desligar pixels de forma independente, a exibição de fundos completamente pretos (#000000) não consomem energia, já que esses pixels não se acendem.

Áudio

O Moto Z2 Play possui apenas um alto falante, posicionado na parte superior frontal. O volume é satisfatório para a maioria dos usos, mas se você quer ouvir música alta, melhor adquirir a Snap JBL SoundBoost.

A saída para fones de ouvido de 3.5mm está presente na parte inferior do dispositivo, assim como no seu antecessor. Ponto para Motorola por não removê-lo!

Dual Sim e Slots

O dispositivo continua sendo dual sim, e conta com bandeja não-híbrida. Isso significa que você pode utilizar dois chips nano-sim e um cartão MicroSD simultaneamente.

Performance

Antes de entrar em detalhes, vamos conferir uma pequena tabelinha comparando as principais especificações do Moto Z2 Play com seu antecessor:

Moto Z Play Moto Z2 Play
Chipset Snapdragon 625 Snapdragon 626
Clock Máx. do Processador 2GHz 2.2GHz
GPU Adreno 506 Adreno 506
Memória RAM 3GB 4GB

Como o design, o hardware também passou por uma evolução natural. Você pode esperar a performance robusta do seu antecessor, ainda melhor. Durantes os testes o aparelho não travou uma vez sequer. Tudo muito fluido: aplicativos abrem e são alternados instantaneamente, o recurso de tela dividida funciona incrivelmente bem (melhor ainda com o modo de navegação pelo leitor biométrico) e jogos são executados sem o menor problema. Por falar neles, testamos Lara Croft: GO, Injustice 2, Rayman Adventures, Mortal Kombat X e Horizon Chase. Todos eles rodaram perfeitamente.

Armazenamento

São 64GB de memória interna, sendo 50GB livres para utilização do usuário. É bastante espaço para um dispositivo dessa faixa de preço. Ainda há um slot para cartão MicroSD de até 2TB, caso queria expandir a capacidade de armazenamento.

Sistema Operacional

Seguindo a tradição da linha Moto, o Z2 Play oferece uma experiência quase pura do Android 7.1.1 Nougat. Particularmente, considero esse um dos pontos fortes da linha Moto. Ao manter o sistema enxuto e sem skins (ao contrário da maioria das fabricantes), fica mais fácil lançar atualizações de futuras versões do Android. A launcher padrão segue o estilo da Pixel Laucnher, sem botão central: basta arrastar a tela para cima para acessar a gaveta de aplicativos.

Recursos Moto

As principais adições no sistema operacional são os recursos Moto, presentes nos demais dispositivos da linha. O pulo do gato aqui são os novos recursos exclusivos do Z2 Play.

O novo Moto Voz permite que o usuário exiba informações úteis na tela sem precisar tocar no aparelho. A diferença do Moto Voz no Z2 Play é que existe todo um sistema independente, separado do Google / Google Now. Por exemplo, ao dizer “Me mostre o clima”, a tela exibe automaticamente uma página com a temperatura atual nativamente. Você pode dizer “Me mostra o próximo evento”, por exemplo, e seus compromissos no Google Agenda serão exibidos. Ou “Me mostra o Chrome”, “Me mostra o Instagram” ou “Me mostra o Whatsapp” e os respectivos aplicativos serão exibidos. É um dos recursos mais úteis do aparelho.

O Moto Tela permite visualizar e interagir com notificações na tela e é especialmente útil na linha Z. Com suas telas Super AMOLED, apenas os pixels necessários para exibir as notificações e seus conteúdos são acesos. Menos pixels acesos, menos consumo de bateria.

O Moto Ações utiliza os sensores do smartphone para acessar aplicativos ou ativar e desativar funções. Por exemplo, a famosa girada para abrir a câmera e a sacudida para acender os LEDs e utilizar o aparelho como lanterna. Mas o principal recurso aqui (também exclusivo do Z2 Play) é a possibilidade de se ativar a navegação pelo leitor de impressões digitais. Ao ativá-lo, a barra inferior de navegação some e as funções dos botões voltar, menu e alternar entre aplicativos são transferidos para o leitor de digitais. Basta então deslizar o dedo para a esquerda para voltar, dar um toque rápido para acessar a home e arrastar o dedo para a direita para alternar entre aplicativos. Achei essa função genial. Por mais que eu prefira botões digitais à físicos, navegar pelo sensor de digitais é muito agradável e de quebra você ganha alguns pixels na tela.

Câmera

A câmera traseira tem 12 megapixels e segue o mesmo padrão de qualidade da câmera de seu antecessor. O foco é ligeiramente mais preciso, principalmente devido à combinação foco a laser + autofocus pixel. A nova câmera tem abertura f/1.7, que permite a captura de 25% mais luz se comparada com a câmera do Moto Z Play de primeira geração.

A mudança de foco está melhor e mais rápida no Moto Z2 Play.

É possível fazer gravações de vídeo até com resolução até 4k, rodando a 30 quadros por segundo.

A câmera frontal também teve melhorias. Com 5 megapixels, lente com ângulo de 85º (ideal pra selfies com muita gente), tem flash duplo e tecnologia de correção de cores. Temos agora o Beauty Mode, que “corrige” pequenas manchas e suavizam a pele. Esse modo já é comum em smartphones de outras marcas, e é interessante aparecer por aqui também.

O software da câmera foi atualizado e agora possui um modo profissional. Nele é possível fazer o ajuste fino de configurações como foco manual, balanço de branco, velocidade do obturador, ISO e compensação de exposição. É com esse modo que você consegue os melhores resultados, principalmente em ocasiões noturnas ou com pouca iluminação.

É certamente uma câmera boa, mas nada comparado às câmeras de dispositivos topo de linha. O maior problema é a falta de estabilização: se você não segurar bem o aparelho, são grandes as chances de tirar fotos ou gravar vídeos trêmulos ou borrados.

Vale notar que o vidro da câmera parece ser mais resistente que no modelo anterior. Uma das grandes reclamações dos donos do Moto Z Play de primeira geração é a facilidade em arranhar o vidro. Mesmo transportando meu Z Play 1 em um compartimento acolchoado na mochila, sem nenhum outro item dentro, em poucos dias o vidro já estava todo arranhado. Durante a semana de testes, transportei o Z2 Play no mesmo compartimento e nenhum arranhão.

Bateria

A internet entrou em polvorosa quando as especificações do Moto Z2 Play começaram a surgir. O principal motivo? A bateria com capacidade de 3000mAh, que mesmo com grande capacidade, ainda era menor que os 3510mAh do seu antecessor. Infelizmente foi uma medida necessária para tornar o aparelho mais fino e a pegada mais anatômica.

Durante os testes, a média de duração da carga foi de 29 horas com uso moderado-intenso do dispositivo: brilho de tela acima da metade, 2 horas de Spotify, algumas horas de navegação web e reprodução de vídeos. Conexão 3G e Wi-Fi ativas durante todo o tempo. Nas mesmas condições de uso, uma carga do meu Z Play de primeira geração chega a durar mais de 36 horas.

Fica óbvio que a redução da capacidade de bateria teve impacto, mas o aparelho ainda consegue facilmente ficar mais de um dia longe da tomada. O processador Snapdragon 626 (que é bastante econômico) e a tela Super AMOLED contribuem bastante para esse resultado. Decisão acertada da Motorola mantê-los do dispositivo.

Moto Snaps + Retrocompatibilidade

A Snap Turma reunida. Da esquerda para à direita: Style Shell Madeira, Insta-Share Projector, Power Pack e JBL SoundBoost

Uma das partes mais divertidas e interessantes da análise. Meu dispositivo principal é um Moto Z Play Sound Edition (que inclui a Snap SoundBoost da JBL). Desde o anúncio da linha Z, a Motorola prometia compatibilidade das snaps com os futuros dispositivos da família. E é claro que isso era uma das coisas que eu mais queria testar.

A Motorola nos enviou um kit com três Snaps para análise:

  • Moto Insta-Share Projector (incluído no kit com o aparelho, na versão Projector Edition)
  • Moto Power Pack
  • Moto Style Shell Madeira

Já adianto: todos os Snaps enviados funcionaram perfeitamente com a primeira geração do Moto Z Play, e a JBL SoundBoost (de primeira geração) também funcionou perfeitamente com o Moto Z2 Play. A promessa de compatibilidade entre versões foi cumprida.

Moto Style Shell Madeira

Construída em madeira, a Snap Style Shell é basicamente uma capinha traseira para o dispositivo. Não é só um acessório para dar estilo ao dispositivo: por dar um pouco mais de volume ao aparelho (quase nada, acredite), a pegada melhora consideravelmente. Isso fica mais nítido no Moto Z Play de primeira geração, se comparado com a snap vermelha incluída no kit que deixa o aparelho bem escorregadio. Uma outra vantagem que a Style Shell oferece (mais uma vez, com impacto maior do Z Play de primeira geração) é o fato de que a capa fica no mesmo nível da saliência da câmera. Isso passa uma grande sensação de segurança ao posicionar o telefone sobre superfícies como mesas. Digo por experiência própria: tenho muito cuidado com meus devices. Mesmo assim, o vidro da câmera do meu Z Play de primeira geração está toda arranhada. Certamente a Style Shell poderia ter evitado isso.

Preço sugerido: R$99,00

Moto Power Pack

Power Pack, nada mais é que uma bateria externa para o dispositivo. O Snap é fino, discreto e possui uma textura bem leve – mantendo o telefone bem seguro nas mãos durante o uso. Não existem detalhes sobre as especificações técnicas do Moto Snap na caixa. Nos testes, o Power Pack foi capaz de carregar cerca de 45% da bateria do Moto Z2 Play, fornecendo cerca de 10 horas adicionais de uso. Senti falta de uma entrada USB-C no Snap para que possa ser carregada independente. Só é possível carregá-lo junto com aparelho, enquanto conectado.

Até o fechamento desta análise, a Power Pack não estava disponível para venda.

Moto Insta-Share Projetctor

O Moto Insta-Share Projector é um dos snaps mais legais. Ele transforma o dispositivo em um projetor portátil de até 70″. Tem uma bateria independente com autonomia de cerca de 1 hora. Quando a bateria do projetor acaba, o Snap começa a ser alimentado pela energia do próprio aparelho, da mesma forma que acontece com o Snap de áudio da JBL, por exemplo. Se você tiver uma tomada próxima disponível, ainda é possível manter o telefone conectado ao carregador durante a utilização – assim tanto o aparelho e o Snap serão carregados durante o uso.

Você pode ligar uma caixa de som externa (pela entrada de fone de ouvido) e assistir séries e filmes, ou conectar um joystick bluetooth e jogar games numa tela enorme (o joystick do Xbox One S é uma ótima pedida). Você também pode utilizá-lo na faculdade ou no trabalho para exibição de vídeos ou apresentações de slide. Por permitir a projeção de qualquer conteúdo exibido na tela do smartphone, as possibilidades são muitas. Basta utilizar a criatividade!

Preço sugerido: R$1499,00

Compensa adquirir as Moto Snaps?

As Moto Snaps tem uma ótima qualidade geral. Se conectam com todos os aparelhos da família Z, são portáteis e expandem de forma expressiva as funcionalidades. Infelizmente os preços individuais de algumas Snaps são tão altos, que custam quase o mesmo que o Moto Z2 Play sem nenhum Snap.

Se ficou interessado em um Moto Z2 Play e em alguma Moto Snap, o melhor é adquirir um kit. Os kits disponíveis são Power Edition (com a PowerPack), Sound Edition (com a JBL SoundBoost) e Projector Edition (com o Insta-Share Projector). Todos com valores razoavelmente mais altos que a versão básica, mas que compensam muito se levado em consideramos o preço individual dos Snaps.

Dito isto, são ótimos investimentos se você pretende permanecer na linha Z por alguns anos, já que a Motorola cumpriu bem a promessa de compatibilidade entre Snaps e aparelhos.

Vale a pena?

O Moto Z2 Play é um dos melhores, senão o melhor,  smartphone da sua categoria. A versão básica, sem nenhuma Moto Snap custa R$1999,90 na loja oficial da Motorola, mas já pode ser encontrada na faixa dos R$1600,00 à vista em diversas lojas online.

Difícil algum outro smartphone dessa faixa de preço ter uma relação custo x benefício tão vantajosa, principalmente se adquirido em algum kit com Moto Snap incluso.

O Moto Z2 Play é um intermediário premium com estilo e performance pra high end nenhum botar defeito.

Especificações Técnicas

Sistema Operacional Android 7.1.1 Nougat
Bateria 3000mAh (não removível)
Tela 5.5″ Super AMOLED
Resolução FullHD (1080×1920)
Densidade de Pixels ~400ppi
Proteção Gorilla Glass 3
Câmera 12MP, com abertura f/1.7, foco a laser e flash dual-LED
Chipset Qualcomm Snapdragon 626
Processador Cortex A-53 Octa-Core 2.2GHz
GPU Adreno 506
Memória RAM 4GB
Armazenamento Interno 64GB, sendo 50GB disponíveis para o usuário
Expansão Slot MicroSD de até 2TB
Sensor Biométrico Sim, com função de navegação
Demais Sensores Acelerômetro, bússola e giroscópio
Conectores USB Tipo-C e P2 3.5mm
Conteúdo da Caixa Cabo USB Tipo-C, adaptador de tomada Turbo e fones de ouvido

Imagens: @elciofotografia

Moto Z² Play

R$ 1600,00 (versão básica, sem Moto Snap incluída)
Moto Z² Play
91

Design

9/10

    Performance

    10/10

      Câmera

      8/10

        Moto Snaps

        9/10

          Preço

          10/10

            Pros

            • Compatibilidade com Moto Snaps de primeira geração
            • Mais fino, leve e anatômico nas mãos
            • Navegação pelo leitor de impressões digitais
            • Boa autonomia de bateria
            • Ótima relação custo x benefício

            Cons

            • Falta de estabilização na câmera
            • Preço das Moto Snaps é muito alto

            código + música + coisas LGBTQ + gaming

            Comentários

            Mais de Android

            Dica

            Advertisement

            Mais Lidas

            Reviews

            Cultura Geek

            Tutoriais

            Recomendado para você



            Subir