Apple e Google fazem parceria histórica para ajudar a conter a disseminação da COVID-19

Apple e Google fazem parceria histórica para ajudar a conter a disseminação da COVID-19
Empresas se unem para desenvolver tecnologia de rastreamento de contato com COVID-19 entre Android e iOS

O atual cenário que todos estamos enfrentando é inédito para nossa geração, assim como a vasta opção de tecnologias à nossa disposição. Dia após dia descobrimos e aprendemos uma forma de superar os efeitos colaterais provocados pelo coronavírus COVID-19.

Nesta sexta-feira, dia 10, Apple e Google anunciaram uma parceria histórica. Alinhados no foco de juntar esforços e recursos para combater a COVID-19 (a Apple se uniu essa semana à America Food Fund — junto a Leonardo DiCaprio e Laurene Powell Jobs —, assim como fez doações de bilhões de dólares pelo mundo, de máscaras e muito mais a caminho), as gigantes de tecnologia propuseram a criação de ferramentas de interface gráfica e APIs únicas, para Android e iOS. Os recursos ficam a disposição dos governos dos países para implementarem as tecnologias.

Através do uso de tecnologia Bluetooth, presentes em todos os smartphones, o aplicativo, rodando em segundo plano, captaria conexões ao redor — em um raio de até 15 metros sem barreira — para notificá-lo se aquele sujeito está infectado pelo coronavírus ou esteve recentemente com alguém que está contaminando.

As empresas demonstraram suas considerações:

No mundo todo, governos e autoridades de saúde estão trabalhando juntos para encontrar soluções para a pandemia do COVID-19, para proteger pessoas e trazer a sociedade de volta à normalidade. Desenvolvedores de software estão contribuindo com a criação de ferramentas para ajudar a combater o vírus e salvar vidas. Nesse espírito de colaboração, Google e Apple estão anunciando um trabalho conjunto, utilizando a tecnologia Bluetooth para ajudar governos e agências de saúde a frear o avanço do vírus, tendo a privacidade e segurança do usuário como pontos centrais.

Como a COVID-19 pode ser transmitida às pessoas pela proximidade, autoridades de saúde pública perceberam que o rastreamento de contato é uma ferramenta valiosa para conter a propagação. Diversas autoridades de saúde pública, universidades e ONGs de destaque ao redor do mundo têm feito um trabalho importante no desenvolvimento de tecnologias optativas de rastreamento de contato. Em apoio a essa causa, Apple e Google lançarão uma solução completa que inclui interfaces de programação de aplicações (APIs) e tecnologia de sistema operacional para auxiliar no rastreamento de contato. Dada a urgência, o plano é implementar essa solução em duas etapas, preservando sólidas salvaguardas em torno da privacidade do usuário.

Comunicado oficial – Apple e Google

O CEO da Apple Tim Cook e o CEO do Google Sundar Pichai também fizeram seus anúncios pelo Twitter:

Diversas questões referentes a privacidade foram imediatamente levantadas. Apple, Google e governos não teriam “apenas” acesso aos dados de GPS do usuário, mas também saberiam quem está perto dele e seu histórico pessoal com o coronavírus. As empresas deixaram claro, no entanto, que o recurso será opcional.

A expectativa é que o desenvolvimento dos recursos multiplataforma iniciem até o mês de maio, com iterações frequentes em sequência. Por enquanto, não foi divulgado quando e se tal tecnologia será disponibilizada no Brasil.

Tráfego de pessoas pelas ruas antes da pandemia do coronavírus COVID-19
Pessoas andando pelas ruas

Para informações técnicas sobre os recursos, Apple e Google publicaram suas documentações. Uma segunda nova página foi criada pela Apple para reforçar seu o compromisso com privacidade. A própria OMS, Organização Mundial de Saúde, já traz o artigo em seu site oficial sobre a tecnologia.

Todos nós na Apple e no Google acreditamos que nunca houve um momento tão importante para trabalhar juntos na solução de um dos problemas mais urgentes para o planeta. Por meio da cooperação e colaboração com desenvolvedores, governos e prestadores de saúde pública, esperamos explorar o poder da tecnologia para ajudar países ao redor do mundo a frear o avanço da COVID-19 e acelerar o retorno à vida cotidiana.

Assessoria de Impressa – Apple e Google

Mais informações serão divulgadas pelas empresas nas próximas semanas.

China já utiliza tecnologia de rastreamento para monitorar o avanço da COVID-19

Recentemente, no começo de março quando a pandemia ganhou cobertura mundial, a China adotou estratégia similar para que pessoas se mantivessem seguras. Por meio do aplicativo Alipay Health Code, criado pela gigante chinesa Alibaba, o governo chinês iniciou o monitoramento da saúde dos cidadãos, sendo classificados por bandeiras verde, amarela ou vermelha, para controle de onde e quando a pessoa esteve. O governo defende o uso do aplicativo como “chave para prevenção e controle de epidemias”. 

Segurança do metrô faz análise, em Hangzhou, China, verificando celulares enquanto ajuda um senhor a ativar seu aplicativo Alipay Health Code. Todos precisam de código QR verde para passagem. (Video por Paul Mozur)

Após o usuário aceitar os termos e condições do aplicativo, seus dados (como nome, localização e número de documentos), são enviados às autoridades por meio de um arquivo chamado “reportInfoAndLocationToPolice” ou “enviar informações e localização para a Polícia”. Junto ao envio dos dados, sempre que o aplicativo é escaneado através da bandeira que exibe um código QR — conforme exibido exemplo abaixo —, sua localização também passa a ser armazenada nos servidores do sistema. Isso possibilitaria o rastreamento completo dos percursos do cidadão pelo governo.

Exemplo de Códigos QR, como os usados nos sistemas da China
Faça os testes dos Códigos QR através da câmera de seu celular

Tal preocupação pode ser extremamente importante para nós, ocidentais. Entretanto, o governo chinês possui total controle sobre o tráfego de dados em seu território, e temas relativos a privacidade e liberdade, como o Marco Civil da Internet ou os debates sobre Neutralidade de Rede, não são permitidos para a população.

Durante o anúncio, Apple e Google garantiram que “privacidade, transparência e consentimento são de extrema importância nesse esforço“.


Mais cedo, a Apple publicou em seu canal no YouTube um vídeo especial para nos lembrar de que, mesmo durante o período de quarentena e isolamento e distanciamento social, a “criatividade continua”.

Referências: Apple Newsroom, Google Blog e The New York Times.

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine nossa Newsletter