Capa de how to say goodbye

REVIEW: How To Say Goodbye é um lindo conto sobre a morte

Avatar de renato reis
Como um pequeno jogo de puzzles, focado em narrativas, pode ser uma experiência incrível, capaz de educar e/ou refletir profundamente sobre a morte? Conheça How To Say Goodbye aqui.

How To Say Goodbye é o mais novo lançamento da ARTE France, grande distribuidora francesa que deu asas à produção de Florian Veltman e Baptiste Portefaix, em que você terá uma experiência com um simpático personagem numa rápida aventura lúdica do pós-vida. 

Abra este pequeno game com belas mensagens e puzzles divertidos, em que você mal vai sentir o tempo passar. E confira a seguir como o jogo foi avaliado pelo Showmetech.

O luto em cores pastéis

How To Say Goodbye é um pequeno conto de pós vida de um personagem criado por você. Ele irá se aventurar por esse lindo mundo do lado de lá, incrivelmente imaginado com portas e caminhos labirínticos, por onde as pessoas passam, se libertam e até se perdem em problemas e ruminações mundanas. Seu papel é fazer com que alguns desses espíritos amigáveis se libertem através de pensamentos bons e da conscientização de que seus entes queridos vão ficar bem sem eles.

Nos seus 15 capítulos, existe um belíssimo visual cartunesco, baseado em ilustrações de livros infanto-juvenis de Tomi Ungerer, Tove Jansson, Antoine de Saint-Exupéry e Maurice Sendak, escritores bem disseminados na literatura francesa e no imaginário popular quando se pensa em alegorias de experiências de vida e aventuras que remetem à profundeza dos relacionamentos humanos. Tais desenhos passam sempre uma mensagem correta (psicologicamente falando) e são muito espirituosos ao longo da narrativa inteira, transmitindo uma sensação agradável de boa companhia, identificação e muito acalento.

Screenshot de how to say goodbye - você pode personalizar completamente o nome e a história do seu personagem no início (imagem: renato reis/arte france)
Você pode personalizar completamente o nome e a história do seu personagem no início (Imagem: Renato Reis/ARTE France)

Mesmo tocando em temas sensíveis da humanidade, How To Say Goodbye carrega uma energia muito leve e tranquila de ser consumida. Há nele uma narrativa muito confortante de ser lida e percorrida, em que é possível, sim, temer ou lembrar da morte de pessoas queridas, mas nunca sair com sentimentos ruins da experiência completa.

Sua narrativa sobre a morte é muito amigável, digna de atenção de todos os públicos, pois acaba contando algo muito emocionante e significativo, além de educar muito bem quem nunca teve contato com essa vivência.

Screenshot de how to say goodbye - abrir how to say goodbye é como abrir um belo livro infantojuvenil (imagem: renato reis/arte france)
Abrir How To Say Goodbye é como abrir um belo livro infantojuvenil (Imagem: Renato Reis/ARTE France)

A depender das diferentes idades e de possíveis traumas vivenciados, ele pode impor limitações, na verdade. No entanto, ele contém um genuíno esforço para que se torne popular. É evidente a acessibilidade sem igual que consegue alcançar, seja por cores e contrastes com um design adequado a pessoas com daltonismo, por exemplo, ou por certa facilidade permeada entre seus desafios.

Seu belo visual e a criatividade dos cenários (e as situações narrativas associadas a eles) fazem valer muito o dinheiro investido no jogo. Vale a pena conferir o jogo somente por esses admiráveis atributos. E ele ainda consegue somar mecânicas bem interessantes.

Puzzles da passagem

Screenshot de how to say goodbye - as referências claras à literatura francesa em how to say goodbye (imagem: renato reis/arte france)
As referências claras à literatura francesa em How To Say Goodbye (Imagem: Renato Reis/ARTE France)

Jogar How To Say Goodbye é bem simples: basta movimentar seu personagem em dois eixos distintos pelo cenário até encontrar a saída. Cenários esses construídos com pequenos quadrados em que cada personagem é posicionado e seu desafio é movimentar cada eixo pelo chão, ou seja, mover toda uma fileira que se interconecta ou não com outros pontos dos espaços distintos, onde toda a estrutura dos seus puzzles é baseada. Em certas etapas, também será necessário coletar chaves, modificar plataformas e libertar amigos feitos pelo caminho.

Nesse formato, puzzles super criativos e instigantes se estabelecem com muita elegância, atrelados aos belos gráficos citados e a uma direção de arte bem interessante. Além disso, a dificuldade desses quebra-cabeças é muito bem escalada de um capítulo a outro. Dada sua simplicidade, não é aqui que você encontrará desafios tão complexos e muito difíceis também, uma vez que o maior foco se encontra na belíssima narrativa, mesmo com grandes possibilidades de sair inteiramente satisfeito(a) e realizado(a) de cada uma das fases.

Sentimentos na dose certa

Screenshot de how to say goodbye - por vezes, o game mostrará que morrer pode ser uma boa viagem em mundos desconhecidos (imagem: renato reis/arte france)
Por vezes, o game mostrará que morrer pode ser uma boa viagem em mundos desconhecidos (Imagem: Renato Reis/ARTE France)

Mesmo esperando pouco do jogo, é possível se surpreender com tudo o que ele oferece. Na mesma medida, ele se resume em ser muito contido, ter tudo na dose certa (e satisfazendo demais por isso). Sua duração é relativamente curta, mas em suas poucas horas de gameplay há uma obra muito única, repleta de quebra-cabeças envolventes e agraciado com uma narrativa muito bela e emocionante.

How To Say Goodbye é para quem tem pressa e quer apreciar um bom game de aspecto indie. Embora ele não contenha pontos de salvamento no meio dos capítulos, o que salvaria certo tempo em situações inibidoras, é possível acabá-lo em poucas horas de dedicação. Principalmente se jogado em uma só sessão, num único estado de fluxo mental.

Tratando de um tema tão delicado e humano, o que ele alcança em termos de narrativa é realmente muito único. Existem personagens muito cativantes, que te encantarão de imediato e serão um fator chave para um pleno engajamento em puzzles tão satisfatórios. Por isso e por toda a poesia, toda a filosofia e todos os ensinamentos a respeito do fim das nossas vidas é que vale muito a pena conferir How To Say Goodbye (e recomendo separar um lencinho para jogar).

How To Say Goodbye está disponível para Android, iOS, PC, e Switch.

Veja também:

Todos os jogos que chegam em janeiro de 2023 | PS, Xbox, Switch e PC

9/10
Total Score
  • Jogabilidade
    10/10 Excelente
  • Narrativa
    10/10 Excelente
  • Gráficos
    9/10 Incrível
  • Performance
    10/10 Excelente
  • Som/Trilha Sonora
    8/10 Ótimo

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados