Um espião no seu celular

Imagine que você participa de um Big Brother, real e sem limites, em seu celular, sem a certeza de que há alguém espiando (ou não). Parece sonho, não é? Mas essa é a realidade. Um desenvolvedor americano descobriu que não é necessário que um software seja instalado para que você tenha informações direcionadas a algum servidor, pois ele já está lá, instalado em segredo pela Carrier IQ, na maioria dos Androids mais recentes, BlackBerry, telefones Nokia, WebOS e até em dispositivos iOS, incluindo o iPhone.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=T17XQI_AYNo[/youtube]

Imagine que você participa de um Big Brother, real e sem limites, em seu celular, sem a certeza de que há alguém espiando o que faz. Parece sonho? Mas é realidade. Um desenvolvedor americano descobriu que não é necessária a instalação de um software para que as informações do seu telefone sejam direcionadas para um servidor. O software Carrier IQ já vem instalado na maioria dos aparelhos recentes com sistema Android, além de celulares BlackBerry, Nokia e até em dispositivos iOS, incluindo o iPhone.

Trevor Eckhart, responsável pela descoberta, analisou o funcionamento do Carrier IQ que secretamente transmite informações do usuário, aparentemente para operadoras e fabricantes realizarem um “controle de qualidade”. A existência desse software é negada pela empresa, mas um vídeo publicado por Eckhart contraria a afirmação.

No Android, o software não pode ser desativado. A saída é uma ROM customizada que não o contenha.  No iOS, ele(aparentemente) pode ser desabilitado. O software não foi encontrado no Windows Phone, assim como no XOOM original e na linha Nexus (o que leva a conclusão de que faz parte das alterações dos fabricantes em nas customizações). A RIM ainda não se pronunciou sobre o assunto e a Nokia afirma que seus aparelhos não são vendidos com o Carrier IQ.

Segundo o responsável pela descoberta, os dados do aparelho – incluindo conteúdo de mensagens de texto, são enviados aos servidores da Carrier IQ. A empresa ameaçou processar Eckhart, mas voltou atrás e declarou ao site Wired.com que as informações são usadas para “compreender a experiência móvel do usuário, onde as chamadas de telefone são descartadas, onde a qualidade de sinal é ruim, etc”.

[Com informações da Gizmodo, Wired.com e 9to5mac]

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:

1 Comentário

Clique aqui para postar um comentário

  • Não é a primeira vez que vemos uma notíca dessas.
    A Microsoft colocou nas primeras versões do Windows XP uma funcionalidade num serviço chamado “Serviço de transferência inteligente de plano de fundo” (Background intelligent transfer service) que levava alguns dados do usuário para servidores da Akamai Technologies, o dia todo, sendo que o intuito original do serviço era gerenciar conexões de download de atualizações, quando necessário.
    Foi descoberto justamente por estar sempre conectado e acabou chamando a atenção de escovadores de bits que utilizando sniffers perceberam a atividade estranha.
    Rodar um sniffer no celular para pegar essa aí deve ser bem mais complicado.. rs

    Me lembro disso pois foi bem comentado na época, inclusive em sites de boa reputação.
    Estranho que pesquisando rápidamente agora não encontrei nenhum comentário sequer sobre o tema.

Assine nossa Newsletter

Gostou? Ajude a gente