Os 30 melhores musicais de todos os tempos

Imagem destacada os 30 melhores filmes de musicais de todos os tempos
Selecionamos os 30 melhores musicais da história do cinema! Vem conferir a lista

Nós preparamos uma lista com os 30 melhores musicais que, além de apresentarem uma boa pontuação nos principais serviços de crítica da internet, mostram como as diversas formas de arte podem se juntar para criar experiências mais vívidas, dramáticas e catárticas.

Os musicais nasceram no final do século XIX na Inglaterra, em peças teatrais do gênero “comédia musical”, e se estenderam à modernidade, principalmente na Broadway, nos Estados Unidos.

Por sua vez, a beleza dos musicais é a forma como conseguem reunir diversas das artes essenciais e criar algo único, reunindo a música, a dança, o teatro e, claro, o cinema.

Nossa lista irá contar com a pontuação de cada um dos filmes no IMDb, Rotten Tomatoes e Metacritic. Além disso, a lista está separada em três categorias: os atemporais, os contemporâneos e as animações.

Prepare sua pipoca, deixe uma caixa de lenços do lado (acredite, é bem provável que ela seja necessária) e encontre o musical que vai te acompanhar na próxima sessão cinema:

Os Atemporais

O Mágico de Oz (The Wizard of Oz) (1939)

8,0 no IMDb | 98% no Rotten Tomatoes | 92 no Metacritic

Baseado na história original de L Frank Braum “The Wonderful Wizard of Oz“, livro de 1900, o Mágico de Oz conta a história de Dorothy (Judy Garland), uma jovem que, após ser carregada por um ciclone e aterrissar matando acidentalmente a Bruxa Má do Leste, precisa ir à Cidade Das Esmeraldas pedir ajuda do Mágico de Oz para que possa voltar para sua casa.

O filme não teve uma recepção boa no lançamento, mas, por possuir efeitos visuais impressionantes para a época, belíssimas canções e ter sido relançado várias vezes, ele alcançou um status “cult“, por isso figura como um dos 30 melhores musicais já feitos até hoje. O filme ganhou o Oscar de melhor banda sonora e sua música principal, “Over the Rainbow”, foi vencedora do Oscar de melhor canção original (note que filmes vencendo esses prêmios nessa lista é algo esperado).

Cantando na Chuva (Singin’ in the Rain) (1952)

8,3 no IMDb | 100% no Rotten Tomatoes | 99 no Metacritic

Não apenas um dos 30 melhores musicais, Cantando na Chuva é um dos maiores clássicos do cinema. O filme conta a história de Don Lockwood e Lina Lamont, estrelas famosas do cinema mudo em Hollywood. Porém, com a chegada do cinema falado, os atores precisam se redescobrir para que consigam manter a fama que possuíam. Donald O’Connor venceu o prêmio de Melhor Ator de Comédia/Musical no Globo de Ouro.

Amor, Sublime Amor (West Side Story) (1961)

7,5 no IMDb | 92% no Rotten Tomatoes | 86 no Metacritic

O filme adapta o original de sucesso da Broadway, lançado em 1957. Ambas as versões são releituras da história de Romeu e Julieta, de Shakespeare. Um amor proibido entre gangues de imigrantes inimigas no lado oeste de Nova York: Tony, antigo líder dos Jets, se apaixona por Maria, irmã do líder dos Shark, que o corresponde. Fazendo muito sucesso, o filme é o musical mais premiado da história do cinema, levando 2 Grammys, 3 Globos de Ouro e simplesmente 10 Oscars, que incluem Melhor Filme, Diretor e Trilha Sonora.

Mary Poppins (1964)

7,8 no IMDb | 100% no Rotten Tomatoes | 88 no Metacritic

Voltado ao público infantil e produzido por Walt Disney, o filme estrelado por Julie Andrews, que mescla ação ao vivo com animação, conta a história de uma babá mágica que visita uma família problemática em Londres, e ajuda a família a se reencontrar. O filme foi inteiramente gravado nos estúdios Walt Disney com cenas de fundo pintadas de Londres. Mary Poppins foi um mega sucesso de crítica e rendeu muito dinheiro à Disney, porém, a autora dos livros, Pamela Lyndon Travers, odiou a adaptação e proibiu que outras acontecessem. Apesar disso, em 2018, foi lançado O Retorno de Mary Poppins.

A Noviça Rebelde (The Sound of Music) (1965)

8,0 no IMDb | 83% no Rotten Tomatoes | 63 no Metacritic

A Noviça Rebelde é uma adaptação do musical de 1959, escrito por Howard Lindsay e Russel Crouse, e temos novamente Julie Andrews protagonizando mais um dos 30 melhores musicais. A história acompanha as aventuras de uma jovem austríaca cujo interesse é em ser freira, mas é enviada à casa de campo de um oficial da marinha, já aposentado e viúvo. Lá, ela se torna a governanta de seus sete filhos e eventualmente casa-se com o Capitão. O longa-metragem venceu os Oscars de Melhor Filme, Diretor, Montagem, Som e Trilha Sonora.

Festival Rocky de Terror (The Rocky Horror Picture Show) (1975)

7,4 no IMDb | 80% no Rotten Tomatoes | 65 no Metacritic

Baseado no teatro musical The Rocky Horror Show, de 1973, o filme faz paródia com os “filmes B” de ficção científica e horror dos anos 30 aos anos 70. A história traz um casal de noivos cujo carro quebra em meio a uma tempestade, perto de um castelo. Lá, eles encontram um “cientista louco”, que, na verdade, é uma travesti alienígena que está criando um homem musculoso em seu laboratório. O filme reverbera até hoje na cultura pop e se mantém icônico.

Nasce uma Estrela (A Star is Born) (1954)

7,6 no IMDb | 98% no Rotten Tomatoes | 89 no Metacritic

A 2ª versão de uma das histórias que Hollywood mais ama revisitar é também a melhor versão dentre as quatro já feitas. A história base é a mesma em todos os filmes, mas, é apenas nessa que vemos a ascensão da personagem feminina (a estrela que nasceu) alcançar uma paixão e uma própria voz, se tornando alguém admirável, independente de seu marido. Judy Garland está impecável no papel de Esther Blodgett, contracenando com James Mason, no papel de Norman Maine.

Grease – Nos Tempos da Brilhantina (1978)

7,2 no IMDb | 75% no Rotten Tomatoes | 70 no Metacritic

Eu sei, você estava esperando por Grease, eu sei! O filme que se baseia no musical de 1971 de mesmo nome foi o filme musical de maior bilheteria da época e um dos maiores até hoje. Estrelado por John Travolta (em seu papel mais marcante) como Danny e Olivia Newton-John como Sandy, o filme acompanha o romance escolar deles, e toda a narrativa de estilo daquela época. O seu álbum de trilha sonora foi o segundo mais vendido do ano de 1978.

Hair (1979)

7,6 no IMDb | 88% no Rotten Tomatoes | 68 no Metacritic

Chegamos no segundo filme sobre cabelo na nossa lista dos melhores filmes de musicais de todos os tempos (note o padrão). Ele adapta o musical de mesmo nome, que conta a história de um jovem convocado à guerra do Vietnã que, ao chegar em Nova York para o alistamento, se torna amigo do grupo de hippies da cidade, contrários à guerra.

Footloose – Ritmo Louco (1984)

6,6 no IMDb | 55% no Rotten Tomatoes | 42 no Metacritic

Apesar de trazer críticas medianas, Footloose é um clássico divertido que vale a sua atenção. Estrelando Kevin Bacon, a história mostra um adolescente de Chicago se mudando para uma pequena cidade onde dança e rock são proibidos. De maneira vaga, o filme aborda eventos reais que aconteceram numa pequena cidade religiosa de Elmore, em Oklahoma.

Os Contemporâneos

Moulin Rouge – Amor em Vermelho (2001)

7,6 no IMDb | 76% no Rotten Tomatoes | 66 no Metacritic

Moulin Rouge tem inspiração em três óperas/operetas: La bohème de Giacomo Puccini, La traviata de Giuseppe Verdi e Orphée aux enfers de Jacques Offenbach (esta inspirada no mito grego antigo de Orfeu e Eurídice). Tantas inspirações, além de reunir inúmeras músicas famosas de bandas como Nirvana, U2 e Queen, fazem com que o filme peque em excessos, principalmente de cortes, mas, apesar disso, tem seu charme. Estrelado por ninguém menos que Nicole Kidman e Ewan Mcgregor, o filme venceu os Oscars de Melhor Direção de Arte e Figurino.

Chicago (2002)

7,1 no IMDb | 86% no Rotten Tomatoes | 81 no Metacritic

Com roteiro original, Chicago foi um sucesso de bilheteria. Estrelado por Renée Zellweger e Catherine Zeta-Jones, ambas personagens são assassinas que se encontram na penitenciária. Com altas chances de Roxie (Renée) ser condenada à pena de morte, a supervisora da penitenciária ajuda ela a escapar deste destino. A comédia musical venceu 6 de suas 13 indicações ao Oscar, incluindo Melhor Filme, Figurino e Direção de Arte.

O Fantasma da Opera (The Phantom of the Opera) (2004)

7,2 no IMDb | 33% no Rotten Tomatoes | 40 no Metacritic

Curioso que os números baixos da crítica contradizem o público, com 86% no Rotten Tomatoes e 88 no Metacritic. O filme adapta o musical de 1986 de mesmo nome e conta a história do “Fantasma” (Gerard Butler) que se resguarda no Teatro de Paris. Um músico genial, mas desfigurado, encontra em Christine Daaé (Emmy Rossum) a cantora ideal para conquistar seus próprios sonhos. Apesar de criticarem roteiro e direção do filme, a crítica reconhece o aspecto visual e, principalmente, as atuações.

Apenas uma Vez (Once) (2007)

7,8 no IMDb | 97% no Rotten Tomatoes | 88 no Metacritic

Dando espaço para filmes menos “hollywoodianos”, Apenas uma Vez é um musical irlandês de baixo orçamento (130 mil euros) que conta a história de um músico que toca suas composições nas ruas de Dublin e, ao acaso, se encontra com uma imigrante tcheca que se impressiona com suas canções. O filme foi um sucesso de crítica e a música tema, Falling Slowly, venceu o Oscar de Melhor Canção Original. Após esse filme, o diretor John Carney conseguiu fazer uma produção mais ambiciosa e lançou o Mesmo se nada der certo (Begin Again), com Adam Levine.

Hairspray – Em busca da fama (2007)

6,6 no IMDb | 91% no Rotten Tomatoes | 81 no Metacritic

Chegamos no último filme sobre cabelo da nossa lista! Baseado no musical da Broadway de 2002 de mesmo nome, o filme traz John Travolta no papel de Edna Turnblad (garantindo sua participação em mais um musical sobre cabelo) e se passa na cidade de Baltimore em 1962, em que Tracy Turnblad (Nikki Blonsky) sonha em participar do The Corny Collins Show, programa de dança da televisão. Além de um dos 30 melhores musicais, Hairspray é certamente um dos mais divertidos da lista.

Mamma Mia! (2008)

6,4 no IMDb | 55% no Rotten Tomatoes | 51 no Metacritic

O filme conta a história do casamento de Sophie (Amanda Seyfried) que, por não conhecer seu pai biológico, convida os três “pais em potencial” que marcaram a vida de sua mãe, Donna (Meryl Streep). Essa ideia parece péssima, né? Sim, porque é. O filme se passa na Grécia e, como você já deve saber, é uma ode à discografia da banda ABBA. Certamente não é um dos melhores filmes da lista, mas é tão divertido e gostoso de assistir, que eu particularmente recomendo ser o seu próximo compromisso de sexta à noite (com taças de vinho, para entrar no ritmo do filme).

Apesar da recepção mista da crítica, Mamma Mia! foi um sucesso de bilheteria e ganhou uma continuação 10 anos depois com Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo (Mamma Mia! Here We Go Again).

Os Miseráveis (Les Misérables) (2012)

7,6 no IMDb | 69% no Rotten Tomatoes | 63 no Metacritic

Adaptação do musical de mesmo nome de 1980 que, por sua vez, adapta o romance de Victor Hugo de 1862, a história se passa durante a Revolução de Julho no século XIX na França, mostrando a vida de pessoas pobres, principalmente do condenado por roubar pão, Jean Valjean (Hugh Jackman). Quem conhece os bastidores do filme tem ressalvas ao descaso com o elenco, principalmente por não respeitar os cuidados que se precisa para com a voz. Apesar disso, o mega elenco garante performances premiadas pela Academia e uma boa recepção da crítica.

La La Land – Cantando Estações (2016)

8,0 no IMDb | 91% no Rotten Tomatoes | 94 no Metacritic

O segundo filme do diretor Damien Chazelle tem roteiro original e é uma carta de amor ao jazz. Chazelle conta que o roteiro existia desde 2010, mas, para provar aos estúdios o seu potencial, primeiro fez Whiplash (outro filme fantástico). A história acompanha um pianista de jazz e uma aspirante a atriz que, ao se encontrarem, se apaixonam. Estrelando Ryan Gosling e Emma Stone, o filme foi um sucesso de crítica e bilheteria, recebendo 13 indicações ao Oscar (igualando-se a Titanic) e conquistou 6 estatuetas, incluindo Melhor Diretor, Atriz, Canção Original e Trilha Sonora. O filme ainda protagonizou um dos momentos mais icônicos do cinema contemporâneo, ao receber por engano o prêmio de Melhor Filme, que, na verdade, pertencia a Moonlight.

Nasce Uma Estrela (A Star Is Born) (2018)

7,7 no IMDb | 90% no Rotten Tomatoes | 88 no Metacritic

Como disse anteriormente, Hollywood ama revisitar essa história, e assim como a segunda, a quarta versão é digna da lista do Showmetech dos melhores filmes de musicais de todos os tempos. Bradley Cooper está atrás e na frente das câmeras em seu primeiro filme como diretor, dando vida a Jackson Maine, um famoso músico que conhece Ally (Lady Gaga) ao acaso. Ambos se apaixonam e ele a ajuda a alcançar o estrelato. Contudo, o alcoolismo e a perda de audição de Jackson os levam à ruína.

O filme fez um sucesso estrondoso, garantindo diversos prêmios, incluindo Melhor Canção Original para Shallow, escrita por Lady Gaga, a aproximando do EGOT (termo para quem conquista um Emmy, um Grammy, um Oscar e um Tony), faltando apenas vencer um Tony.

Rocketman (2019)

7,3 no IMDb | 89% no Rotten Tomatoes | 69 no Metacritic

A cinebiografia do lendário cantor Elton John passou por duas décadas de desenvolvimento, mudanças de estúdio e conflitos criativos, até tudo se encaixar no filme dirigido por Dexter Fletcher com Taron Egerton no papel do músico. Apesar da bilheteria modesta, o filme foi aclamado pela crítica pela atuação de Egerton, figurinos, estilo visual e ao encaixe das músicas já muito conhecidas carregando a narrativa. Vencedor do Oscar de Melhor Canção Original, com (I’m Gonna) Love Me Again, o longa-metragem é a primeira grande produção hollywoodiana a mostrar uma cena de sexo gay masculino.

As Animações

Branca de Neve e os Sete Anões (Snow White and the Seven Dwarfs) (1937)

7,6 no IMDb | 98% no Rotten Tomatoes | 95 no Metacritic

Você provavelmente não esperava que o filme mais antigo da lista dos 30 melhores musicais fosse uma animação, né? Ele é o primeiro longa-metragem de animação da Disney, o primeiro longa-metragem completamente a cores e adapta o conto de fadas dos Irmãos Grimm. A história você já deve conhecer: Branca de Neve é uma princesa que vive com sua madrasta que, por temer a beleza da Branca de Neve, a faz trabalhar como criada e diariamente pergunta ao Espelho Mágico: ”Espelho, espelho meu, existe alguém mais bela do que eu?”

O impacto cultural, que se estende até agora, levou o filme a receber um Oscar honorário em sua 11ª edição, ganhar parques temáticos, videogames e, claro, musical na Broadway em 1979, além de pavimentar o início das animações no cinema.

A Pequena Sereia (The Little Mermaid) (1989)

7,6 no IMDb | 93% no Rotten Tomatoes | 88 no Metacritic

A Pequena Sereia se baseia na história original de Hans Christian Andersen, escritor dinamarquês de histórias infantis. O filme foi um sucesso de crítica e bilheteria, marcando o início de uma era conhecida como o Renascimento da Disney (após uma era de fracassos nas décadas de 70 e 80). A história da linda princesa sereia que queria se tornar humana virou musical da Broadway em 2007. Nos anos 2000, o filme recebeu uma prequela e uma sequência, diretamente para o homevideo.

A Bela e a Fera (Beauty and the Beast) (1991)

8,0 no IMDb | 94% no Rotten Tomatoes | 95 no Metacritic

A Bela e a Fera é mais um clássico da Disney e se baseia no filme francês de 1946 de Jean Cocteau. A história mostra um príncipe que é transformado em fera e aprisiona a jovem Bela em seu castelo, sendo apenas através do beijo do amor verdadeiro que a maldição pode ser quebrada. Ele foi o primeiro filme de animação a ser indicado na categoria de Melhor Filme do Oscar, mas venceu o prêmio de Melhor Canção Original e Melhor Trilha Sonora. Em 1994, a adaptação para musical da Broadway fez sua estreia.

Aladdin (1992)

8,0 no IMDb | 95% no Rotten Tomatoes | 86 no Metacritic

Baseado no conto árabe Aladim e a Lâmpada Maravilhosa, presente em As Mil e uma Noites, o filme conta a história do jovem de rua Aladdin e da princesa Jasmine, filha do sultão Jafar, o vilão do filme. Um fato curioso foi o desentendimento entre Robin Williams e a Disney. O ator dublou o Gênio sob a condição de não ser usado como chamariz no marketing do filme, dando espaço para os outros atores, porém, a Disney não foi fiel ao acordo, fazendo com que Robin Williams não reprisasse o papel nas sequências que vieram.

Apesar disso, Aladdin foi o filme mais bem-sucedido nas bilheterias de 1992 e ainda conquistou duas estatuetas no Oscar, de Melhor Trilha Sonora e Melhor Canção Original.

O Estranho Mundo de Jack (The Nightmare Before Christmas) (1993)

8,0 no IMDb | 95% no Rotten Tomatoes | 82 no Metacritic

Enfrentando uma crise de falta de propósito, Jack Skellington, o Rei das Abóboras na cidade do Halloween, descobre a cidade do Natal e decide trazer o espírito natalino à moda sombria que só eles sabem fazer. O filme dirigido por Henry Selick, produzido e coescrito por Tim Burton, é feito em stop motion (método em que cada quadro é fotografado individualmente).

O Rei Leão (The Lion King) (1994)

8,5 no IMDb | 93% no Rotten Tomatoes | 88 no Metacritic

Clássico absoluto da Disney (e do cinema), O Rei Leão conta a história de descobrimento e crescimento do jovem leão Simba. Com músicas de ninguém menos que Elton John (que já apareceu na lista mais cedo), o filme foi um sucesso estrondoso de bilheteria, custando 45 milhões para produzir e arrecadando 1 bilhão e 80 milhões para a Disney.

O filme venceu o Oscar de Melhor Canção Original e Melhor Trilha Sonora Original. Além disso, Rei Leão recebeu duas continuações diretas em vídeo e versão em live-action em 2019.

O Corcunda de Notre Dame (The Hunchback of Notre Dame) (1996)

6,9 no IMDb | 71% no Rotten Tomatoes | 74 no Metacritic

Inspirado na obra de Victor Hugo, a história gira em torno de Quasimodo, o sineiro deformado da catedral de Notre Dame. O filme trata de temas como intolerância e aceitação, e por mais que, em alguns momentos, possa ser um pouco visceral para as crianças, a mensagem mostra como preconceitos são datados, e isso é de extrema importância. O filme recebeu críticas positivas e foi um sucesso de bilheteria, garantindo sua continuação “O Corcunda de Notre Dame 2” em 2003.

Hércules (1997)

7,3 no IMDb | 84% no Rotten Tomatoes | 74 no Metacritic

O filme foi dirigido por Ron Clements e John Musker, os mesmos de Aladdin e adapta histórias e personagens clássicos da mitologia grega. O tom aventuresco e divertido, entrelaçando figuras mitológicas extremamente famosas com roupagens inesperadas (sim, estou falando do Hades, o melhor vilão da Disney) garantiu críticas positivas e uma série animada em 1998.

Frozen – Uma Aventura Congelante (2013)

7,4 no IMDb | 90% no Rotten Tomatoes | 75 no Metacritic

O que dizer de uma das maiores franquias de sucesso dos últimos tempos? Se não bastasse o apreço da Disney em cada detalhe, deixando a animação riquíssima, a história de auto aceitação que quebra com paradigmas do gênero de filmes de princesas (sem spoiler por aqui), o filme ainda conta com a mão de Midas de Idina Menzel interpretando Elza, uma das mais talentosas atrizes da Broadway.

O sucesso estrondoso de crítica e bilheteria garantiu o Oscar de Melhor Animação e o Oscar de Melhor Canção Original com “Let it go”, além de musical na Broadway e sequência direta, Frozen 2, em 2019.

Moana – Um Mar de Aventuras (2016)

7,6 no IMDb | 95% no Rotten Tomatoes | 81 no Metacritic

Finalizando a nossa lista, Moana conta a história de uma jovem de uma tribo na Polinésia que sai da sua ilha em uma jornada de descobrimento. O filme é dirigido por Ron Clements e John Musker (que já apareceram por aqui) e traz a trilha sonora feita por Lin-Manuel Miranda (que ainda vai ter seu espaço nessa lista). How far I’ll go, sua música principal, concorreu ao Oscar e o filme foi um grande sucesso de bilheteria.

Menções Honrosas

Mulan (1998)

7,6 no IMDb | 86% no Rotten Tomatoes | 71 no Metacritic

É difícil ter que deixar alguns filmes de fora, né? O caso de Mulan é de um filme que abandona o gênero musical em um certo ponto da narrativa, e não volta com músicas cantadas depois. O momento em que a música para é muito impactante e faz com que a narrativa cresça, por isso, não há críticas aqui sobre essa escolha de direção. Porém, o trecho musical é sim muito bom, por isso, o filme tem espaço nas nossas menções honrosas.

Mulan mostra a vida de uma jovem chinesa que assume o papel de seu pai na guerra, se transvestindo como homem no exército chinês e indo para a batalha. A Disney lançou em 2004 uma continuação para a história em Mulan 2: A Lenda Continua e em 2020, a versão live-action fez a sua estreia no serviço de streaming da Disney.

Hamilton (2020)

Certamente, a vontade de colocar Hamilton entre os contemporâneos foi muito grande, mas a regra é clara: melhores filmes de musicais, e se tratando da gravação oficial da peça na Broadway, não poderíamos considerá-lo. Contudo, Hamilton é um fenômeno dos últimos anos e se tornou parada obrigatória para qualquer pessoa que ama musicais.

Escrito por Lin-Manuel Miranda, o musical versa sobre a independência americana com sua atenção voltada em Alexander Hamilton, primeiro secretário do tesouro dos Estados Unidos e um dos pais fundadores do país, lutando ao lado de George Washington. Ouvindo assim, pode não parecer tão interessante, né? Porém, a história é contada inteiramente através de rap, em suas duas horas e meia ininterruptas de música. O elenco ainda conta com atores negros representando personalidades icônicas estadunidenses, como Thomas Jefferson e George Washington.

Você pode encontrar os 30 melhores musicais em serviços de streaming como o Disney+, Netflix, Amazon Prime Video e HBO GO, mas, para facilitar, recomendo o uso do Justwatch, site que te mostra exatamente em qual serviço de streaming está o filme que você está procurando.

Leia também a nossa lista especial sobre Os 200 melhores filmes de todos os tempos.

Fontes: GH | Rotten Tomatoes | IMDB

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário