Celular do ladrão

Celular do ladrão: como configurar e evitar problemas

Avatar de glauco vital
Pretende sair em festas e lugares com muita aglomeração? Saiba como proteger seu smartphone e seus dados utilizando um segundo aparelho que causará poucos danos caso seja roubado

Com a proximidade das festas de Ano Novo e Carnaval, muitas pessoas saem de suas cidades para aproveitar em grandes centros como Rio de Janeiro e Salvador para curtir as festividades. Entretanto, de acordo com o levantamento do Anuário Brasileiro de Segurança Pública publicado em julho deste ano, 2.738 aparelhos celulares são furtados ou roubados por dia — ou seja, uma pessoa perde seu telefone para a criminalidade a cada dois minutos.

A perda do celular tem não apenas o impacto financeiro para a substituição do aparelho subtraído, mas também com possíveis fraudes em contas bancárias e vazamento de dados armazenados nos smartphones — além, claro, do transtorno para bloquear acessos, comprar um novo aparelho e obter um novo chip para sua linha telefônica. Uma solução adotada pela população é o uso de um segundo aparelho para sair às ruas em situações de grande concentração de pessoas, que ganhou o apelido de celular do ladrão. Saiba como configurar e utilizar este aparelho e manter seguro seu smartphone principal em casa.

O que é o celular do ladrão

Celular do ladrão
O celular do ladrão serve para causar menos transtorno em casos de roubo e furto (Imagem: Depositphotos)

Os smartphones atuais possuem uma série de conveniências, a ponto de não ser mais necessário sair com carteira — basta usar seu celular para apresentar seu documento, fazer pagamentos, pedir carro de transporte e uma série de outras coisas. Entretanto, com modelos intermediários custando a partir de R$1.500 e topos de linha bem acima disso, como o iPhone 15 por R$ 6.199, Galaxy S23 Ultra por R$ 6.999 e iPhone 15 Pro Max por R$ 8.649, ter o smartphone roubado ou furtado pode causar um prejuízo alto. Claro, existe a possibilidade de se fazer um seguro de celular, mas a máxima “melhor prevenir que remediar” cai como uma luva aqui,

O celular do ladrão é um aparelho mais barato que será utilizado em situações em que há um maior risco de roubos ou furtos, como em grandes aglomerações típicas de festividades como Ano Novo e Carnaval. Este smartphone poderá ser um celular antigo que não tenha mais uso ou então um celular barato comprado especificamente para este fim — você pode procurar um modelo na nossa seleção de celulares baratos deste ano.

Neste aparelho, você vai ter apenas o básico para sair na multidão: WhatsApp, aplicativo de transporte (Uber, 99, ou apps de metrô e ônibus de cada cidade), carteira digital com limite para pagamento por Pix. Claro, você poderá ter outros aplicativos que considerar necessários, mas lembre-se que menos aplicativos no celular do bandido = menor risco de problemas.

Configurando o celular do ladrão

Para o celular do ladrão, vamos considerar apenas as necessidades básicas para sair de casa, como citado na seção anterior. Aqui, o importante é que você não deixe opções para o ladrão ter acesso aos seus dados e contas de aplicativos e instituições financeiras.

Chip da operadora

Celular do ladrão: como configurar e evitar problemas. Pretende sair em festas e lugares com muita aglomeração? Saiba como proteger seu smartphone e seus dados utilizando um segundo aparelho que causará poucos danos caso seja roubado
Prefira usar um chip pré-pago no celular do ladrão (Imagem: Depositphotos)

Você pode utilizar a sua linha principal no celular do ladrão, bastando para isso trocar o chip de um celular para outro. Se você utilizar eSIM em smartphones compatíveis, sinto dizer que não será possível a troca, pois depende de entrar em contato com a operadora para mudar de um para o outro.

A nossa recomendação é que você adquira um chip pré-pago, que pode ser adquirido nas lojas das operadoras e também pode ser encontrado em supermercados, farmácias, conveniências e em demais lugares de varejo. E por que um novo chip? Pois caso você venha a ser roubado ou furtado, evitará que:

  • Seja necessário fazer o bloqueio imediato do chip;
  • Seja possível recuperar acessos a contas de e-mail e demais serviços online através da autenticação de dois fatores por SMS;
  • Seja necessário ir até a loja da operadora para solicitar um novo chip para sua linha principal.

Autenticação em dois fatores

Um dos recursos de segurança mais importantes para nossas contas em serviços online é a autenticação (ou verificação) em dois fatores. Com ela, não basta apenas descobrir a senha para ter acesso as suas contas: é necessário haver uma segunda camada de proteção para validar o acesso aos seus dados. As principais contas que precisam ter a autenticação de dois fatores ativadas são o ID Apple, para usuários de iPhone, e a Conta do Google, para usuários de celulares Android. Aqui no Showmetech já fizemos alguns tutoriais explicando como proteger melhor suas contas com a verificação em duas etapas:

Importante frisar que o uso de SMS para a verificação em duas etapas é desaconselhado, sendo ideal a utilização de aplicativos de autenticação em dois fatores, solução mais segura e robusta.

WhatsApp

Caso você tenha comprado um chip para ser utilizado apenas no celular do ladrão, você pode habilitar o WhatsApp neste número novo. Assim, todas as suas conversas (junto com os contatos e mídia) ficam guardados no seu smartphone principal, sem risco de serem acessados por terceiros.

Caso você opte por utilizar o chip da sua linha principal, você pode conectar o WhatsApp do segundo aparelho na sua linha existente. Neste processo, você não transfere a conta do WhatsApp de um celular para o outro, apenas cria um acesso secundário para sua conta principal. Confira nosso tutorial completo que ensina como usar a mesma conta de WhatsApp em dois smartphones.

Carteiras digitais

Celular do ladrão: como configurar e evitar problemas. Pretende sair em festas e lugares com muita aglomeração? Saiba como proteger seu smartphone e seus dados utilizando um segundo aparelho que causará poucos danos caso seja roubado
Tenha carteiras digitais que não estejam ligadas à sua conta bancária (Imagem: Depositphotos)

Precisa comprar uma água, um lanche ou pagar por transporte? É sempre bom ter uma carteira digital com saldo para fazer pagamentos por Pix. Aqui, nossa recomendação é que você não tenha aplicativo do banco instalado no celular do ladrão, pois desta forma não será possível acessar sua conta bancária caso o aparelho caia em mãos erradas.

Nossa sugestão é que você tenha instalada alguma carteira digital e mantenha nela uma quantia limitada de dinheiro, de no máximo R$200, para ser utilizado apenas para pagamento por Pix em pequenas compras. Você pode sempre recarregar essa carteira em casa, quando tiver acesso ao seu celular principal com o aplicativo do seu banco. Algumas carteiras digitais recomendadas:

Muito importante: ao utilizar estas carteiras, remova cartões de crédito que estejam cadastrados, para evitar que sejam utilizados no caso de roubo ou furto do celular.

Aplicativos de transporte

Aplicativos de transporte
Use cartões online para apps de transporte (Imagem: Depositphotos)

Parte importante é poder sair de casa, ir até o destino e voltar com tranquilidade. Para isso, você deve manter instalados os aplicativos de transporte de seu uso, já deixando cadastrados os meios de pagamento — seja cartão de crédito, débito ou Pix. Para aplicativos de transporte público, compre os bilhetes antes de sair de casa e mantenha já baixados no celular, para não precisar fazer pagamentos em público.

Caso você utilize cartão de crédito para pagamento de aplicativos de transporte, utilize um cartão virtual (ou cartão digital) para este fim. Instituições financeiras como o Nubank permitem que você tenha mais de um cartão virtual — que podem até mesmo ser temporários, com validade de 24 horas –, podendo criar um para este momento específico

Seguem alguns apps de transporte úteis para ter no celular secundário:

Celular Seguro

Celular seguro
App Celular Seguro facilita o bloqueio de smartphones em caso de roubo e furto (Captura de tela: Glauco Vital / Showmetech)

O Governo Federal, em parceria com empresas de tecnologia e operadoras de telefonia, lançou o aplicativo Celular Seguro, que pretende facilitar a proteção dos dados de usuários que tenham sido roubados ou furtados. Para tanto, o aplicativo deverá ser instalado e o telefone (pode ser mais de um aparelho por CPF) deverá ser cadastrado previamente.

No caso de roubo ou furto do celular, basta o proprietário fazer o bloqueio acessando sua conta gov.br no apps Celular Seguro instalado em outro smartphone (de um familiar ou amigo), e efetuando o bloqueio. Outra forma é, no momento do cadastro, informar um contato de confiança, que poderá efetuar o bloqueio remoto do smartphone.

“Com apenas um clique, a vítima enviará um aviso simultaneamente para a Anatel, para os bancos, para as operadoras de telefonia e para os demais aplicativos”, explicou Ricardo Cappelli, secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Aqui, no Showmetech, fizemos um tutorial mostrando como utilizar o Celular Seguro.

O Celular Seguro pode ser encontrado na Play Store (Android) e App Store (iPhone).

Veja também:

Fonte: Exame, Depositphotos

Revisão do texto feita por: Pedro Bomfim (28/12/23)

Inscreva-se para receber nossas notícias:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados