Vacina da COVID-19 da Pfizer tem eficácia de 90% em testes da fase 3

vacina da COVID-19 destaque
Vacina da COVID-19 desenvolvida pela Pfizer vem sendo testada em alguns países, entre eles o Brasil; imunidade esperada é de no mínimo 1 ano

A empresa farmacêutica Pfizer anunciou que a sua candidata a vacina da COVID-19, que já vinha mostrando bons resultados em junho, está com mais de 90% eficaz na prevenção à doença, segundo dados iniciais do estudo da fase 3. A taxa de eficácia é um dado que representa quantas pessoas receberam a vacina e não ficaram doentes. Com a taxa sendo de 90%, isso significa que 9 a cada 10 pacientes que participaram do teste não estão ficando doentes, indicando que a vacina da Pfizer está gerando resposta imune.

Vacina da Pfizer deve contar com no mínimo de 50% de eficácia

vacina da COVID-19 vacina da Pfizer 2
A vacina da Pfizer já foi testada em mais de 43.538 pacientes

A FDA, agência regulatória dos Estados Unidos, já anunciou que qualquer vacina deve comprovar 50% de eficácia antes de ser liberada, e que as empresas testando as vacinas devem rastrear 50% dos participantes durante dois meses para registrar efeitos colaterais. A Pfizer acredita e espera atingir essa marca até o final deste mês, já que segundo a farmacêutica não foram registrados casos graves de COVID-19 entre os participantes até agora.

A agência regulatória americana também exige que as vacinas candidatas no país sejam estudadas em pelo menos 30 mil pessoas, sendo que a vacina da Pfizer já foi aplicada em mais de 43.538 participantes de 4 países, entre eles o Brasil. Os dados da eficácia da vacina foram divulgadas após o 94 dos participantes terem contraindo o novo coronavírus, sendo que a empresa não divulgou quantos desses casos tomaram a vacina ou o placebo.

A Pfizer pretende continuar os testes até 164 participantes terem contraído a COVID-19, para confirmar a taxa de eficácia. Por hora, os dados divulgados não foram conferidos por outros cientistas, passo importante para a publicação em revistas científicas. Segundo a empresa os dados serão conferidos quando todo o estudo estiver terminado.

As 3 fases de teste da vacina da COVID-19: como funcionam

Vacina da COVID-19 da Pfizer tem eficácia de 90% em testes da fase 3
A fase 3 de testes de vacina é onde mais voluntários são usados.

Os testes de vacina são realizados para que os cientistas tentem identificar efeitos adversos graves e se a imunização é efetiva, o que significa induzir uma resposta do sistema de defesa do corpo. A fase 1 conta com testes que costumam envolver dezenas de voluntários, e a cada fase subsequente o número de voluntários vai aumentando, ficando nas centenas na fase 2 e milhares na fase 3.

Antes dos testes em humanos serem iniciados, as vacinas são testadas em animais – normalmente em camundongos e, depois, em macacos. As várias fases de teste costumam ser conduzidas separadamente, mas por causa da urgência da pandemia do novo coronavírus, vários estudos têm realizado mais de uma etapa ao mesmo tempo, o que em alguns casos leva a questionamentos sobre a segurança real dessas vacinas.

Fonte: G1

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine nossa Newsletter