Lei para zerar imposto sobre games deve ser votada em breve pelo Senado

Senado votará em breve Lei para zerar imposto sobre Games
A PEC 51/2017, que visa reduzir imposto sobre games e consoles, será votada em breve pelo Senado e os inclui na lista de produtos culturais com isenção tributária
Anúncio
Lei para zerar imposto sobre games deve ser votada em breve pelo Senado

Segundo informações aparentemente passadas pelo Deputado Federal Bernardo de Souza Joaquim Jr., a câmara do Senado entrará em breve em votação a respeito da PEC 51/2017, proposta que visa zerar imposto sobre games e produtos eletrônicos vinculados. Caso seja aprovada e entre em vigor, a lei pode beneficiar 67 milhões de brasileiros.

A PEC (Proposta de Emenda à Constituição) nº 51, foi criada em 2017 a partir da sugestão (SUG 15/2017) do internauta Kenji Kikuchi, que buscava originalmente reduzir de 72% para 9% a carga tributária sobre os jogos eletrônicos, percentual que segundo Kikuchi seria similar ao dos EUA, maior mercado de games mundial.

Elaborada pela senadora Marta Suplicy, a PEC 51/2017 tem o objetivo de incluir os jogos (físicos e digitais) e consoles de videogame na lista de produtos culturais que possuem isenção tributária, como é o caso de livros e CDs. Foi na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), a partir de relatório do senador Telmário Mota (Pros-RR), que a PEC 51/2017 foi formalizada, optando-se por zerar imposto sobre games e consoles fabricados no Brasil, como forma de fomentar a indústria nacional.

Principal objetivo da PEC 51/2017 é reduzir impostos de jogos e consoles
Principal objetivo da PEC 51/2017 é reduzir impostos de jogos e consoles

Em 2019, a PEC foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Na ocasião, Telmário destacou que a indústria de jogos eletrônicos não para de crescer em todo o mundo, sendo interessante portanto estimular a produção local. Segundo dados da New Zoo, consultoria especializada no segmento, o mercado de videogames já movimenta globalmente mais de U$ 150 bilhões por ano (mais do que as indústrias do cinema e da música somadas) e a expectativa é que ultrapasse R$ 200 bilhões em 2023. É mais do que as indústrias do cinema e da música somadas.

“Embora a PEC 51/2017 possa parecer um privilégio a esse setor, não temos dúvida que a desoneração aumentará a arrecadação tributária como um todo nesse segmento. Haverá incremento dos empregos e das contribuições sobre a receita bruta, que continuarão a incidir normalmente. A imunidade, embora cause um impacto específico nos impostos dispensados, no contexto geral promoverá um incremento de tal monta, que o saldo será positivo”

Telmário Mota (Pros-RR), senador, na CCJ em 2019

Estímulo à indústria nacional seria alternativa a zerar imposto sobre games

Na ocasião, o senador Cid Gomes (PDT-CE) apresentou uma visão crítica à PEC. Para ele, o estímulo à indústria nacional de jogos deve vir na forma de créditos para pesquisas, combate direto à pirataria e uma maior tributação sobre produtos importados, e não na forma de zerar imposto sobre games.

Também em 2019, o presidente Jair Bolsonaro assinou o Decreto 9971, que reduziu o Imposto de Produtos Industrializados (IPI) incidente sobre videogames e consoles. As alíquotas, que até então variavam entre 20% a 50%, foram reduzidas para uma faixa entre 16% a 40%.

Fontes: Meu Xbox, Senado Notícias, New Zoo, Depositphotos

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:

2 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

Assine nossa Newsletter