Veja as principais smart TVs da CES 2020

TVs CES 2020
Com a CES 2020 chegando ao fim, confira as principais novidades em smart TVs da feira e fique por dentro do que está por vir

Uma das grandes atrações em Las Vegas, durante a CES 2020, ao longo desta semana, foram as smart TVs, sejam elas 8K, 4K, que gira, sem bordas ou com tecnologia de cinema. Com a maior feira de tecnologia do mundo chegando ao fim, selecionamos os principais lançamentos de TVs do evento, para você ficar por dentro das últimas novidades do mercado.

Samsung

Smart TV Q950 8K sem bordas da Samsung (Reprodução: Samsung)
Smart TV Q950 8K sem bordas da Samsung (Reprodução: Samsung)

A Q950 8K QLED é o grande destaque da Samsung , tanto em qualidade de imagem como de áudio. A foto acima consegue mostrar bem a ideia da tela: as bordas são quase inexistentes, com espessura de apenas 15 milímetros. Assim, com 99% composto por pura tela, vemos uma proporção absurda se comparada a qualquer outra concorrente da categoria. Se você estiver a pelo menos 1,5 m de distância do produto, a borda simplesmente desaparece.

Como consequência, o que eles chamam de Infinity Screen (ou “Tela Infinita”, em tradução livre) faz com que a luz “vaze” para qualquer parede onde a Q950 for montada, lembrando bastante a função Ambilight, da Philips. O processador dela (AI 8K Quantum Processor) utiliza da tecnologia de Quantum Dot, que a Samsung tem aperfeiçoado com o passar dos anos, para reescalar o conteúdo exibido em tela de forma inteligente e cobrir todos os 33 milhões de pixels.

Falando sobre som, ela também se prova como campeã. Há seis speakers posicionados atrás e ao redor da tela, com uma tecnologia capaz de rastrear objetos exibidos para posicionar o áudio, mesmo que ele seja estéreo, criando uma experiência imersiva. É um som surround 5.1 que ainda pode ser atrelado a uma soundbar. A Q950 estará disponível em três tamanhos: 65″, 75″ e 85″ e não há preço e nem data de lançamento.

Sero é a capa principal dos Melhores Produtos e Gadgets da CES 2020
A The Sero é a smart TV da Samsung que gira (Reprodução: Samsung)

Já o modelo Samsung Sero, é uma forma curiosa de abraçar o vídeo vertical, podendo transmitir o conteúdo de um smartphone para um aparelho 4K de 43 polegadas. Ela gira junto do seu celular e é perfeita para millenials. A TV já está à venda desde o ano passado exclusivamente na Coréia do Sul e continuará assim até “uma data futura”, não anunciada.

LG

TV LG Gallery Series e RX Rollable
TVs Gallery Series e RX Rollable, da LG (Reprodução: Divulgação)

A OLED Gallery Series da LG é obrigatoriamente feita para paredes e, como pode-se ver na imagem acima, é como se fosse uma obra de arte – em uma “galeria” de arte, o que explica o nome da smart TV. Ela fica apenas com 0,5 cm de espessura, já que não há conectores laterais, estes ficando somente na parte traseira do produto.

A Gallery pode ser controlada por voz, já que tem uma assistente virtual e um microfone que sempre pode te ouvir. O curioso é que a função em si pode ser desativada, mas pelo que tudo indica, essa é uma função pilar do software. Para áudio, basta conectar a soundbar da sua preferência, o que é uma evolução do modelo Wallpaper anunciado na CES 2017, que exigia conexão de um suporte de áudio específico da LG.

Outro sucesso anunciado em uma CES anterior (em específico, de 2018 e 2019), a Signature OLED TV R volta a aparecer nesta edição – a diferença é que agora ela finalmente será lançada. A smart TV é uma OLED enrolável de 65 polegadas que desaparece completamente em sua base, com o simples apertar de um botão, sendo esta uma característica única que revoluciona o design de qualquer aparelho semelhante.

Ela custará nada menos que 60 mil dólares, ou 244 mil reais. Para você ter noção, outras OLED de 65″ da própria LG custam cerca de R$10 mil por aqui. Uma 4K de 77″ sai por pouco menos de R$40 mil e, nos EUA, a absurda 8K de 88 polegadas está por mais ou menos R$122 mil.

Sony

Smart TVs Z8H da Sony (Divulgação)
Smart TVs Z8H, da Sony (Divulgação)

Há dois modelos da Sony Z8H: ambas são LED 8K, vindo em 85″ e 75″. Com controle de voz, ela é uma Android TV compatível com 4K a 120 frames por segundo. Porém, o ponto alto é a tecnologia Sound-from-Picture Reality (traduzido como “Realidade Som-da-Imagem”). Como descrito pela própria empresa, a tecnologia literalmente “vibra as bordas da TV para emitir som”, parecendo que o som está vindo direto da tela.

Seguindo a tradição da linha Sony Bravia , a Bravia A8H tem destaque por sua elegância ao ter uma base baixíssima, dando um toque refinado ao suporte. Detalhe especial: essa base ainda pode deixar o produto a até 7 cm do móvel, quando reorientada. O motivo da múltipla funcionalidade é ela poder comportar uma soundbar logo abaixo da tela, caso seja a preferência do comprador.

Sony Bravia A8H com X-motion clarity (reprodução: Sony)
Sony Bravia A8H com X-motion clarity (reprodução: Sony)

Na Bravia há duas tecnologias aplicadas: a X-Motion Clarity (uma forma de deixar um visual natural em movimentos, sem perda de brilho) e a Ambient Optimization (sistema que compensa diferentes níveis de iluminação na imagem). A primeira tecnologia torna os borrões de imagem de smart TVs tradicionais inexistentes na A8H sem afetar o brilho, enquanto a segunda pode ser notada em imagens com contraste de sombra e luz, pois os detalhes de cada área são priorizados de maneira inteligente sem “achatar” a imagem.

Philips

OLED 804 Philips
OLED 804, da Philips (Reprodução: Divulgação)

A Philips lançará sua primeira smart TV do tipo OLED em solo americano. Com o nome de 804, a TV possui altas taxas de contraste em 4K, opções de HDR com suporte para o Dolby Vision e formatos HDR10 e HDR10+. Como companhia, o processador P5 garante que o conteúdo em HD pareça ainda mais em alta definição, podendo dar uma “ajudinha” em imagens SDR (Standard Dynamic Range, o padrão antigo de alta qualidade).

Como você pode ver na imagem de divulgação acima, as cores “vazam” das bordas da smart TV. Essa é a função chamada Philips Ambilight, que impactará positivamente sua experiência ao assisti-la. As luzes ajudam a iluminar a parede e não cansam tanto a vista à noite – criando um efeito similar à Samsung Q950, que citamos anteriormente em nossa lista. Vindo em 65 ou 55 polegadas, não há previsão de data nem valor, que devem ser similares à concorrência.

Panasonic

Panasonic HZ2000 OLED
HZ2000 OLED, da Panasonic (Reprodução: Divulgação)

A Panasonic HZ2000 OLED possui sistema de som composto por sete speakers, compatíveis com Dolby Atmos (tecnologia surround, digna de cinema). O modelo vai utilizar o mesmo processador da linha do ano passado, o HCX Pro Intelligent, com adição do modo “Filmmaker” (cineasta).

A tal função, anunciada ano passado que é quase autoexplicativa, irá priorizar “a visão” que os cineastas querem que você tenha ao assistir os filmes deles. Por isso, haverá controle de cor inteligente, por exemplo, para deixar a obra mais fiel possível. Há inclusive um vídeo sobre “figurões” da sétima arte, como James Cameron, Martin Scorsese e Christopher Nolan, explicando a função que também irá a outras fabricantes.

Outra característica ajudada pela Dolby é a tecnologia Dolby Vision, que adaptará o conteúdo exibido de acordo com a iluminação (seja escuro ou claro, a experiência será a mesma) e, junto do sistema de som Dolby Atmos, você ganha quase um cinema particular. Não há data, nem preço oficiais.

Vizio

P-Series Quantum X, da Vizio (Reprodução: Divulgação)
P-Series Quantum X, da Vizio (Reprodução: Divulgação)

A maior smart TV da Vizio até hoje (85 polegadas) é a P-Series Quantum X, que será optimizada para receber a futura geração de consoles encabeçada pela Sony e Microsoft, com lag de input batendo os 15 milissegundos. Se você levar em consideração que um piscar de olhos é 20x mais lento que isso (cerca de 300 milissegundos), a performance de uma entrada HDMI é crucial a um jogo multiplayer, e a Vizio cuida para que a latência mantenha-se baixíssima.

Essa TV 4K Ultra HD ainda suporta Dolby Vision e HDR10/HDR10+, sendo reforçada pelo novo processador IQ Ultra, que entrega o máximo da tecnologia Quantum Dot da fabricante. Ela ainda é bastante brilhante, batendo os 3.000 nits, com 792 zonas de escurecimento local – ou seja, na teoria o contraste é ótimo, e o branco fica claro de verdade. Conseguindo abrigar quase o dobro de cores dos modelos P-Series anteriores, ela está disponível também em 75 e 65 polegadas.

TCL

Mini-LED 8K Roku, da TCL (Reprodução: Divulgação)
Mini-LED 8K Roku, da TCL (Reprodução: Divulgação)

Unindo-se a outras fabricantes de TVs 8K, a TCL surge com a Mini-LED 8K Roku, que será lançada no fim deste ano. Um upgrade das smart TVs anteriores da marca, a tecnologia de Mini-LED garante que as zonas escuras sejam como tinta preta e, como contraste, você também vai conseguir ver com todos os detalhes as zonas mais claras mesmo se estiver em um ambiente rico de iluminação.

E eles aprenderam com as críticas dos últimos meses, já que a TCL corrigiu problemas da 8-Series 4K, do ano passado, tratando-se do ângulo de visão pouco favorável – já que a 8K possui uma tecnologia de painel de vidro, a iluminação não torna-se desalinhada quando vista em certos ângulos. Com as entradas HDMI 2.1, há o modo de reconhecimento automático de games, suportando taxa de atualização variável.

Por fim, o nome se dá ao streaming integrado, Roku, que ao invés de ser “uma Netflix” funciona como o Fire TV Stick (da Amazon) sendo um hub para outras plataformas. A TV também funciona com Assistente Google e com a Alexa. Menção honrosa: a TCL também lançou uma linha de smart TVs 4K e 8K com tecnologia de cinema, com selo IMAX e certificadas pela THX para rodar games em qualidade máxima.

Com tantas opções, fica fácil escolher uma preferida? Pois é, nós também queríamos ter um espaço vago no nosso rack (e um bolso infinito) para poder comportar um aparelho desses em casa.

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine nossa Newsletter