Chrome ganha bloqueador de anúncios nativo; entenda como funciona

Veja como funciona o bloqueador de anúncios do Google e por que ele pode ser o fim da guerra entre AdBlockers e criadores de conteúdo.

Nesta quinta-feira (15) o Google implementou em seu navegador, o Chrome, um bloqueador de anúncios no qual ela já estava trabalhando há algum tempo. Mas ele não funciona de maneira similar aos já conhecidos AdBlock Plus ou uBlock Origin, que barram todos os anúncios de uma página web. Nos próximos parágrafos você vai entender qual a diferença dele para os demais, mas antes, é bom darmos um contexto.

A guerra entre AdBlockers e criadores de conteúdo

Manter um site atualizado não é fácil e nem barato. Além de pagar domínio e uma boa hospedagem, os donos de sites gastam muito tempo e dinheiro na elaboração de seus conteúdos. Obviamente ninguém gosta de trabalhar de graça e, por isso, para tentar pagar os gastos do site e lucrar alguma coisa, os criadores de conteúdo exibem anúncios em suas páginas. Cada clique ou exibição de um anúncio rende alguns centavos para o produtor que, no final, podem render uma boa quantia em dinheiro.

Daí acontece que, na gana de ganhar mais dinheiro, muitos criadores de conteúdo passaram a literalmente entupir suas páginas com anúncios, de todos os tipos, tamanhos e cores. E isso arruína a experiência de navegar na internet, já que a quantidade demasiada de anúncios torna a página mais pesada, lenta e tira o foco do conteúdo, que é o que realmente importam.

Bloqueadores de anúncios como o AdBlock barram todos os anúncios

Para tentar driblar isso surgiram os bloqueadores de anúncios, ou AdBlockers. Dentre os mais famosos temos o AdBlock Plus e o uBlock Origin. Eles são normalmente utilizados como plugins nos navegadores. E eles são muito eficientes em barrar quase todos os anúncios. Assim, a navegação se torna mais leve e você pode consumir seu conteúdo em paz. O problema: isso diminuiu muito a renda dos criadores de conteúdo.

Com certeza você já se deparou com algum site que pedia para você desativar o AdBlock antes de acessar o conteúdo, não é mesmo? Assim, temos uma “sinuca de bico”. Se ativamos os bloqueadores de anúncios, ganhamos uma navegação mais leve e fluída, mas em compensação os produtores de conteúdo perdem dinheiro e, assim, podem deixar de produzir conteúdo. Se desativamos os bloqueadores, somos bombardeados com anúncios. O que fazer, então? O Google parece ter achado a solução.

Como funciona o bloqueador de anúncios do Google?

Diferentemente dos plugins supracitados, o do Google não vai bloquear todos os anúncios. Apenas aqueles considerados intrusivos. As regras foram definidas pela Coalition for Better Ads (Coalisão para Anúncios Melhores, em tradução literal) a partir de uma pesquisa envolvendo mais de 25 mil entrevistados.

As regras englobam tanto anúncios para desktops quanto para dispositivos móveis, como smartphones. Veja cada uma delas agora:

Para desktops

Nos desktops quatro tipos de anúncios distintos foram considerados intrusivos. São eles:

  • Anúncios pop-ups que ficam sobre o conteúdo;
  • Vídeos executados automaticamente com som;
  • Banners em tela cheia com contagem regressiva para serem fechados;
  • Banners muito grandes fixados na página.

Se um determinado anúncio se enquadrar em uma dessas quatro regras, ele será automaticamente bloqueado pelo Google Chrome.

Para dispositivos móveis

No caso dos celulares a lista é um pouco mais extensa. Além das quatro regras elencadas no tópico acima, temos:

  • Banners que ocupam mais de 30% do espaço do conteúdo principal;
  • Anúncios animados que piscam ou trocam de cor muito rápido;
  • Banners em tela cheia com contagem regresiva que surgem só depois que você toca em um link;
  • Propagandas em tela cheia que aparecem durante a rolagem da página.

É a raposa cuidando do galinheiro?

Como talvez você saiba, a grande fonte de receita do Google são justamente os anúncios. Assim, podemos imaginar que a empresa talvez não seja tão rígida assim com os anúncios do programa AdSense ou DoubleClick. Porém, ela garante que essas regras serão aplicadas até mesmo nos anúncios dos seus programas de afiliados. Esperamos realmente que sim.

Se um site exibe anúncios considerados intrusivos, ele será notificado pelo Google e tem 30 dias para remover as propagandas inconvenientes. Caso isso não ocorra, todos os anúncios daquele site serão bloqueados, até mesmo os não-intrusivos. Ao entrar em um site com anúncios intrusivos, o Chrome avisará ao usuário, que terá a opção de permitir que os anúncios daquele site sempre sejam exibidos, mesmo que contra as regras.

bloqueador de anúncios do Google já está implementado no Chrome e já está funcionando. Porém, apenas os sites da América do Norte e Europa começarão a ter os anúncios bloqueados neste primeiro momento. Depois haverá a expansão global.

É a solução?

Tem tudo para ser. Desta forma, os criadores de conteúdo responsáveis que só querem ganhar dinheiro pelo seu bom trabalho não serão penalizados e os usuários poderão navegar em uma internet com propagandas, mas sem prejudicar a sua experiência.

E qual a sua opinião sobre essa nova funcionalidade do Google Chrome?

Comentários do Facebook