Sem usar de dispositivos especiais, artista cria projeções holográficas 3D

Joanie Lemercier desenvolveu um sistema que cria hologramas tridimensionais sem utilizar telas ou óculos de realidade aumentada

Sem usar de dispositivos especiais, artista cria projeções holográficas 3D; Holograma; Hologramas

Infelizmente, hologramas como imaginamos em filmes de ficção-científica ao estilo Star Wars ainda não são realidade. O que nós conhecemos atualmente como “hologramas” são apenas ilusões que enganam seu cérebro usando imagens em 2D para simular o 3D.

Arte promissora

Normalmente, esse tipo de “holograma” só pode ser visualizado com dispositivos como o óculos HoloLens e outros  aparelhos semelhantes – e ainda assim, não se tratam de hologramas, em seu conceito mais estrito. Porém, um artista francês chamado Joanie Lemercier decidiu aprimorar essa ideia de forma a criar uma experiência artística única.

Ele adicionou o rastreamento de movimento à projeção da imagem, criando o “no-logram”. O diferencial dessa tecnologia é que ela pode mudar de perspectiva à medida que o usuário se move ao redor do objeto que observa, enganando seu cérebro para fazê-lo pensar que as imagens são realmente tridimensionais.

Sem usar de dispositivos especiais, artista cria projeções holográficas 3D; Holograma; Hologramas
Lemercier também tem outros trabalhos envolvendo projeções que simulam o 3D

Joanie explica que ficou obcecado com projeções tridimensionais desde que viu Star Wars pela primeira vez. A principal vantagem do seu sistema é que, ao contrário da realidade virtual e realidade aumentada, ele dispensa o uso de headsets, dispositivos ou telas, tornando-o uma experiência mais natural, barata e muito mais bonita também.

Trocando em miúdos: solução do artista projeta a imagem e, em seguida, rastreia o movimento do espectador, para que a projeção corresponda ao ponto de vista da pessoa.

Embora a solução seja muito inteligente, isso significa que deve funcionar apenas para um observador de cada vez, já que trata-se de uma projeção baseada na posição de um único indivíduo.

No vídeo abaixo, você pode conferir que, apesar dessa limitação do projeto, o resultado é impressionante.

Ao contrário dos demais artistas que criam ilusões que parecem hologramas, ele afirma que não quer enganar as pessoas, por isso chamou o sistema de “no-logram“. Quanto às imagens em si, ele afirmou se inspirar em padrões geométricos, formas repetidas na natureza e (por que não?) na própria estrutura do universo, redimensionada em várias escalas.

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Deixe um comentário: