Batalha épica entre 2 ratos no metrô ganha prêmio e viraliza na web

foto prêmio wildlife 2020
O britânico Sam Rowley passou uma semana esperando no metrô londrino pelo momento perfeito de sua foto, que venceu o prêmio Wildlife Photographer of the Year.

Frequentadores do metrô de Londres estão acostumados a ver ratos que andam ao longo dos trilhos, sob a plataforma de embarque – estima-se que haja meio milhão de ratos por lá. Sam Rowley, um dos “fãs” dos animais e motivado por um prêmio, fez uma foto dos roedores após uma semana andando por diferentes estações até capturar o momento perfeito em que uma dupla lutava por um pedaço de comida derrubado por um passageiro.

O esforço dele não foi em vão: Sam venceu a votação pública do prêmio Wildlife Photographer of the Year, (Fotógrafo da Vida Selvagem do Ano, em tradução livre), uma competição do Museu de História Natural de Londres. A imagem, batizada de Station Squabble (Briga na Estação, também em tradução livre), recebeu cerca de 28 mil votos.

O fotógrafo ficou deitado de barriga para baixo, no chão, no aguardo de seus modelos por horas. O momento registrado durou cerca de poucos segundos, de acordo com ele, e os ratos logo seguiram para caminhos diferentes depois de um deles ganhar a disputa.

Abaixo, mostramos parte da concorrência de peso que Sam enfrentou. Entre parênteses, na legenda, está a tradução literal de cada imagem.

Competidores da Foto do Ano

Michel Zoghzoghi 2019 prêmio wildlife
Matching Outfits, de Michel Zoghzoghi

Michel Zoghzoghi estava no pantanal brasileiro quando avistou, no rio Três Irmãos (no Estado de Mato Grosso, Brasil), uma mãe jaguar e o filhote comendo uma anaconda à frente de seu bote. O que mais chamou a atenção do fotógrafo libanês foi a combinação da pele do trio – daí o nome “Trajes Combinando“.

Na imagem, à esquerda há um filhote de rinoceronto. À direita, um homem. O nariz deles se tocam. O fundo da foto está desfocado.
The Surrogate Mother (A Mãe Substituta), de Martin Buzora

Elias Mugambi é guarda em um santuário no norte do Quênia e costuma cuidar de rinocerontes órfãos, que acabam de tal maneira devido à caça ou cegueira de suas mães. O canadense Martin Buzora registrou um belo momento entre Elias e um dos órfãos, chamado Kitui.

Na imagem, um orangotando está com expressão séria e sentado em um pequeno banco ao lado das cordas de um ringue.
Losing the Fight (Perdendo a Luta), de Aaron Gekoski

O inglês Aaron Gekoski capturou o momento de um orangotango trajado de boxeador por seus “cuidadores”. Os bichos têm sido utilizados em apresentações ridicularizadas em um safari de Bangkok há décadas. Com uma pausa nas atividades em 2004 por pressão pública, os espetáculos têm continuado desde então, duas vezes por dia, lotando a casa de pagantes.

Há sete animais na imagem, mas é difícil distinguir as espécies porque são todos muito brancos e eles estão em um ambiente totalmente branco de neve.
Spot the Reindeer (Encontre a Rena), de Francis De Andrés

Em uma arquipélago norueguês, o espanhol Francis De Andrés teve que enfrentar condições extremas para fotografar. Felizmente, a vida animal conseguiu se adaptar muito bem ao clima. A fauna local foi avistada por ele, que precisou capturar uma imagem de seus observadores.

Você gosta de imagens fantásticas? Aqui no SMT elas aparecem em várias matérias, como nessa matéria sobre fotografias feitas com drones. Vale a pena conferir!

Qual delas deveria levar o prêmio, na sua opinião? Conte para nós nos comentários!

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine nossa Newsletter