Mastercard anuncia o fim da tarja magnética em cartões de crédito

Fim da tarja magnética em cartões de crédito e débito
O uso de chip e pagamento por aproximação decretou o fim da tarja magnética em cartões, e a Mastercard promete avanço em novas tecnologias

Na última semana a Mastercard anunciou que o fim da tarja magnética em cartões de crédito e débito está próximo. Com a implementação de tecnologias mais seguras e interessantes, como o pagamento por aproximação e cartões com chip, manter a tarja magnética não é mais uma opção viável.

Segundo a Mastercard, a transição irá começar em 2024 quando a tecnologia não será mais necessária em locais como a Europa. Já no caso dos EUA o processo será mais lento, já que por lá eles estão um pouco mais atrasados em relação aos cartões com chip e a transição está planejada para 2027.

Com isso, a partir de 2029, nenhum cartão Mastercard terá mais as tarjas magnéticas e eles estarão completamente “apagados” em 2033. Isso com certeza marca o fim de uma era, mas é algo que precisava acontecer, visto que exceto pelos EUA, grande parte do mundo já aderiu aos cartões com chip e senha e também aos métodos de pagamento por aproximação.

Quando surgiu a tarja magnética e porquê?

Cartão com tarja magnética
Cartão com tarja magnética (Crédito: Deposit Photos)

No início da era dos cartões de crédito, as informações precisavam ser todas passadas a mão para cada cliente. Depois isso evoluiu para a geração dos cartões com máquina de papel carbono e então no começo dos anos 60 veio a grande mudança com os cartões com tarja magnética. Diferente das antigas versões de cartões, todas as informações necessárias se encontrariam nessa tarja que facilitaria não só o uso, mas também a vida dos vendedores.

Isso viabilizou a venda com cartões para empresas de diversos tamanhos na época e se manteve como o padrão de cartões por décadas, afinal era seguro e prático. No entanto, para o mercado atual, com novas tecnologias e novos sistemas de segurança, o fim da tarja magnética é iminente.

O que muda com o fim da tarja magnética em cartões?

Pagamento por aproximação utilizando um smartphone
Pagamento por aproximação utilizando um smartphone com NFC (Crédito: Deposit Photos)

Com a chegada de cartões com chip e senha da EMV (Europay, Mastercard e Visa), as três empresas que criaram o padrão, tanto a praticidade quanto a segurança dos mesmos passou a ser maior, fazendo com que gradualmente a tarja magnética fosse ficando para trás. Atualmente os cartões com chip e senha vem se adaptando também para o pagamento por aproximação não só com o cartão, mas também com carteiras digitais como Samsung Pay, Apple Pay e Google Pay através de Smartphones e Relógios Inteligentes.

A cada compra hoje um novo código de transação é criado pelo chip, trazendo mais segurança e transparência para o consumidor. Desde a criação do padrão EMV, cerca de 86% da população utiliza o padrão, fazendo com que seja necessário abandonar a tarja magnética em algum ponto. Esse ponto, segundo a Mastercard se encontra a partir de 2023.

A transição já começou

O qr code se tornou um dos meios de pagamento por aproximação mais famosos do mundo
QR Code para pagamento por aproximação (Créditos (Deposit Photos)

Apesar dos cartões atuais ainda manterem o design com a tarja magnética, a transição para as novas tecnologias já se iniciaram há algum tempo e ganharam ainda mais força em 2021. Para ter uma ideia, a Mastercard teve cerca de mais de 1 bilhão de vendas através do pagamento por aproximação no segundo trimestre do ano, se comparado com a mesma época em 2020, seja ele através de QR Codes, carteiras digitais ou qualquer outra forma “sem contato”.

Além disso, as pessoas estão cada vez mais aptas a novas formas de pagamento e graças às novas tecnologias dos smartphones e novas versões do padrão EMV, melhorias de segurança e de recursos podem ser feitos diretamente por software, ou seja, sem precisar atualizar as peças do produto.

No Brasil temos um avanço interessante nesse sentido e já temos diversas dessas tecnologias. Pagamento por aproximação, QR Code, Samsung Pay, Google Pay e Apple Pay estão sendo cada vez mais usados e os poucos cartões com tarja magnética que restaram são os de loja de roupas, por exemplo, onde você tem um “crédito” exclusivo com a loja.

Pix, uma das principais ferramentas de transferências no brasil
Logo do Pix, “novo” sistema de transferências do Banco Central que está se tornando um padrão para os brasileiros de todas as idades

E ainda, por aqui tivemos a adição do Pix, um avanço gigantesco no sistema de transferência bancária que permite que a mesma seja feita a qualquer hora, qualquer dia e sem custo. Inclusive grandes lojas de varejo já estão aceitando o mesmo para pagamento, fora as faturas de cartão que também estão incluindo gradualmente a função.

E você, o que acha do fim da tarja magnética em cartões? Ainda usa algum cartão com a tecnologia? Comenta aí embaixo. E se por acaso ainda não se cadastrou no Pix e tem dúvidas de como utilizá-lo, aqui no Showmetech nós temos um tutorial de como usar e cadastrar suas chaves no novo sistema de transferência.

Fonte: Mastercard, The Verge

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário