Capa de storyteller

REVIEW: Storyteller é um puzzle encantador

Avatar de renato reis
Storyteller captura sua atenção nos primeiros minutos de gameplay e é capaz de entregar uma experiência única, muito divertida e estilosa.

Conheça Storyteller, um jogo focado em puzzles narrativos que irá te arrancar boas risadas e entreter por um curto período de tempo, mas que deixará uma boa experiência após a jogatina. Confira o que deu para tirar dessa curta, mas divertidíssima obra:

Abrindo o livro

Screenshot de storyteller - storyteller tem um começo intrigante e te conquista nos primeiros minutos (imagem: renato reis/annapurna interactive)
Storyteller tem um começo intrigante e te conquista nos primeiros minutos (Imagem: Renato Reis/Annapurna Interactive)

Ao abrir um livro intitulado “Storyteller”, de aspecto bem antigo, nos deparamos com uma rápida introdução: ganhará a coroa [e o jogo] quem for capaz de contar as melhores histórias nesta obra e, com isso, se tornar o mestre storyteller do reino. 

E o conteúdo, de fato, deste curioso livro é você quem cria. Como funciona? A ideia principal do jogo é construir mini histórias com personagens e cenários pré determinados pelo game design, inter relacionados entre si e capazes de criar muitas intrigas familiares medievais e um humor um tanto quanto ácido. É possível criar certa quantidade de possibilidades para essas histórias, que são limitadas a pequenos quadros (de 4 a 8, conforme se avançam as fases) de encaixe desses dois elementos principais.

Screenshot de storyteller - em 13 curtos capítulos, o livro de storyteller te encanta do início ao final (imagem: renato reis/annapurna interactive)
Em 13 curtos capítulos, o livro de Storyteller te encanta do início ao final (Imagem: Renato Reis/Annapurna Interactive)

O desafio está em cumprir uma simples proposta, que sempre se apresentará em forma de título e subtítulo dos 13 capítulos do livro. Enquanto premissa da história que você criará, tal proposta precisa ser cumprida com os elementos citados acima. 

A ordem dos fatores, entretanto, não altera o produto. Construir diferentes situações, verdades e condições em diversas ordens para formar a linha de pensamento narrativo fundamental para que a premissa do título seja atendida sempre será um fator divertidíssimo em Storyteller. Ver uma rainha perdendo seu trono para um barão mal intencionado e, após ser salva por um cavaleiro, vingar-se friamente dele é um caminho normal para uma das narrativas criadas, mas a coroa ser tomada pelo cavaleiro e o barão ser executado por ele é uma das subversões exemplares mais divertidas, as quais estão bem espalhadas pelo livro.

Uma obra única

Storyteller tem uma arte 2D espetacular, repleta de personagens e desenhos cartunescos dentro de um livro medieval animado e muito cômico, incentivando a ação da pessoa jogadora com narrativas autoexplicativas e um tom bem humorado. Seus quebra-cabeças narrativos são bem tranquilos e fáceis de serem solucionados, embora haja uma pequena curva de dificuldade acentuada nos 2 capítulos finais.

Screenshot de storyteller - construa a sua narrativa de forma hilária, reverenciando contos clássicos o tempo todo (imagem: renato reis/annapurna interactive)
Construa a sua narrativa de forma hilária, reverenciando contos clássicos o tempo todo (Imagem: Renato Reis/Annapurna Interactive)

Sua trilha sonora faz referência a músicas clássicas muito conhecidas e utilizadas no imaginário popular, muitas dessas usadas em desenhos animados e em filmes de animação 3D modernos, inclusive. Esse atributo acaba se unindo a vocalizações de personagens e efeitos sonoros cômicos ou trágicos, corroborando para uma experiência final bem hilária e agradável.

Um belo ponto final

Storyteller tem uma experiência muito divertida e única em comparação a qualquer padrão de jogos narrativos da indústria, o que, por si só, já o faz valer como um produto essencial a quem aprecia bons videogames, sobretudo a quem gosta de jogos independentes. Ele possui narrativas encantadoras e muito cômicas, uma trilha boa e nunca deixa de ser um ótimo passatempo com puzzles fáceis e medianos, que vão durar, no máximo, 3 horas com você (e pode colocar a platina da Steam nesta contagem). 

Screenshot de storyteller - faça múltiplas versões a partir de uma única premissa em alguns capítulos do seu livro (imagem: renato reis/annapurna interactive)
Faça múltiplas versões a partir de uma única premissa em alguns capítulos do seu livro (Imagem: Renato Reis/Annapurna Interactive)

Em 2023, ele pode ganhar poucas luzes dos holofotes, dados tantos outros lançamentos excelentes atuais e futuros, mas com certeza é uma das melhores e mais curiosas entregas até agora, muito embora tenha uma experiência rápida e rasa em certo aspecto de sua jogabilidade (nada contra jogos curtos). Vale conferir e construir a suas melhores narrativas!

Storyteller foi criado pelo desenvolvedor de jogos argentino Daniel Benmergui (de Today I Die e I Wish I Were the Moon) e está disponível para PC e Switch.

Análise realizada com uma cópia de Switch cedida pelos produtores

Veja também:

REVIEW: Bayonetta: Originas: Cereza and the Lost Demon é delicadamente feroz

REVIEW: Resident Evil 4 Remake melhora excelência do original

Revisão do texto feita por: Pedro Bomfim (03/04/23)

Storyteller

Storyteller
9 10 0 1
9/10
Total Score
  • Jogabilidade
    9/10 Incrível
  • Narrativa
    9/10 Incrível
  • Gráficos
    10/10 Excelente
  • Performance
    10/10 Excelente
  • Som e Trilha Sonora
    9/10 Incrível

Prós

  • Puzzles criativos e fáceis
  • Animações são primorosas
  • Sons e trilha sonora muito bons
  • Usabilidade simples
  • Direção de arte muito boa

Contras

  • Jogo muito curto
  • Algumas condições narrativas são obtusas

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados