Robolab: Projeto piloto da Qualcomm anuncia seus vencedores

robolab
Fruto da parceria entre Qualcomm, Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, Grupo +Unidos e Instituto Tim, a feira de robótica encerra seu ciclo e anuncia os projetos vencedores entre dez escolas contempladas pela iniciativa

Robolab – A mudança: Existe um provérbio chinês que tem ares proféticos: uma faísca pode começar um fogo que queima a campina inteira.  Essa premissa tem tudo a ver com a iniciativa que reuniu a Qualcomm, a Secretária da Educação do Estado de São Paulo, o Grupo +Unidos e o Instituto TIM em uma parceria que tem como objetivo inserir e promover conectividade em escolas da rede pública. Desta ambição surgiu a iniciativa do Robolab, uma feira de robótica em celebração aos projetos finalistas entre as dez escolas da Região Sul contempladas pelo programa.

Nesta sexta-feira, dia 30,  no auditório da Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Professores (EFAP), foi realizado o evento de premiação do projeto Robolab, programa piloto que capacitou professores em matérias ligadas a tecnologia, como pensamento computacional, robótica e design thinking e beneficiou 525 alunos por meio de 228 oficinas de formação. E mais, os laboratórios das 10 escolas participantes foram renovados para receber o programa, além de receberem laptops (100), kits de robótica (110), projetores (10) e modens 4G (90) com plano de dados.

Não há nada mais sagrado que uma sala de aula

Alunos em sala de aula aproveitando dos rescursos promovidos pelo projeto.

Os esforços não foram em vão e eles são comprovados em números. Em apenas seis meses de trabalho, o Robolab ajudou a aumentar o interesse dos estudantes por matérias como matemática e ciências, um feito significativo considerando que as estatísticas passam de 2% para 63%, assim como o interesse em tecnologia em geral, de 53% para 84%. O engajamento dos estudantes com a escola também teve um aumento considerável, de acordo com os professores consultados, passando de 26% para 79%.

O levantamento mostra resultados ainda mais satisfatórios, já que aponta que 93% dos alunos tocados pelo pensamento computacional e robótica afirmam que irão aplicar a maior parte do conhecimento adquirido pela experiência em sala de aula.  O Instituto TIM forneceu toda a conectividade para que todo o projeto pudesse acontecer e diminuir barreiras entre o ensino privado e o ensino público. Os números são animadores e gerou frutos que podem alcançar outras escolas, ou, quem sabe, toda a rede pública do Estado de São Paulo.

Isso porque no mesmo evento foi selado um compromisso entre as empresas e a Secretaria da Educação com a criação de um grupo de trabalho. O documento teve assinatura do presidente da Qualcomm para a América Latina, Rafael Steinhauser, do presidente do Instituto TIM, Mario Girasole, e do presidente do Conselho do Grupo + Unidos, David Bunce, assim como do Secretário da Educação: João Cury Neto.

“Continuaremos apoiando e incentivando iniciativas na área da educação, especialmente ligadas a programação e robótica, que são habilidades essenciais para os próximos anos.” afirma, Rafael Steinhauser, Presidente da Qualcomm para a América Latina.

Robolab: Os vencedores

Dez projetos foram apresentados na feira de robótica, cada um representando sua escola. Houve quatro escolas vencedoras, sendo três por uma comissão presente no local e uma por voto popular, que também contabilizou votos dos próprios alunos e de todos os presentes. Conheça as escolas vencedoras que dividiram criatividade e significado:

Escola Estadual Doutor Mário Lopes Leão (Vencedor do Voto Popular)

Alunos: Beatriz de Almeida Silva, Carlos Eduardo Alves dos Reis, Vitor Rafael da Silva e Wellington Lucas Ferreira da Silva.
Professores: Cleberson Lima de Souza, Gerson Alves de Oliveira e Maurício Ferreira da Silva.
Projeto: Security Locker – nascido após a percepção dos alunos ao lidar com o dilema de guardar os kits de robótica de maneira para evitar furtos. O projeto tem como base, o acionamento via bluetooth, de travas com a utilização de servos motores e, quando estas são avariadas ou rompidas por algum motivo.

Escola Estadual Santo Dias da Silva (Vencedora do 3º lugar)

Alunos: Dias, D.S; Moura, I.H.
Professor: Santos, C.F; Juvenal, L.T; Silva, H.S; Leite, M.
Projeto:  Filtro Inteligente – um sensor que indica a pureza da água a partir do prazo de validade da água. Mesmo em qualquer um desses estágios, uma luz vermelha apitará caso a água não esteja boa para consumo.

Escola Estadual Paulino Nunes Esposo (Vencedora do 2º lugar)

Alunos: Ana Paula, Andrey Fabricio, Nicoly Alves e Sabrina.
Professor: Jefferson A. Miranda.
Projeto: Estufa Ecológica Programada – elaboração de uma estufa cuja base é formada com materiais reciclados e devidamente projetada com a proposta dos conteúdos de robótica (uso de LEDs e sensores específicos).

Escola Estadual Emanoel Alves de Araújo Artista Plástico (Vencedora do 1º lugar)

Alunos: Rafaela Ferreira dos Santos, Carolina Alves Vieira, Hugo Soares da Silva e João Vitor Ferreira da Silva.
Professor: Alexander Aparecido Urso Silva.
Projeto: Cérebro do Teto Solar – o objetivo é aperfeiçoar a solução existente da “placa solar”, de maneira que a mesma imite o movimento do girassol, em busca da luz solar e, assim, maximizar a eficiência do recurso. O resultado é economia que pode ser revertida para outras necessidades da escola.

Curtiu? Deixe um comentário!

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Deixe um comentário: