Startup de seguros brasileira justos recebe aporte de us$ 35,8 milhões

Startup de seguros brasileira Justos recebe aporte de US$ 35,8 milhões

Avatar of otávio queiroz
Insurtech traz ao Brasil modalidade de seguro baseada no comportamento do motorista. Rodada de investimento Série A foi liderada pela Ribbit Capital

A startup de seguros brasileira Justos anunciou o recebimento de um aporte no valor de US$ 35,8 milhões. De acordo com o comunicado, divulgado pela empresa nesta segunda-feira (25), a rodada de investimento Série A foi liderada pelo fundo Ribbit Capital, com participação de Softbank Latin America Fund e GGV, além dos atuais investidores Kaszek e BigBets, de David Velez (CEO do Nubank), e de Carlos Garcia Otatti (CEO do unicórnio mexicano Kavak).

No total, a Justos captou cerca de R$ 197 milhões nesta nova rodada de investimentos. Segundo a insurtech, o montante será usado em contratações e tecnologia que permitirão o início da operação do aplicativo até o final deste ano. Atualmente, a seguradora conta com uma equipe de 30 pessoas com a meta de chegar aos 50 funcionários até o final deste ano e aos 200 até o fim de 2022. A companhia planeja começar os serviços na Grande São Paulo e, futuramente, iniciar uma expansão para todos os estados do Brasil.

Um novo conceito em seguro

Fundadores da startup de seguros brasileira justos
Dhaval Chadha, Jorge Soto Moreno e Antonio Molins, sócios da Justos

Fundada pelo indiano Dhaval Chadha, o espanhol Antonio Molins e o mexicano Jorge Soto Moreno, a insurtech traz um novo conceito para o mercado brasileiro de seguros de veículos. A ideia da startup é precificar o seguro dos automóveis com base no comportamento dos clientes, uma modalidade que já existe nos Estados Unidos. O seguro automotivo será oferecido em parceria com a Companhia Excelsior de Seguros e terá um plano de cobertura para acidentes e avarias ocasionadas por batidas.

O principal diferencial da Justos está na forma de cobrar: por meio de um aplicativo instalado no celular do motorista, a seguradora irá monitar aspectos importantes da condução do veículo, como aceleração, frenagem, direção em curvas e até a atenção que o condutor possui no trânsito, já que o app conseguirá até mesmo medir a quantidade de vezes que o usuário mexe no celular enquanto está ao volante. Todos os dados coletados se transformam em uma pontuação no sistema, determinando o quão prudente o motorista é. Com base nesse score, a Justos irá definir o valor a ser pago pelo segurado.

Inteligência artificial no trânsito
Insurtech aposta no uso de dados para precificação de seguros

A insurtech também planeja fazer uso de inteligência artificial para analisar e processar reclamações com mais rapidez e eficiência. “Queremos construir uma experiência única e revolucionar o mercado de seguros no Brasil, semelhante ao que o Nubank fez no setor de finanças”, conta Chadha, que também promete novos serviços no catálogo da empresa em um futuro próximo. “Em 2022 nós já começamos a expandir para outros Estados e depois para outros produtos e países. A nossa ideia é ir para outras áreas, como seguros de vida e residencial, por exemplo”, revela.

Apesar de todos os diferenciais propostos pela Justos, o seu caminho não deve ser tão fácil assim. Devido à pandemia, o mercado de seguros de automóveis registrou uma queda de 2,1% nos últimos 12 meses. Por um outro lado, este nicho é gigante e representou uma receita de R$ 172 bilhões somente nos sete primeiros meses de 2021, segundo a Confederação Nacional das Seguradoras (Cnseg). As apostas na companhia têm sido altas e caberá a ela provar seus diferenciais de preço e de experiência do usuário.

Veja também:

Tecnologia e automóveis têm andado lado a lado nos últimos anos. Confira a iniciativa do Google que promete levar chave digital do carro para celulares Android. Confira essa novidade clicando aqui.

Fonte: TechCrunch

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Total
1
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados