10 jogos que precisam entrar na retrocompatibilidade do Xbox

10 jogos que precisam entrar na retrocompatibilidade do xbox. A retrocompatibilidade do xbox é uma das melhores adições recentes para os consoles da família, e aqui vamos apresentar alguns jogos que poderiam ser adicionados
A retrocompatibilidade do Xbox é uma das melhores adições recentes para os consoles da família, e aqui vamos apresentar alguns jogos que poderiam ser adicionados

Desde que começou o seu programa de retrocompatibilidade, a Microsoft já adicionou dezenas de jogos do Xbox original e do 360 para o Xbox One. Depois, quando lançou o Series S|X, garantiu que todos os títulos estivessem disponíveis no dia 1 para seu novo aparelho. Esse foi um movimento fenomenal para manter e valorizar a biblioteca de jogos dos consumidores da marca.

Nos últimos tempos, o time que faz as conversões tem trabalhado no sistema de FPS Boost, que melhora o número de quadros de jogos antigos, o que é ótimo. Porém, já faz alguns bons meses que nenhum novo título é adicionado à biblioteca de retrocompatíveis do Xbox, e por conta disso fizemos uma lista de Top 10 jogos que poderiam entrar na retrocompatibilidade do Xbox.

Eternal Sonata

A imagem mostra os personagens principais de eternal sonata, que precisa estar na retrocompatibilidade do xbox.
O game trata a vida de um famoso musicista e mistura elementos tradicionais dos JRPGs.

Os jogos de JRPG muitas das vezes fazem misturas curiosas na hora de contar suas histórias, e Eternal Sonata não foge à regra. Seu roteiro se passa em uma espécie de sonho do musicista Frédéric Chopin, que morreu bem jovem, aos 39 anos, de tuberculose, e mistura o mundo da música com os de fantasia do RPGs.

Eternal Sonata foi produzido pela tri-Crescendo, que já trabalhou em diversos títulos da franquia Tales of e Star Ocean, e foi publicado pela Bandai Namco. Como o enredo envolve o mundo da música, a trilha sonora vista no game é sensacional, e foi produzida pelo tecladista Motoi Sakuraba, veterano da indústria e responsável pelo áudio do vindouro Tales of Arise.

Nos últimos anos, o Xbox tem recebido diversos jogos japoneses, como a franquia Yakuza, Kingdom Hearts e outros, e Eternal Sonata seria uma belíssima adição à retrocompatibilidade do Xbox, já que possui ótimos gráficos e aumentaria a biblioteca de JRPG do consoles.

Magna Carta 2

A imagem apresenta o logo de magna carta ii
Durante um período da era do Xbox 360, a Microsoft bancou uma série de jogos japoneses, e Magna Carta II foi um deles.

Como dito acima, JRPGs não são tão comuns assim nos consoles da família Xbox. Apesar das recentes mudanças, Magna Carta 2 é um dos jogos que já poderiam estar disponíveis. O game foi produzido pela coreana Softmax e publicado no mundo todo pela Bandai Namco, exceto na Europa, onde foi lançado pela Atari.

Magna Carta 2 é exclusivo do console, ou seja, é um game do Xbox 360, só isso já seria motivo o bastante para a sua adição à retrocompatibilidade do Xbox. O sistema de combate do jogo lembra bastante os MMORPG do final dos anos 2010, com bastante foco na ação.

Binary Domain

A imagem apresenta os personagens principais de binary domain.
Binary Domain foi relembrado recentemente por seu criador, então sua adição ao serviço de retrocompatibilidade do Xbox seria mais que bem-vinda.

O Xbox possui uma excelente biblioteca de jogos de tiro em terceira pessoa, mas que poderia ficar ainda melhor com a adição de Binary Domain. A ação no game é frenética e lembra bastante a vista na franquia Gears of Wars. A história nos mostra um futuro (talvez nem tão) distópico onde as máquinas são a principal força de trabalho e o mundo está inundado devido a problemas climáticos.

Binary Domain foi idealizado pelo criador da franquia Yakuza, Toshihiro Nagoshi, e foi lançado pela Sega em 2012. Nagoshi disse recentemente que gostaria de trabalhar em uma versão remasterizada do game, mas se há a possibilidade de colocar o título na retrocompatibilidade do Xbox, nada mais justo do que o fazer.

Jogos musicais (vários)

Um palco com uma banda e o público agitado com o desempenho musical.
Guitar Hero, junto com outros títulos musicais, caíram no limbo da indústria dos games.

O mundo dos games vive de fases, e uma das mais marcantes foi a dos games musicais. Há games onde podemos tocar guitarras, baixos, bateria e cantar, ou seja, praticamente uma banda. Depois surgiram os títulos onde encarnamos a figura do DJ. Mas como toda fase, ela passou e a indústria seguiu.

Apesar da imensa dificuldade em se trazer esses games para a retrocompatibilidade do Xbox, muito por conta das licenças necessárias para utilizar as canções, esses títulos seriam uma belíssima adição para o sistema. Dentre todos, o que darei o destaque aqui é o Guitar Hero III: Legends of Rock, que contém alguns dos maiores clássicos do rock, com canções de bandas como Pearl Jam, Slipknot, Heart, Slayer, Metallica, Kiss e muitas outras. Uma curiosidade: mais da metade das gravações utilizadas no game são as originais das próprias bandas, e o restante foram feitas por covers contratados.

Max Payne 3

Uma visão panorâmica de alguma comunidade da cidade de são paulo com o protagonista e outros dois personagens.
A Rockstar já possui um grande catálogo adicionado à retrocompatibilidade, então é de se esperar que um dia ele seja adicionado.

Com certeza um dos games mais pedidos para serem integrados à retrocompatibilidade do Xbox. A terceira aventura de Max traz o grande herói para a cidade de São Paulo, onde acaba se envolvendo em uma trama de traições e o rastro de mortos pelo caminho é inevitável. Uma equipe veio para a cidade na época fotografar e vivenciar um pouco do estilo de vida paulistano, o que trouxe um toque maior de realismo para o game.

Durante o combate Max abusa do sistema de diminuir a passagem de tempo e atirar nos adversários onde é possível ver a trajetória das balas e o local onde elas acertam com perfeição, o que deixa a jogabilidade frenética e movimentada. Na época de seu lançamento, o game foi bem recebido pelos fãs e pela crítica, com média 87 no Metacritic.

A Rockstar já disponibilizou uma série de jogos do seu catálogo na retrocompatibilidade e agora só nos resta esperar para ver quando Max Payne 3 estará disponível de forma jogável, já que ele está à venda na loja da Microsoft.

Nier

Nier anda por uma rua ensanguentada em uma cidade destruída.
A franquia Nier nasceu da mente de Yoko Taro, que adora aparecer em público com uma máscara sorridente cobrindo a cabeça.

Sim, eu sei, Nier acabou de receber um remaster/remake, ainda assim, o game original poderia estar disponível para os fãs da franquia. Preservar a história e a memória dos jogos é uma das missões da retrocompatibilidade, e caso o título esteja disponível, mais gente poderia se interessar pela aventura original e consequentemente mais vendas aconteceriam.

Nier foi lançado originalmente em 2010 e conta com duas versões, a Gestalt (lançada no ocidente) e a RepliCant (exclusiva do Japão). A história acompanha a aventura de Nier em busca de uma cura para a doença de sua filha, Yonah. A diferença entre as versões se dá em pequenas alterações na forma como Nier e Yonah interagem.

A franquia Nier faz parte de uma série de jogos que envolve também os títulos de outro game, o Drakengard, e tem feito um sucesso absoluto. Isso indica que os demais jogos devem receber algum tipo de remake ou remaster, tudo depende da vontade da sua publicadora, a SquareEnix.

The Adventures of Tintin

Tintin e milu caminham com um fundo o barco do unicórnio e um pequeno aeroplano.
Tintin foi criado pelo quadrinista Hergé em 1929 e conta as aventuras do jovem repórter belga e seu fiel cão Milu.

Eu sou muito fã de Tintin. Mesmo antes do filme que o Steven Spielberg produziu, eu já adorava o carismático repórter que se envolve em todo tipo de enrascada. O game foi produzido baseado na aventura vista na obra cinematográfica, e é um bom jogo de aventura produzido pela Ubisoft. O gráfico do jogo lembra um pouco o visto no filme e coloca nosso herói por diversas fases, quebra-cabeças e desafios para enfim decifrar o Mistério do Unicórnio. Para isso ele vai utilizar desde bolas coloridas até espadas para enfrentar seus inimigos.

Como esse é um game baseado em um filme, e os servidores dele foram desligados em 2015, dificilmente ele será adicionado ao serviço. Ainda assim, acredito que seria uma boa adição, principalmente para os fãs de Tintin, carentes de jogos baseados no personagem.

The Saboteur

Uma imagem conceitual de the saboteur, com o protagonista em destaque
The Saboteur está atualmente disponível na loja da Origin, o que pode facilitar sua chegada ao serviço.

Depois que a Rockstar dominou o mercado com os diversos jogos da Grand Theft Auto, todas as publicadoras queriam um jogo de mundo aberto para chamar de seu. The Saboteur foi a tentativa da Electronic Arts de pegar uma fatia desse bolo. Ambientado na França de 1940, dominada pela Alemanha Nazista, o seu protagonista é um mecânico irlandês beberrão que pode utilizar técnicas de parkour para invadir locais e realizar missões. Um dos pontos altos do game é a gama de cores utilizadas. Em locais onde há controle nazista, há uma predominância do preto e do branco, com tons de vermelho.

O game seria uma excelente adição ao serviço de retrocompatibilidade do Xbox, pois além da história, há uma série de outras atividades a serem feitas. O que pode jogar contra é o fato de a EA ter fechado o seu estúdio original, o Pandemic Studio.

The Godfather

Don vito corleone, o padrinho de o poderoso chefão.
Marlon Brando chegou a gravar diversas falas para o jogo, mas acabaram sendo descartadas por conta seu estado de saúde.

O Poderoso Chefão é considerado uma das trilogias mais clássicas dos cinemas, e seu jogo poderia estar incluído na retrocompatibilidade. No game nós controlamos Aldo Trapani enquanto ele se aventura por diversas missões paralelas aos eventos vistos no filme, muitas das vezes cumprindo tarefas que são mostradas no seu decorrer.

Um dos grandes feitos do jogo é utilizar as vozes dos atores reais que deram vida aos personagens na película, porém, Francis Ford Copolla, diretor original da obra, disse em uma entrevista para o Sunday Morning ShootOut que jamais foi informado sobre a produção do game e condena sua existência.

A ação no game se assemelha muito a vista em jogos como GTA 3, com uma câmera em terceira pessoa. Sua crítica foi razoável até, com média de 77 no Metacritic, o que empolgou a EA a fazer uma sequência para o game, baseada no segundo filme da franquia. Essa continuação não agradou à crítica e as vendas não foram o aguardado pela companhia, o que fez com que uma nova sequência fosse descartada. Ambos poderiam estar disponíveis no serviço graças ao seu valor histórico, já que o filme O Poderoso Chefão é considerado um dos melhores já feitos até hoje.

Tony Hawk’s Pro Skater 3

A imagem mostra o personagem wolverine dos x-men  em sua fantasia clássica.
Wolverine foi um dos personagens adicionados no game, junto com o Doom Guy e alguns outros.

Um dos títulos mais improváveis de se entrar na retrocompatibilidade do Xbox, ainda mais depois dos recentes remasters dos primeiros dois jogos da franquia Tony Hawk Pro Skater. O terceiro título é do Xbox original e está no Top 10 dos títulos disponíveis para a plataforma, segundo o Metacritic.

Com um gameplay melhorado, se comparado com os outros dois títulos anteriores, e com uma trilha sonora de alto nível, com nomes como Ramones, Motorhead, Red Hot Chilli Peppers entre outras. Seria bacana ter esse título disponível, muito por conta do seu legado, já que marcou muitos jogadores em sua época.

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:

2 Comentários

Clique aqui para postar um comentário