Você venderia seu rosto como Deepfake? | Showmetech TRIO

Venda de rostos como deepfake, smt trio
No trio de hoje, temos o maior mapeamento oceanográfico de todos os tempos, a startup que compra rostos para fazer deepfake e o movimento #AppleToo

Olá, fãs de tecnologia! É dia de mais um Showmetech TRIO, nossa seleção das três últimas grandes notícias do mundo tecnológico, resumidas para você todas as segundas-feiras.

Que tal conferir esse TRIO de notícias também em vídeo?

Hoje, falaremos sobre a Bedrock, startup que está utilizando submarinos autônomos para descobrir bons locais para a instalação de usinas eólicas nos Estados Unidos, além de providenciar um mapeamento gratuito do fundo do mar. Também falaremos da companhia publicitária que quer comprar o seu rosto para criar um banco de dados para deepfake, o utilizando em diversos tipos de vídeo, desde marketing até vídeos educacionais. Para finalizar, vamos falar sobre o importante movimento #AppleToo, que reúne denúncias de assédio no ambiente de trabalho da Apple, cobrando um posicionamento da empresa ao levar o assunto a público.

Submarinos autônomos mapeiam o fundo do mar

Mini-submarino autônomo da bedrock | showmetech trio
Mini-submarino autônomo da Bedrock

Começaremos falando do novo mapeamento oceanográfico que promete ser o maior e mais detalhado de todos os tempos. Tudo começou com o governo dos Estados Unidos (EUA) em 2020, quando o atual presidente, Joe Biden, assinou uma ordem executiva que dirigiu as agências federais a “adquirir eletricidade livre de poluição de carbono”.

A startup Bedrock propôs ao governo mapear no oceano locais ideais para a construção de parques eólicos. Para realizar o mapeamento, a empresa desenvolveu mini-submarinos autônomos para realizarem essa tarefa sem precisar de tripulações. Os submarinos são elétricos e usam um sonar mais leve e outros sensores, e enviam os dados coletados para o serviço baseado em nuvem da Bedrock, que pode ser usado imediatamente a partir de um computador.

Maior mapa oceanográfico de todos os tempos será gratuito

A Bedrock, ao fazer esse mapeamento para o governo americano, também pretende ampliar o mapeamento, não se militando apenas ao oceano na jurisdição estadunidense, mas também no mundo todo. Esse mapa será disponibilizado gratuitamente, e, conforme a própria empresa, será 50 vezes mais detalhado que o melhor mapa público disponível atualmente.

Startup compra rostos para banco de dados

Vários rostos utilizados em deepfakes pela hour one | showmetech trio
Vários rostos utilizados em deepfakes pela Hour One

Os deepfakes, tecnologia que permite substituir os rostos das pessoas com outros rostos e criar uma animação em vídeo com falas e gestos como se fosse verdade, viraram sinônimos de memes de internet nos últimos anos, mas com o avanço tecnológico, essa prática passa a ganhar contornos cada vez mais obscuros. Tal qual um filme de ficção científica, não demorou para uma grande empresa tentar capitalizar usando rostos de pessoas “anônimas”.

A startup Hour One está usando o rosto de pessoas, por deepfakes, para criar personagens de Inteligência Artificial (IA) com voz em vídeos educacionais e de marketing para organizações ao redor do mundo. Sabendo da dificuldade de criar rostos para esse banco de dados, a empresa está “comprando” a imagem de pessoas para a realização dessas atividades um tanto quanto questionáveis. Até a publicação desta reportagem, mais de 100 rostos, sendo a maioria de jovens, estudantes e desempregados, compõe o banco de dados da Hour One.

Ética e perigos dos deepfakes

É claro que a pessoa que cede sua imagem à empresa tem algumas garantias, mas a política de ética da startup é um tanto quanto frouxa. Isso porque, a empresa irá carimbar todos os vídeos sintéticos com os rostos sintéticos uma marca d’água, afirmando sua origem artificial. O que não parece garantia suficiente.

A ação da empresa compõe uma onda de empresas que estão reformulando a forma como o conteúdo digital é produzido. E tem grandes implicações para a força de trabalho humana. A mercantilização de rostos humanos parece ser apenas uma fagulha.

Afinal, essas empresas podem usar esses personagens com seu rosto para dizer e vender o que desejam. O que acontece quando uma empresa usa sua imagem para algo que é eticamente questionável? Pois bem, quem concordou com os termos não pode fazer mais nada.

#AppleToo: movimento traz histórias de assédio na empresa

#appletoo, movimento contra assédio na apple | showmetech trio
#AppleToo é o movimento contra assédio na Apple

Por fim, mas não menos importante, vamos falar sobre o movimento #AppleToo, que está convocando ex e atuais funcionários da Apple a compartilhar histórias de racismo, discriminação, assédio ou outros problemas no local de trabalho.

Inspirado no movimento #MeToo, que começou com artistas do entretenimento, o #AppleToo foi idealizado por pelo menos 15 ex e atuais funcionários da empresa. Eles desenvolveram um site para coletar histórias e “espalhar a palavra”, incentivando a colaboração de outros empregados a participarem.

Em seu site, o grupo escreveu:

“Conecte-se conosco para compartilhar sua própria experiência, manter-se informado ou unir-se em solidariedade aos outros funcionários atuais ou antigos da Apple. Unidos, podemos colaborar para proporcionar um local de trabalho mais saudável. Estamos trabalhando juntos para elaborar uma declaração em nosso nome, refletindo nossas histórias e um esboço das mudanças que esperamos ver a Apple implementar”.

O coletivo mostra uma série de histórias de conflitos entre funcionários e as equipes internas/de recursos humanos da Apple — incluindo problemas internos, trabalho remoto, contratações controversas e, claro, histórias de sexismo, racismo, discriminação, assédio, retaliação e disparidade salarial.

O site foi ao ar no dia 23 antes do fim de agosto e reuniu mais de 500 relatos até o dia 27. Ou seja, em apenas quatro dias. A informação foi divulgada no Twitter oficial do movimento, que, aparentemente, será o principal canal de informações sobre o assunto. Pensando também sobre as possíveis consequências da campanha, o grupo está preparando um comunicado feito em conjunto para expor parte da situação e solicitar mudanças por parte da Apple. A empresa, no que lhe concerne, segue sem se pronunciar a respeito das ações do movimento.

E aí, o que achou das notícias de hoje? Caso tenha ficado na curiosidade sobre deepfakes, confira Os 10 melhores websites e apps de Deepfake. Continue bem informado sobre o assunto ficando sempre por aqui, no Showmetech!

Fontes: Interesting Engineering 1 | 2|PCMag

Veja também:

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:
Tags

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário