Review: Observation, uma tensa odisseia espacial

Observation é um jogo para PS4 que pega muitas referências de 2001: Uma Odisseia no Espaço para contar sua história; confira o review

No espaço, ninguém pode ouvir você gritar. E esse ditado se torna ainda mais real quando seu único companheiro é um computador que não está funcionando corretamente. Subvertendo o clichê dos games com temática de ficção-científica no espaço, Observation é um brilhante thriller cósmico que coloca o jogador no controle de SAM, uma Inteligência Artifical que precisa ajudar a cientista Emma Fischer a desvendar o mistério que cerca a estação espacial Observation, à deriva no espaço.

A Devolver Digital disponibilizou ao Showmetech uma cópia digital de Observation para o PS4 e, após uma semana intensa de jogatina (e algumas crises de enjoo pela tontura), trazemos uma análise completa do game abordando todos seus detalhes, pontos fortes e desvantagens.

SAM, você está aí?

Adentrar na trama desse jogo de ficção-científica no espaço é muito simples. A estação espacial Observation se afastou de sua órbita terrestre e está à deriva. Seus sistemas estão funcionando mal, um incêndio estourou e a inteligência artificial a bordo, SAM, está agindo de forma muito estranha. Em meio a esse caos no espaço, a única tripulante consciente a borda da estação é a Dra. Emma Fisher, uma heroína relutante mas engenhosa desse fantástico thriller.

Olá, eu sou SAM. Em quem posso ajudar?
Olá, eu sou SAM. Em quem posso ajudar?

No ínicio é possível se imaginar que a única coisa que a Dr. Fisher precisa fazer é restabelecer a comunicação com a base e retornar à Terra, certo? Quem dera. Para a surpresa da cientista (e do jogador também), a Observation se desviou muito de seu curso e agora está orbitando o planeta Saturno. E para piorar, um comando sinistro de origem desconhecida em SAM é o único log de registro desse incidente bizarro: TRAGA-A.

Porém, o mais interessante sobre Observation não é sua temática espacial tão bem abordada, mas que você não joga como Fisher. Em vez disso, você joga como SAM, sua IA ajudante. A estação é uma extensão sua e suas câmeras são seus olhos e ouvidos. Você pode, quando solicitado, abrir portas, câmaras de ar, avaliar danos e todos os tipos de funções funcionais. Mas algo parece ter despertado em você. Um lampejo de autoconsciência, talvez. E agora cabe ao jogador lidar com os erros e glitches imprevistos de SAM enquanto tenta colocar alguma ordem na estação.

Uma estação perdida no espaço em Observation
Uma estação perdida no espaço em Observation

O design da Observation é muito semelhante ao da Estação Espacial Internacional do mundo real: um labirinto tecnológico de corredores claustrofóbicos cheios de laptops, equipamentos científicos e pertences da tripulação, esta que, à propósito, está desaparecida. A sensação de que todos estavam realizando seus afazeres cotidianos na estação e simplesmente sumiram no vácuo do espaço é grande. Fisher pode estar sozinha, mas quando ela flutua pela estação em gravidade zero, há ecos da tripulação desaparecida ao seu redor.

A atuação da nossa heroína é fantástica! Sua angústia em descobrir que está, de alguma forma, inexplicavelmente, a quase 900 milhões de quilômetros de onde deveria estar é muito palpável. Mas, por ser uma astronauta treinada, ela tenta se acalmar e manter o foco, iniciando sem demora o trabalho para consertar a estação avariada – com sua ajuda dentro dos circuitos de SAM.

A Observation está orbitando Saturno. Algo definitivamente não está certo.
A Observation está orbitando Saturno. Algo definitivamente não está certo

No controle da IA você pode a qualquer momento, puxar um esquema da Observation e pular entre câmeras estacionárias, efetuar zooms in e zooms out e buscar objetos de interesse. A atmosfera imersiva do game é intensificada pelo fato de em grande parte se tratar de uma aventura silenciosa, exceto pelo ruído ambiente da estação e o zumbido e clique dessas câmeras, o que é mecânico e, ao mesmo tempo, enervante.

O “mundo” da Observation

Um detalhe que pode passar despercebido para alguns jogadores mas ajuda a criar a atmosfera perfeita para reforçar a ideia de que você está jogando como uma máquina é o uso sutil de efeitos de vídeo, com interferência simulada, granulação e distorção. Todos esses aspectos visuais dão à imagem uma qualidade antiga e analógica. Isto, juntamente com o realismo da estação espacial, assim como com uma iluminação natural, faz com que a experiência, como um todo, seja realisticamente impressionante.

Apesar de controlar SAM, a Dra. Emma Fisher é a heroína do game.
Apesar de controlar SAM, a Dra. Emma Fisher é a heroína do game

Em Observation existe um contraste muito irônico, uma vez que apesar de estar na vastidão do espaço, seu “mundo” é visualizado através da curva de uma lente com visão limitada, e que a tecnologia conectada através da estação ferida é tão falível quanto qualquer outra coisa. Essa sensação de estar à mercê da tecnologia, com apenas uma fina camada de alumínio entre vocês e um infinito vazio cósmico, acrescenta uma corrente de tensão.

Quando você localizar algo que a Dra. Fisher está procurando com uma de suas câmeras – um módulo danificado ou a fonte de um incêndio, por exemplo -, você pode responder a sua solicitação. SAM responderá com uma voz calma, tranquilizadora, mas também levemente inquietante (bem característica das IAs da ficção científica).

A estação é um verdadeiro labirinto de corredores.
A estação é um verdadeiro labirinto de corredores

Ela também pedirá que você desbloqueie as portas emperradas, recupere os dados dos laptops e reinicie os sistemas, incluindo o restabelecimento das comunicações com a Terra e a ativação de um rastreador para encontrar a equipe perdida.

Apesar de tudo isso, SAM nem sempre está confinado à rede de câmeras da Observation. Em algumas partes do jogo você pode controlar esferas: pequenos drones em forma de esfera que permitem que você voe livremente pela estação, interagindo com as coisas da mesma maneira que você pode com as câmeras.

Você precisa consertar os danos à estação, mesmo sem saber como foram provocados.
Você precisa consertar os danos à estação, mesmo sem saber como foram provocados

Voar leva um pouco de tempo para se acostumar, particularmente quando se trata de se orientar em um lugar em que subir e descer é um conceito ultrapassado. Além disso, não se surpreenda se sentir um leve enjoo depois de voar pela estação por alguns minutos. Mesmo assim, as esferas são a melhor maneira de explorar a estação, procurando documentos ocultos e registros de áudio que ajudarão a preencher alguns dos espaços em branco da história enigmática do jogo.

Mistério nas estrelas

A Observation é um lugar que vale a pena explorar, sendo composta de quatro seções: Salyut 10, o braço russo; Horizonte, o braço europeu e americano; Shenzhou XII, o braço chinês; e Universal, um hub central compartilhado por toda a equipe. Cada seção da estação tem sua estética, atmosfera e personalidade distintas, refletindo tanto as nações que as construíram quanto as pessoas que moram e trabalham lá.

SAM precisa realizar várias tarefas, como reconhecer até padrões de voz.
SAM precisa realizar várias tarefas, como reconhecer até padrões de voz

A estação é extremamente detalhada, desde os computadores e máquinas de design intrincado que a mantêm em funcionamento, até canetas e rolos de fita amarrados nos espaços de trabalho das pessoas.

Encontrar um problema é uma coisa, mas para consertar algo que está quebrado – como o reator de fusão experimental que alimenta a estação – você geralmente precisa mergulhar em seus circuitos. A estação é governada por uma série de sistemas de computador complexos e arcanos que estão além dos consideráveis talentos de Fisher, deixando o SAM para entendê-los.

Não existem muitas instruções para os puzzles, portanto cabe ao jogador descobrir como resolvê-los.
Não existem muitas instruções para os puzzles, portanto cabe ao jogador descobrir como resolvê-los

Nesta parte, o aspecto de resolução de quebra-cabeças toma conta do jogo quando você tenta desvendar esses sistemas, e mais de uma vez você irá precisar de caneta e papel para anotar um padrão de comandos ou sequência de ações. É um pouco bizarro se imaginar jogando como um computador superinteligente e autoconsciente, mas ainda tendo que usar um bloco de notas para compensar as limitações do cérebro orgânico do jogador.

Cada quebra-cabeça é representado por uma interface estilizada, com o tipo de design funcional que você esperaria de algo que só deveria ser acessado por uma máquina. Não é coincidência que o jogo tenha sido dirigido pela pessoa responsável pela IA do sucesso Alien: Isolation.

Muitos puzzles podem parecer mais simples do que eles aparentam.
Muitos puzzles podem parecer mais simples do que eles aparentam

As tarefas incluem o ajuste de um campo magnético no reator de fusão mencionado anteriormente, a execução de diagnósticos em seu próprio núcleo de memória danificado, a fixação dos grampos que seguram a estação juntos e a reinicialização de um sistema de resfriamento defeituoso. E todos esses trabalhos têm sua própria interface única e seus meios de interação, enraizados em enigmas inteligentes e bem projetados que são imensamente satisfatórios para serem resolvidos.

Muitos deles envolvem esquemas de referência ou diagramas que normalmente são encontrados em paredes ou escondidos em laptops. Outras soluções podem ser descobertas de forma mais instintiva, cutucando os controles deslizantes, os botões e outras bugigangas de um sistema em particular até que ele comece a fazer sentido. A enorme variedade de quebra-cabeças em Observation é impressionante – tanto em termos de como você interage com eles quanto em seu design visual. Como um jogo de quebra-cabeça, ele oferece um desafio bastante rígido, mas nada que realmente te impeça de progredir.

Prepare-se para grandes reviravoltas nesse thriller sci-fi.
Prepare-se para grandes reviravoltas nesse thriller sci-fi

A única luta real que muitos jogadores provavelmente terão será se perder nos túneis labirínticos da estação enquanto controla as esferas – pelo menos até se dar conta do sistema de “viagem rápida” em que, quando você escolhe um módulo no mapa, leva você até lá.

Muito mais do que apenas bits

Em geral, no entanto, Observation é um game que quase nunca segura sua mão para lhe guiar aos seus objetivos, oferecendo uma certa liberdade ao jogador, raramente revelando muito sobre onde ir em seguida ou como resolver um problema específico. Você pode pedir a Fisher para repetir seu último comando, mas na maior parte do tempo isso funciona mais como uma pista críptica ou uma dica sutil do que uma instrução explícita.

Leva algum tempo até se acostumar com o controle da esfera.
Leva algum tempo até se acostumar com o controle da esfera

A outra grande força de Observation é a sua história e como ela é contada. A influência de 2001: Uma Odisséia no Espaço é óbvia, mas não da maneira que muitos poderiam esperar. A rebelião e a agitação da autoconsciência de SAM não são tão sinistras ou imediatamente óbvias quanto as de HAL no clássico do cinema.

Em vez disso, é na forma contida e quase claustrofóbica que a narrativa é conduzida que pode se sentir os mais fortes ecos do austero épico de ficção científica de Kubrick. O enredo de Observation é incrivelmente atraente, com uma fascinante sensação de mistério que certamente irá manter qualquer jogador fã de uma boa história viciado do começo ao fim.

Fique atento às instruções de Fisher e não se esqueça de questioná-la se tiver dúvidas.
Fique atento às instruções de Fisher e não se esqueça de questioná-la se tiver dúvidas

Você pode aumentar sua compreensão do enredo consultando registros e documentos de áudio opcionais, mas mesmo assim muito é deixado para sua imaginação. Uma das decepções do game é que nunca fica a sensação que SAM estivesse passando por algum tipo de conflito moral, ou que ele estava lutando contra as forças misteriosas que invadiram sua programação.

Na verdade, ele não é muito um “personagem” na forma clássica de um enredo, o que muitos jogadores podem achar frustrante se esperam algo no nível dos grandes antagonistas e vilões de ficção científica. Fisher é o coração e a alma do jogo, e a personagem que o jogador irá se sentir mais conectado. O importante é que, muito depois de ter terminado Observation, o jogador sentirá falta de suas interações com Fisher. Ter assumido o papel de SAM é como se você tivesse se tornado o melhor amigo e confidente da cientista e, agora, os dois estão separados para sempre.

Sozinha no espaço... Será?
Sozinha no espaço… Será?

É um grande alívio descobrir que Observation não era apenas mais um jogo de terror ambientado no espaço. O jogo tem o ritmo preciso, a tensão lindamente desenhada e a narrativa sinuosa de um grande suspense. É assustador, mas apenas sob a superfície, silenciosamente comendo seus nervos, em vez de chocá-los. E é o melhor tipo de ficção científica: emocionante e divertido, mas também fazendo você pensar no lugar da humanidade no cosmos e, talvez, nos mistérios mais profundos do universo.

Observation
8.5/10

Observation (PS4)

Observation é um ótimo exemplo de como combinar um enredo elaborado com o tema de ficção-científica no universo dos games. A trama é bem escrita e inteligente, criando um gameplay que testa a perspicácia do jogador com puzzles elaborados e com uma tensão constante que o prende à essa odisseia no espaço.

Pros

  • Visual e estética sci-fi perfeitas
  • Enredo rico e empolgante
  • Grande variedade de quebra-cabeças

Cons

  • Falta de alguns tutoriais sobre resolução de quebra-cabeças
  • Controles das esferas podem causar certo desconforto

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Deixe uma resposta