Cursos online: saiba como investir em educação à distância

Cursos online: saiba como investir em educação à distância

Avatar of glauco vital
Está buscando abrir um negócio na área de educação? Veja aqui como abrir cursos online e lucrar com o estímulo à educação

A educação no Brasil até o final do século XX era restrita, apresentando um número reduzido de alunos que concluíam o ensino fundamental — o antigo primário — sendo comum em algumas parcelas da população iniciar os estudos e não terminar. Diversos fatores contribuíam para este cenário, como o conservadorismo da época que limitava o acesso de mulheres à escola, a falta de incentivo do Governo e até mesmo a pouca acessibilidade para chegar às instituições de ensino.

Com a digitalização e a conscientização da importância da educação, os cursos online surgem como uma ferramenta para facilitar o acesso ao ensino. Se você busca empreender e investir na área de cursos online, vamos explicar mais sobre o assunto a seguir.

Por que surgiram os cursos online? 

Quando nos referimos a cursos online, não estamos olhando apenas para cursos rápidos de assuntos diversos, mas sim para todo o conjunto de ensino à distância, que vai da educação básica à superior, incluindo até mesmo cursos de extensão e pós-graduação.

Esses cursos virtuais foram criados pela necessidade de atingir todos que estão atrás de ensino/aprendizagem. As instituições de ensino muitas vezes não estão próximas ao aluno e, através do meio virtual, é possível quebrar a barreira criada pela distância.

A educação virtual foi um misto de mudanças: a conscientização de que o estudo é algo importante e a facilitação para que uma pessoa concretize essa necessidade do ser humano. Juntando, surgiram-se os cursos online. 

Segmentos de educação virtual

Se você está a fim de iniciar o seu negócio e quer investir no ramo da educação virtual, é preciso entender quais segmentos pode seguir nessa carreira. É importante separá-los, pois caso haja mistura, o ensino oferecido pode ser de má qualidade.

Veja abaixo como distinguir cada setor educacional e como organizá-los de acordo com cada faixa etária e procura do aluno:

Educação básica

Criança assistindo aula online
A educação básica à distância ganhou força com a pandemia (Foto: Depositphotos)

O primeiro segmento é o mais polêmico entre todos. Muitas pessoas são estritamente contra a educação básica virtual, visto que a faixa etária dos alunos gira entre a fase criança, pré-adolescente e adolescente.

Apesar de ser uma geração em crescimento e que exige mais cuidado, muitos alunos que fazem parte desse segmento não conseguem estudar em escolas tradicionais devido principalmente ao deslocamento. Por isso, se você está em busca de ajudar estes alunos e outros que possuam dificuldades, invista na educação básica. 

Educação superior

Mulher assiste curso online
O ensino superior EAD é uma modalidade que ampliou o acesso à universidade (Foto: Depositphotos)

O segundo setor é mais comum e está facilitando cada vez mais quem procura se especializar no mercado de trabalho. O ensino superior, até alguns anos, era restrito somente àqueles que tinham dinheiro ou pelos menos algum tempo disponível. Contudo, esse panorama mudou para abranger mais pessoas

Através do ensino EAD, como é denominado, foi possível criar cursos de graduação de pós-graduação virtuais. Além dos custos serem reduzidos, é possível assistir às aulas em qualquer lugar, utilizando somente um dispositivo com internet — como um PC, notebook, celular ou tablet. Ou seja, é um método revolucionário, que pode te trazer lucros e ainda honra pelo auxílio educacional. 

Cursos livres 

Fotógrafo em estúdio
Cursos de fotografia à distância podem ter custos menores que os presenciais (Foto: Depositphotos)

Por último e mais democrático entre os três segmentos, temos os cursos livres para estudos. Quem nunca, por exemplo, teve vontade de realizar estudos sobre fotografia? Através dos cursos livres virtuais, é possível aprender e se tornar até mesmo um profissional fotógrafo, com investimento abaixo do mercado em geral.

Ou seja, se você está atrás principalmente da democratização do ensino, o investimento numa startup de cursos livres é a melhor opção para o seu negócio. 

Autorização para funcionamento 

Antes de iniciar sua empresa educacional é preciso passar pelos processos burocráticos que o Governo impõe, visto que a alta procura para abrir esse tipo de negócio não é garantia de qualidade de serviço.

O MEC, Ministério da Educação, precisa aprovar o ensino de sua instituição para que os diplomas sejam cedidos com qualidade de ensino. Essa validação é feita através de pesquisas que eles realizam, além de outros métodos para avaliar se o programa de ensino da instituição está de acordo ou não com o mínimo de ensino/aprendizagem que é estabelecido pelo Governo.

Após autorização, pode-se iniciar a operação da instituição de ensino, sem medos e sem problemas com a geração de diplomas para os alunos de seu curso online. 

CashMe para investir em cursos online 

Empréstimo com garantia de imóvel oferece juros baixos para iniciar seus cursos online
CashMe oferece empréstimo a juros baixos com garantia de imóvel (Foto: Depositphotos)

Se você busca de abrir um negócio, que auxilie na educação brasileira e atinja a um grande público, invista na educação à distância. Além de ser democrática, traz uma grande rentabilidade para os donos e facilidade para quem quer estudar.

Se você precisa de capital para iniciar esse negócio, a fintech CashMe trabalha com a modalidade de empréstimo com garantia de imóvel com taxas inferiores a 1% ao mês e parcelas de pagamento de até 240 meses.

Invista seu dinheiro na educação, e o retorno não será apenas financeiro: você estará contribuindo com o desenvolvimento da sociedade brasileira.

Veja também

Gostaria de aumentar seu conhecimento? Veja nossa seleção de cursos online gratuitos com certificado.

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Total
1
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados