Homem russo processa a Apple por ‘transformá-lo’ em gay; entenda

Um homem russo recorreu aos tribunais contra a Apple após a empresa transformá-lo em gay. Ele pede US $ 15.300 em idenização; entenda

Processar empresas por falhas em seus produtos é algo comum em diversos lugares do mundo. Mas uma situação um tanto inusitada ocorreu nesta semana. Um homem russo resolveu processar a Apple em US$ 15.300 depois de alegar que a empresa o levou à homossexualidade.

Em uma estação de rádio russa, o jovem identificado como D. Razumilov alegou ter se tornado gay ao se envolver em uma situação de relacionamento entre pessoas do mesmo sexo, após receber 69 GayCoins em um aplicativo de pagamentos em criptomoeda. O russo diz ter instalado o App em seu iPhone em 2017.

O processo contra a Apple é motivado após o russo receber 69 GayCoins no aplicativo de pagamentos em criptomoeda. A situação em questão aconteceu em 2017, em seu iPhone
O processo contra a Apple é motivado após o russo receber 69 GayCoins no aplicativo de pagamentos em criptomoeda. A situação em questão aconteceu em 2017, em seu iPhone

O sujeitou alegou que um remetente anônimo enviou uma mensagem em inglês na qual dizia: “não julgue sem tentar”. Após isso, o russo percebeu que a Apple havia o “transformado” em gay. Na entrevista, ele afirma ter pensado em como processar a Apple. Logo, chegou a conclusão: um processo pelo fato do iPhone “gerar” relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo.

D. Razumilov ainda lamentou a situação explicando que dois meses depois ele começou a namorar uma pessoa do mesmo sexo e, pasmem, ele não consegue sair do relacionamento. O homem diz que tem um namorado e, agora, ele não sabe explicar isso aos pais. Depois de receber a mensagem “não julgue sem tentar”, o indivíduo viu sua vida mudar para pior e nunca mais será normal, explica Razumilov.

“Posso dizer que, depois de dois meses, estou focado na intimidade com um membro do meu próprio sexo e não consigo parar. Tenho um namorado estável e não sei como explicar isso aos meus pais. Depois de receber a mensagem, minha vida mudou pior e nunca será normal novamente”

D. Razumilov, homem russo que processa a Apple por “transformá-lo” em gay

Apple e a comunidade LGBTQ+

A Apple é conhecida por abraçar a comunidade LGBTQ+, mas para o russo a companhia foi longe demais
A Apple é conhecida por abraçar a comunidade LGBTQ+, mas para o russo a companhia foi longe demais

No processo, que fazendo a conversão dá cerca de 1 milhão de Rublos, a possível vítima acusou a Apple de “manipulativamente me empurrar em direção à homossexualidade” e por “sofrimento moral e danos à saúde mental”. Para quem não tem conhecimento sobre os costumes do pais, em 2003 a Rússia criminaliza qualquer tipo de “propaganda de orientação sexual não tradicional para menores”, em tradução literal.

Ou seja, fica proibido toda demonstração de afeto entre pessoas do mesmo sexo, sendo passível de multa que vão até 70 mil rublos russos (R$ 4.200).

O episódio mais recente que envolve as leis da Rússia e o público LGBTQ+ ocorreu na última Copa do Mundo, em 2018. O país lançou uma cartilha que proibia ‘carinho gay’ em público, entre outros avisos descritos para o público homossexual. Na ocasião, Fernanda Gentil, apresentadora da Rede Globo enviada para realizar a cobertura da Copa, mencionou que estava “sempre na atividade, muito ‘menininha'”, quando comentou sobre cartilha.

A Apple é uma empresa aberta à diversidade. A companhia está sempre realizando promoções em prol da comunidade LGBTQ+, mas parece que ela foi longe demais. A ação do russo contra a Apple foi registrada no Tribunal Distrital de Presnensky, em Moscou, e a audiência está marcada para acontecer em 17 de outubro. Será que ele vence essa?

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Deixe uma resposta