Review: Unruly Heroes é a jornada épica dos desenvolvedores de Rayman Legends

Unruly Heroes - Tela De Início
Unruly Heroes é uma evolução digna dos sucessos Rayman Legends a desenvolvedora Magic Design impressiona

A desenvolvedora Magic Design Studios não é exatamente uma novata. Formada por ex-funcionários da Ubisoft Montpellier (responsável por games como Rayman Origins e Legends), a empresa acaba de lançar seu primeiro título: Unruly Heroes. Game de plataforma com elementos beat-‘em-up inspirado no romance chinês Jornada ao Oeste. A empresa gentilmente nos cedeu uma cópia digital da versão de Nintendo Switch para análise.

Uma bela jornada

Unruly Heroes - Captura
O jogo não perde tempo e já nas primeiras fases é possível notar a belíssima direção de arte

Já nos primeiros níveis, Unruly Heroes impressiona pela beleza

A primeira coisa a se notar é a belíssima direção de arte. Nos mesmos moldes de Rayman Legends, o game parece um desenho vivo. Eventualmente mesclando elementos em 3D na composição, as cores são vibrantes e os personagens e cenários são muito bem animados. Mas a semelhança com Rayman para por aí. Unruly Heroes tem muito mais camadas de complexidade em seu gameplay.

Unruly Heroes - Review
Semelhanças com Rayman acabam logo no início

O combate é acessível e as características únicas de cada personagem te incentivam a descobrir qual deles funciona melhor para seu estilo de jogo.

No modo aventura, você percorre 29 fases dividas em 4 mundos diferentes. Na jornada, você vai passar por desafios de plataforma, resolver puzzles utilizando as diferentes habilidades dos personagens e enfrentar grandes chefes. São quatro personagens jogáveis, cada um com suas peculiaridades e habilidades exclusivas. É possível jogar a campanha com quatro jogadores – cada um no comando de um herói.

A história de Unruly Heroes é contada por pequenos diálogos durante as fases. O enredo é bem simples e o game cria a narrativa muito mais pelo seu visual do que pelos seus textos e cenas de corte. Uma ótima notícia pra nós, brasileiros: o game tem menus e legendas em português do Brasil.

Lute, pule, explore

Os movimentos básicos são ataque corpo-a-corpo, ataque a distância e pulo. Há também uma barra de especial que se carrega ao eliminar inimigos. Assim que ela fica cheia, basta pressionar os botões de ombro do controle para que seu personagem descarregue uma rajada de poder temporariamente. Caso esteja jogando sozinho, o botão L serve para alternar entre os heróis, permitindo que você use suas habilidades únicas em momentos específicos da jornada. O combate é simples e semelhante a sucessos independentes como Shank e Guacamelee. São vários tipos de inimigos com seus próprios ataques e comportamentos.

Unruly Heroes peca apenas na movimentação dos personagens. Em vários momentos eles são escorregadios e parecem flutuar ao pular. Os golpes também podem influenciar no posicionamento do personagem e isso pode frustrar em níveis onde precisão é a chave. Essa imprecisão torna-se uma camada desnecessária de dificuldade.

Unruly Heroes - Review
Trechos como esse são uma carta de amor aos jogos de plataforma dos anos 90

O design das fases é variado e mescla bem as seções de combate, quebra-cabeças e desafios de plataforma. Em alguns níveis, há mecânicas únicas. Em um deles, por exemplo, você utiliza um vaso que suga o ar para engolir a névoa que bloqueia a visão e mover itens. Em outra, você golpeia engrenagens e ovos gosmentos para abrir portas e desbloquear barreiras. E também existem pequenos twists em forma de homenagens a sequências de games clássicos, como as minas de Donkey Kong Country e a fuga da caverna no tapete mágico em Aladdin (SNES).

Outra mecânica interessante de Unruly Heroes são os níveis onde você “possui” o corpo de inimigos (no melhor estilo Super Mario Odyssey) e utiliza suas habilidades para solucionar quebra-cabeças e navegar pelo cenário. Toda essa variação torna o jogo pouco repetitivo.

Lutas com Chefes

Unruly Heroes - Boss Fight
As lutas contra chefes são desafiadoras e vencê-los é sempre recompensador

Uma das maiores surpresas de Unruly Heroes são as batalhas com chefes. Aqui você coloca à prova tudo o que aprendeu com as mecânicas introduzidas nas fases anteriores.

As batalhas têm uma atmosfera épica, sendo inclusive responsáveis por apresentar algumas das melhores faixas da trilha sonora. Os chefes são grandes, intimidadores e oferecem desafios recompensadores. É notável que a equipe de desenvolvimento colocou muito carinho, tempo e criatividade na esquematização dessas sequências.

Multiplayer

Campanha

O modo multiplayer na campanha é intuitivo: conecte novos controles e seus amigos podem entrar a qualquer momento durante a partida. Jogar a campanha com amigos é uma tarefa desafiadora, especialmente se algum dos parceiros não tem muita habilidade em jogos de plataforma. Minha experiência foi bem mista. Apesar de divertido, é essencial ter uma equipe balanceada para que os desafios não se tornem frustrantes. O modo cooperativo da campanha só está disponível para partidas locais.

Jogador Versus Jogador em Unruly Heroes

Além disso, Unruly Heroes tem um modo competitivo local e online. O modo jogador versus jogador coloca até 4 jogadores em uma arena de batalha. São quatro fases mata-mata, onde o objetivo é acabar com a barra de saúde dos adversários e uma fase colheita, onde o objetivo é coletar o máximo de frutos que surgem na tela. O modo é simples e divertido. Ótimo pra uma distração rápida (e caótica) com amigos.

No Nintendo Switch, tentei conectar-me a um amigo online por meio de salas privadas múltiplas vezes e não consegui. Esperamos que em uma atualização futura a Magic Studios corrija esse problema.

Tecnicalidades

Ao contrário do que parece, a Magic Design Studios não utilizou o motor gráfico UbiArt, proprietário da Ubisoft e utilizado em games como Rayman Legends, Child Of Light e Valiant Hearts. O motor escolhido foi o Unity, famoso por sua flexibilidade e acessibilidade. No blog “made with unity” (em inglês), a equipe de desenvolvimento dá alguns detalhes sobre como foi o processo de desenvolvimento do game utilizando o motor gráfico. A equipe desenvolveu uma série de extensões para a Unity com funcionalidades semelhantes à aquelas encontradas na UbiArt. Essas extensões permitem por exemplo, editar os níveis das fases com facilidade e manipular sprites (criando animações, aplicando efeitos e deformações).

Analisamos o game no Nintendo Switch e a performance foi satisfatória. Mesmo com quatro jogadores simultâneos, a taxa de quadros por segundo se mantém firme o game não engasga.

Veredito

Unruly Heroes é um bom título. Se você gosta de games de plataforma com ênfase em combate, não pode deixar passar batido. Seu gameplay variado, belíssima direção de arte e trilha sonora ofuscam seus problemas de precisão na movimentação dos personagens. Levei pouco mais de 6 horas para terminar a campanha principal.

Antes do fechamento dessa análise, a Magic Design Studios lançou um grande patch para a versão PC do game que trouxe diversas melhorias no setor de gameplay, incluindo balanceamento de personagens.

O game custa R$74,95 no Xbox One e PC e USD 19.99 no Nintendo Switch.

Unruly Heroes
  • Visual - 10/10
    10/10
  • Jogabilidade - 7/10
    7/10
  • Narrativa - 7/10
    7/10
  • Som - 7/10
    7/10
7.8/10

Unruly Heroes

Um bom jogo de plataforma, que brilha na apresentação e variedade mas escorrega (literalmente) no gameplay.

Pros

  • Direção artística e gráficos belíssimos
  • Fases com mecânicas variadas
  • Lutas com chefes

Cons

  • Controles muitas vezes imprecisos
  • Falta de balanceamento na dificuldade do modo cooperativo da campanha
  • Multiplayer competitivo online não funcionou durante os testes

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Deixe uma resposta

Receba notícias por e-mail