Rússia dá novos detalhes sobre arma não letal que causa “alucinação”

Arma na Rússia
Detalhes foram divulgados com mais explicações dos desenvolvedores responsáveis pela fabricação

Novos detalhes foram divulgados pela agência estatal  Sputnik News, com mais explicações dadas pelos desenvolvedores e engenheiros responsáveis pela fabricação de uma arma que causa “alucinação” e confunde a visão da pessoa afetada.

Em fevereiro, segundo o Newsweek, a Marinha da Rússia confirmou que duas embarcações suas estavam equipadas com um sistema defensivo de arma não letal com interferência visual óptica que causam desorientação no oponente, alucinações, náuseas e vômitos. Além de armas alucinógenas, as armas à laser também já são realidade no nosso cotidiano há algum tempo.

Na ocasião, o comunicado teve confirmação da fabricante Ruselectornics, responsável pelo sistema Filin 5P-42, instalado nas fragatas Almirante Gorshkov e Almirante Kasatonov, e da agência estatal da Rússia RIA Novosti.

Arma na Rússia
Filin 5P-42, sistema fabricado na Rússia

Novos detalhes sobre arma russa

De acordo com a Sputinik News, o Filin 5P-42 é um novo sistema de interferência ótica baseado em luz não letal projetado para uso militar e policial, capaz de reduzir efetivamente sistemas ópticos dos inimigos. Ele foi projetado para suprimir sistemas ópticos inimigos em condições de pouca luz, ao anoitecer, amanhecer e durante as horas noturnas, dificultando a mira.

O sistema lança um poderoso feixe de luz, prejudicando temporariamente a visão do oponente, induzindo náuseas e causando uma sensação geral de desorientação, podendo chegar á alucinações, náuseas e vômitos. Essa interferência seria decisiva para fornecer vantagem tática diante do inimigo.

Rússia dá detalhes sobre arma não letal que causa “alucinação” e confunde a visão
Arma é capaz de “cegar” inimigos, se tornando uma ferramenta muito poderosa

Esse sistema que dispara poderosos feixes de luz e tem por objetivo prejudicar a visão do inimigo, é capaz de ofuscar a visão noturna em uma distância de 5 km e causar desorientações nas tropas em um raio de 2 km.

O Filin 5P-42 foi projetado inicialmente para uso da Marinha, do Exército e, potencialmente, por policiais e unidades de Guarda Nacional. No entanto, ele poderá ter ainda “versões mais fracas” aplicadas ao segmento “civil”, com utilização por empresas para segurança, por exemplo.

“[…]aumentando ou diminuindo o número de emissores em um único sistema e combinando componentes com menor ou maior potência, é possível criar tanto estações fortes para uso militar e para fins especiais quanto para as mais fracas para o mercado civil, incluindo uso por grandes empresas para segurança ou para instalações protegidas”.

Representante da Ruselectornics, em declaração à agência

Além disso, os engenheiros confirmaram que a arma já está passando por alterações.

“Estamos criando novas modificações no campo das estações de interferência visual-óptica com base nas soluções tecnológicas existentes. Elas apresentam características aprimoradas de peso e tamanho e menor consumo de energia”.

Representante da Roselectronics, em entrevista ao Sputinik, explicando que os engenheiros da Integral Experimental estão estudando aprimoramentos

Os engenheiros e desenvolvedores também esclareceram que o sistema “não resulta em uma perda permanente de visão, mas reduz a sua eficiência em 300 a 500%”. Ou seja, o sistema não causa “cegueira” permanente, mas pode sim, ser temporária.

A rede de TV Zvezda, do Ministério da Defesa da Rússia, transmitiu imagens de testes feitos com a arma. Veja o vídeo:

A notícia causou muito burburinho na mídia, como você pode ver em outro vídeo divulgado recentemente:

Testes na Rússia

De acordo com a RIA Novosti e a fabricante Ruselectronics, durante os testes realizados:

  • 45% afirmaram ter sentido tontura, náusea e desorientação;
  • 20% disseram ter sentido alucinações.

Outros dois navios, que estão em construção na Rússia, devem ter o sistema também.

Fontes: FuturismSputinikNews e Newsweek.

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Deixe uma resposta