Saiba o que é alopecia, a doença de jada pinkett-smith

Saiba o que é alopecia, a doença de Jada Pinkett-Smith

Avatar of lucas gomes
Doença que causa queda temporária ou definitiva de cabelo possui tratamento e é mais comum do que se imagina. Entenda mais sobre a condição da atriz

A cerimônia do Oscar costuma ser marcada pelos ganhadores das principais categorias, como Melhor Ator, Melhor Atriz e Melhor Filme do ano. No Oscar 2022 tivemos um assunto a mais além das premiações: Will Smith agrediu o apresentador Chris Rock com um tapa, ao vivo, durante a cerimônia. Isso porque Rock fez uma piada com Jada Pinkett-Smith, esposa de Will Smith, pelo fato dela estar careca. A atriz assumiu o visual por ter sido acometida por alopecia, uma doença que causa justamente a queda de cabelo. Mas o que é alopecia? Vamos conferir agora!

O que é alopecia

A alopecia é uma doença que causa a perda de cabelo ou de pelos do corpo. O tipo mais comum ocorre no couro cabeludo, sendo chamado também de calvície, e é a forma que a doença se apresenta em Jada Pinkett-Smith. A alopecia pode ser transitória ou definitiva, e acomete mulheres e homens em diversos tipos, graus ou causas possíveis.

Saiba o que é alopecia, a doença de jada pinkett-smith. Reprodução: internet
Alopecia mudou o visual de Jada Pinkett-Smith. Reprodução: Internet

Esse distúrbio acontece quando há interrupção no ciclo de crescimento do cabelo, marcado por três fases diferentes, sendo elas:

  • Fase anágena: é quando ocorre o crescimento dos fios. Cerca de 90% dos cabelos estão nesta etapa, que pode durar de dois a oito anos;
  • Fase catágena: esta é a fase de transição, na qual os folículos capilares encolhem e dura de duas a três semanas;
  • Fase telógena: agora o cabelo repousa durante dois a quatro meses. Ao final dessa etapa, o cabelo cai para que o ciclo de crescimento recomece.

Este processo de renovação contínua acarreta na queda de mais ou menos 50 a 100 fios de cabelo por dia, para pessoas normais. Quando este ciclo é interrompido, ou se algum folículo capilar for danificado, vemos então um cenário contrário: mais fios de cabelo caindo do que se regenerando, causando áreas com pouco cabelo ou totalmente vazias, e fios ralos no couro cabeludo.

Tipos de alopecia

A alopecia pode ser manifestada de diversas maneiras em cada paciente, variando de acordo com o organismo da pessoa. Confira quais os tipos existentes de alopecia:

Saiba o que é alopecia, a doença de jada pinkett-smith: entre os diversos tipos de alopecia tempo a alopecia androgenética, alopecia areata, alopecia por tração, eflúvio telógeno, alopecia cicactricial e a alopecia frontal fibrosante. Reprodução: internet
Alopecia causa a queda acentuada dos fios de cabelo. Reprodução: Internet
  • Alopecia androgenética: também conhecida popularmente como “calvície”, a alopecia androgenética é a queda de cabelo mais comum. O problema pode se apresentar ainda na adolescência, podendo ficar mais aparente entre os 40 e 50 anos de idade. Com o tempo o cabelo vai ficando mais ralo e, progressivamente, o couro cabeludo fica mais aberto. Em mulheres a região central é a mais acometida, já em homens a condição se manifesta com falhas nas entradas e no topo da cabeça — padrões de calvície feminino e masculino, respectivamente. Este é o tipo de alopecia que mais afeta homens, se manifestando principalmente na região frontal;
  • Alopecia areata: considerada doença autoimune, a alopecia areata acontece quando o sistema imunológico ataca o próprio corpo, ou seja, as células que estão ao redor do folículo capilar o atacam, impedindo que haja produção de novos fios. Estes casos acarretam em falas de formatos arredondados em diversas áreas como no couro cabeludo, em barba, sobrancelhas e cílios. É mais apresentado em jovens de até 20 anos de idade e pode ser associada a fatores genéticos, estresse ou até mesmo reações no sistema imunológico causada por outros micro-organismos. Outras doenças como vitiligo ou lúpus podem estar relacionados com a alopecia areata;
  • Alopecia por tração: aqui já estamos falando sobre fatores físicos externos que podem causar a perda de cabelo. Prender os cabelos em penteados como rabos de cavalo apertados, tranças ou outros tipos de penteados que forçam a raiz do cabelo pode trazer danos irreversíveis aos folículos capilares;
  • Eflúvio telógeno: nestes casos os pacientes têm queda de 300 a 500 fios por dia, resultado em perda de volume de cabelo. Entre as condições podemos observar possíveis causas como desequilíbrios da tireoide, febre, cirurgia ou parto. Deficiência de vitaminas ou mineiras também podem ser consideradas. Se o que ocasionou o eflúvio telógeno for temporário, o cabelo perdido pode ser recuperado em alguns meses, porém, este período pode se estender por anos;
  • Alopecia cicatricial: se apresentando como um tipo mais raro da doença, essa condição é causada por danos aos folículos capilares a partir de inflamações. Aonde deveria nascer cabelo acaba crescendo tecido cicatricial, impendido a produção de novos fios no couro cabeludo. A queda pode acontecer de forma lenta ou súbita e em algumas pessoas pode incluir ainda lesões vermelhas ou brancas no couro cabeludo, bem como possíveis coceiras e/ou inchaço;
  • Alopecia frontal fibrosante: e por fim, tempos a alopecia frontal fibrosante, esta que acometem principalmente mulheres que estão em período pós-menopausa. Geralmente se apresenta num padrão de recuo da linha do cabelo. Axilas e sobrancelhas têm chances de também seres afetadas. Outros sintomas como bolinhas e manchas vermelhas no rosto podem se manifestar.

Fatores de risco para a alopecia

Saiba o que é alopecia, a doença de jada pinkett-smith: a alopecia pode se apresentar de diversas maneiras, desde a calvície generalizada a até mesmo locais específicos que deixam de crescer cabelos - seja no couro cabeludo ou outra parte do corpo que tenha pelos. Reprodução: internet.
A alopecia pode se apresentar de diversas maneiras, desde a calvície generalizada a até mesmo locais específicos que deixam de crescer cabelos – seja no couro cabeludo ou outra parte do corpo que tenha pelos. Reprodução: Internet.

Os diversos tipos de alopecia podem ter a queda de cabelo causada por diversos fatores mais genéricos. Ao perceber qualquer um dos sintomas relacionados à queda de cabelo, consulte orientação médica imediatamente. Entre os fatores de risco temos:

  • Deficiência de vitamina B12;
  • Disfunções hormonais;
  • Estresse;
  • Excesso de vitamina A;
  • Falta de proteínas e alguns minerais;
  • Gravidez;
  • Histórico familiar de calvície;
  • Idade;
  • Outras doenças, como diabetes e lúpus;
  • Perda de peso significativa.

Como tratar a alopecia

Saiba o que é alopecia, a doença de jada pinkett-smith: o tratamento para a alopecia varia de acordo com o tipo de queda de cabelo que o paciente apresenta. Entre os tratamentos estão os medicamentosos ou até mesmo implantes capilares. Reprodução: internet.
O tratamento para a alopecia varia de acordo com o tipo de queda de cabelo que o paciente apresenta. Entre os tratamentos estão os medicamentosos ou até mesmo implantes capilares. Reprodução: Internet.

Para que um tratamento seja aplicado é necessário identificar qual é o tipo de alopecia que está acometendo o paciente. Para tal, consultar um tricologista (profissional em saúde do cabelo) ou dermatologista é o mais indicado. Ainda que a condição apresentada possa ser permanente, há maneiras de tratamento que minimizam a perda intensa dos fios. Entre alguns tratamentos possíveis, temos a utilização de antibióticos específicos e ingestão de suplementos nutricionais. Alternativas para o tratamento são os implantes capilares ou alguns reparos estéticos.

Como prevenir a queda de cabelo

Quando o paciente é acometido de alopecia genética, não há maneiras de prevenir a doença. No momento em que se notar uma queda elevada de cabelo, procure orientação profissional e este poderá indicar qual o tratamento que mais se adequa à situação atual.

Para aquelas pessoas que não apresentam casos de alopecia na família, uma maneira de lidar com essa condição é evitar tratamentos em salões de beleza que utilizam produtos químicos prejudiciais em suas operações. Busque identificar quais são os componentes que serão utilizados e se informe se aquele procedimento pode causar danos permanente aos fios de cabelo. Se algum folículo for atingido durante algum destes procedimentos, o cabelo poderá deixar de crescer definitivamente.

Saiba o que é alopecia, a doença de jada pinkett-smith: para prevenir a queda de cabelo há algumas maneiras de o fazer, principalmente mantendo uma alimentação saudável. Os casos de alopecia genéticas não há prevenção. Reprodução: internet.
Há maneiras de prevenir a queda de cabelo, como manter uma alimentação saudável. Nos casos de alopecia genéticas não há prevenção. Reprodução: Internet.

Ainda há outras alternativas para evitar a queda de cabelo, como manter uma alimentação variada e saudável, que seja rica em vitaminas, proteínas e minerais. Neste caso estamos falando no consumo diário de legumes, frutas e verduras, dando preferência para comidas que são assadas ou cozidas, evitando o excesso de gordura, frituras ou de alimentos ultra processados.

COVID-19 pode causar alopecia

A pandemia de COVID-19 acometeu o mundo e trouxe consigo diversas consequências que vão além dos tradicionais danos aos pulmões. Já é conhecido que a doença pode gerar novos sintomas em outras áreas ou até mesmo intensificar algum sintoma sobre condições preexistentes. No caso da alopecia, foi visto que cerca de 25% dos pacientes que são diagnosticados com COVID-19 persistente (ou “COVID longa”) apresentam queda de cabelo logo no início da infecção, e a condição pode durar semanas ou meses.

Saiba o que é alopecia, a doença de jada pinkett-smith: há, ainda, a relação entre a queda de cabelo com a covid-19. Pelo menos 1 em cada 4 casos de infecção pelo novo coronavírus apresentam algum nível de alopecia. Reprodução: internet.
Existe relação entre a queda de cabelo com a COVID-19. Pelo menos 1 em cada 4 casos de infecção pelo novo coronavírus apresentam algum nível de alopecia. Reprodução: Internet.

Os estudos sobre a relação entre a queda de cabelo e o novo coronavírus apontam para casos de alopecia areata e eflúvio telógeno. Paulo Criado, coordenador do departamento de medicina interna da Sociedade Brasileira de Dermatologia, afirma que doenças infecciosas, autoimunes ou problemas emocionais causam as diversas manifestações de queda capilar. O profissional ainda explica que a queda de cabelo acentuada costuma estar relacionada a doenças infecciosas mais graves.

Esses todos são eflúvios. O que se acredita agora é que o coronavírus faça parte desse grupo de doenças que podem estar ligadas à queda capilar acentuada

Paulo Criado, coordenador do departamento de medicina interna da Sociedade Brasileira de Dermatologia sobre a relação entre pacientes infectados pelo novo coronavírus e a queda de cabelo

O Showmetech faz um alerta importante: ao perceber queda de cabelo fora do normal, busque orientação profissional para a investigação das causas. Não utilize medicamentos ou qualquer tipo de tratamento por conta própria, pois você poderá piorar a situação da perda de cabelo.

Veja também:

Ainda sobre COVID-19, o que os especialistas falam sobre o grande aderência ao fim da máscara?

Fonte: Pfizer e BBC News Brasil.

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Total
1
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados